“A Educação é a base de tudo, e a Cultura a base da Educação”

Seja bem-vindo (a) e faça uma boa pesquisa.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

- A Metamorfose do início da Rua da Glória em Blumenau


1941 nova etapa de modificação dos estilos das casas



A imagem de 1946 mostram o início da Rua da Glória - Casas populares que pertenceram à antiga Empresa Industrial Garcia que possuía em torno de 240, alugadas, o preço era simbólico construídas de forma idênticas, pelos empregados da marcenaria da Empresa. As residências eram de boa infra-estrutura e saneamento básico, coleta seletiva de lixo duas vezes por semana. A madeira utilizada nos imóveis era canela de diversas qualidades em sua estrutura principal, nos assoalhos canela, no corpo da casa prevalecia madeira de lei, medindo, 8m por 8m, em seu corpo principal (mesma metragem nos dois pisos), e mais um local de área de serviços, com 8m por 4m perfazendo um total aproximado de 160m².

Uma das poucas casas populares que sobraram pertencente a família Oliveira no início da Rua da Glória
Em seu corpo principal com dois pavimentos, existia o quarto do casal, duas pequenas salas, cozinha, varanda, e na parte de cima, conhecida como sótão, quatro quartos. Ficava todas próximas a empresa que oscilavam em 50m a 1,5 km de distância, permitindo que se ouvisse a sirene tocar e despertar os funcionários.
Alguns empregados participavam de peças teatrais coordenados por eles mesmos. Algumas empregadas eram depois do expediente costureira em sua própria casa. Era costume em quase todas as casas populares da Empresa Garcia, o cultivo de alimentos, os canteiros como eram chamados como também os famosos “galinheiros” todo mundo tinha um, onde existiam galinhas poedeiras e criação própria dessas aves. Era uma verdadeira aldeia formada pelos trabalhadores da Empresa industrial Garcia, que em sua maioria viviam em harmonia.
Imagens de 2008, verificamos a metamorfose após 60 anos. As casas que eram de propriedade da Empresa Garcia, a partir de 1966 são vendidas aos funcionários, e a transformação ocorreu gradativamente. Inicialmente nas próprias casas de madeiras, começam a surgir os primeiros pontos comerciais. Calçados Hass na casa do senhor José de Oliveira, e Lojas Prosdócimo na residência do senhor Edelui Massaneiro. - Hoje a mudança é constante, vários pontos comerciais e de serviços, destaques para o, posto do Distrito Policial, Lojão Progresso e Correio.
Nas imagens acima de 1961, e 2008 - mostramos a partir da Rua 12 de outubro uma antiga transversal da Rua da Glória, onde hoje verificamos uma mudança significativa. Com a demolição das casas, e o ribeirão Grevsmuhl desaparecendo com as tubulações, é construída a nova Praça Getulio Vargas, o Terminal Garcia, e o CSU – Centro Social Urbano e outros pontos comerciais.
História:
Imagem 2009 - Início Rua da Glória
O bairro Glória foi oficialmente criado através da lei nº 03, de 04 de fevereiro de 1938, Pelo prefeito José Ferreira da Silva, o bairro foi oficializado pelo Prefeito Frederico Guilherme Busch Jr. Através da lei nº 717, de 28 de abril de 1956.
O nome Glória foi colocado em homenagem a um antigo clube musical chamado Glória que existia desde 1920, antes era conhecida com o nome de Specktiefe (palavra de origem alemã que quer dizer caminho lamacento ou gorduroso - Speck significa toicinho, tiefe significa profundidade).O nome Specktiefe, foi popularmente conhecido, porque no início da atual rua da Glória, até próximo ao atual CSU, Centro Social Urbano, existiam dos dois lados, pés de eucaliptos, mantendo sempre sombrio esse espaço, e em conseqüência muito lamaçal. O então diretor da Empresa Industrial Garcia João Medeiros Jr., mandou colocar barro vermelho, e essa mistura, o barro lamacento ficou com cor de toicinho.
Arquivo de Dalva e Adalberto Day /Colaboração ângela Maria de Oliveira.

26 comentários:

Blog "O Vagalume" disse...

Excelente de trabalho, Adalberto! Gosto muito dessas comparações de épocas e dessa forma de preservar a memória da cidade de Blumenau.

Abçs Angeline

Adalberto Jorge Klüser disse...

Sou leitor diário do seu blog. Parabéns pelo trabalho! Gostaria de saber se posso enviar alguma pauta para sua análise e possível publicação.

Ivonete Boos disse...

Eu deveria ter uns seis anos,e morávamos de aluguel na casa do sr Irineu Moritts. Um dia meu pai chegou do trabalho com a novidade. Íamos morar em uma casa da imprensa Garcia. Munca esqueci a emoção de ver aquela casa . Para mim parecia um castelo,ficava no final da rua tibaji Belas lembranças.

Sabará Nascimento disse...

Conheci quando tinha dessas casas até perto de onde hoje tem os tanques de oleo da Coteminas em 1955/56 estudei no grupo escolar São José (hoge Celso Ramos)e passava todos os dias em frente essas casas era tudo diferente de hoje Saudades dos colegas de clace e das queridas professoras (Dona Julia,Arnolda,Agda e Teresinha

Julio disse...

Julio Costa Eu conheci a rua da Glória quando era de terra mas o início dela não,legal Adalberto,abraço.

Edmundo disse...

Edmundo Edi Realmente pela leitura do blog se consegue entender um pouco, mais jamais sentir a realidade, a saudade do que nos ainda conseguimos sentir.

Sônia disse...

Sonia Ruth Anton Bauler Isso que é fazer uma volta ao passado. Quanto tempo morei nessa região. Ficaram muitas lembranças e saudades. Obrigado pelo passeio no tempo Adalberto e Dalva

Sérgio disse...


Sergio Cunha Puxa, Adalberto, quantas lembranças! Aquele morro lá no fundo com os animais, é o morro que fica atrás da Cooper Glória, certo? Obrigado pela lembrança!

Carlos disse...

Carlos Jorge Hiebert Russo Quanto orgulho de ter nascido (1948)dentro de uma casa igual a estas,a nossa ficava na transversal onde aparece somente uma casa, bem a esquerda da foto.Neste pasto que aparece em primeiro plano, tínhamos um campinho de futebol, cujo jogo era muitas vezes interrompido por uma vaca chamada chita de propriedade da família Bernz. Conheci a transformação deste local, onde se vê a cerca de arame surgiu um muro alto de tijolos a vista,e no seu topo arames farpados, cujo pedreiro que o fez se chamava Sr. Farias tendo como auxiliar um membro da família Kertischka que morava na cabeceira da Ponte Preta entrada da Rui Barbosa.Depois do muro concluído que levou bastante tempo para ser feito pois eram apenas 2 a fazer, a Empresa Industrial Garcia, proprietária do terreno fez um belo pomar, cujo objetivo era distribuir os frutos para seus funcionários, lembrando que a E. I. G. mantinha na rua Emílio Talmann uma orta com verduras e legumes que eram distribuídos para seus colaboradores ( quantas vezes durante o inicio da noite transpúnhamos o muro alto com arame e tudo para degustar alguma fruta, o que descoberto por um certo senhor que morava próximo,denunciava a gente no departamento pessoal da fabrica e nossos pais eram chamados). Logo após a destruição do estadio do Amazonas na Rua Amazonas, por uma enxurrada, na outra extremidade da fabrica, neste local, deste pasto foi feito um campo provisório para o Amazonas Esporte Clube, time composto exclusivamente por funcionários da fabrica.Com a construção do muro, e a canalização do Ribeirão que vem da Belo Horizonte e Rua da Gloria, este trecho da Rua da Gloria ficava inundado com as chuvas de verão, o que para nos (mulecada da adjacência)era motivo de alegria, pois arrumávamos um tronco de bananeira e vinhamos boiando acompanhando a água barrenta que corria pelo leito da rua que aparece na foto.

Claudete disse...

Claudete Bruner Tempo bom rua da gloria sem calçamento depois paralepipedo e depois asfalto.A igreja que amo onde fiz comunhão crisma quanta saudades.

Jacira disse...



Superfã
Jacira Forbici Ai,,,,, que saudades da minha igrejinha! Toquei e cantei por mais de 10 anos neste lugar! Quantos casamentos!!!!!! Linda foto Adalberto!

Tarcísio disse...

Tarcisio Holanda Uma pena, paralelepípedos de primeira, asfalto aquece demasiadamente nos dias quentes.

João Luiz disse...

João Luiz Batista Muita saudades da RUA DA GLÓRIA.
TEMPO MUITO BOM.
SAUDADES.

Catarina disse...



Superfã
Catarina Tecla Mistura Só boas lembranças amigo!
Eu já faz 53 anos que me casei nessa Igreja e sobre a Rua da Glória eu vivi um passado legal, pois nasci na Belo Horizonte, que pertence hoje como o Bairro da Glória onde eu ia para escola diariamente ao lado da Igreja e as missas aos domingos e onde frequento essa Igreja até hoje. Obrigada Adalberto!

Rosemari disse...

Rosemari C. Silva Como é bom rever minha infância minha adolescência minha juventude mas o bom mesmo é rever as pessoas que fazem os comentários que tantos anos não vejo que estão bem e lindos isso é gratificante amigo .Obrigada.

Aglair disse...


Aglair Kertischka Bom dia feliz e abençoado sábado pra você e toda sua família linda,rever é viver parabéns pelas suas belas postagem Deus abençoe sempre.

Angelita disse...

Angelita Weege Saudades desse tempo. Ali tinha casa com o Periquito. Quando eu e minha amiga Márcia íamos pro jardim. Sempre conversávamos com o Periquito.

Maria da Glória disse...


Maria Da Gloria Vinotti O que foi felicidade ....nós mata agora de saudades ...velhos tempos ..Bello dias

Itelvina disse...

Itelvina Lucia Malheiros
Quantas memórias.!
Inesquecível pra mim, voltei ao passado...
Gratidão Adalberto

Catarina disse...

Catarina Tecla Mistura
Só tenho a agradecer por você sempre nos fazer lembrar de um passado bonito...

Sérgio disse...

Sergio Da Costa
Eu fui um dos que compraram as casas da vila operária na rua da glória. Era na rua Riachuelo 141. Mais tarde fiz uma reforma total e depois casei e fui morar noutro lugar. minha irmã que cuidava da minha mãe ainda mora lá.

Eliane disse...

Eliane Day
Saudades desta rua, com estas casas aconchegantes.
Lembro que de tempos em tempos vinha um senhor pintar a casa. Não lembro o nome, mas era uma pessoa feliz, assoviava enquanto trabalhava. Essa alegria ficou gravada na memória.

Isaias disse...

Isaias Blumenau
Boas lembranças. Nasci ali no número 200 da rua da gloria. Os vizinhos de toda região, eram pessoas maravilhosas.

Catarina disse...

Catarina Tecla Mistura
Época em que todos vizinhos se conhecia e era muito legal, eu morava na Rua Belo Horizonte e passava todos dias para ir trabalhar na E. I. Garcia, mas tinha tios que tiveram suas casas ai e muitos amigos. Bem mais tarde compramos o número 200 da Rua da Glória que até hoje e nosso. Mas sempre fica aquela boa lembrança, que se tinha em um passado onde todos se conhecia.

Luis disse...

👏Luis Álvaro Massaneiro
número da nossa casa era 174 nos éramos vizinho do Sr.fernando costa na direita e do Sr. Silvio Oliveira na esquerda.me lembro dos nomes tds as 10 casas de frente para a rua da glória.vilmar Correia...ze Oliveira...sr.zeca...silvio Oliveira...edelui massaneiro...fernando costa...sr.izidoro...atanacio Moritz...sr.adriano...ernesto Oliveira.

Silvana disse...

Silvana Cristina Brockweld
Qta mudança... assim como em tda Blumenau. Faz parte. Mas a lembrança dessa época da antiga r da Glória continua viva nos corações dos moradores

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...