“A Educação é a base de tudo, e a Cultura a base da Educação”

Seja bem-vindo (a) e faça uma boa pesquisa.

sábado, 20 de novembro de 2021

- As digitadoras

Digitadoras da Empresa Industrial Garcia/Artex atrás das máquinas de cartões perfurados, em 1975. No Carnaval era comum levar os picotes dos cartões para jogar no lugar dos confetes. Da esquerda para a direita a equipe do Centro de Processamentos de Dados (CPD): Fátima, Ana, Roseli, Elizete, Teresinha, Vera, Lea , Neuza e Edete. (Foto: Arquivo de Adalberto Day e Teresinha Zimmermann).
Publicado no Jornal de Santa Catarina - Segunda-feira 28/09/2009, coluna ALMANAQUE DO VALE do jornalista Sérgio Antonello

Disketes
(Foto 1)Sala de controles Zenir, Bromildes T. Cestari , Luiz - (Foto 2) sala de Programadores, Valmir Maestri, Claudir Boos, Marlen , Sérgio Costa, Renato Krambeck, e no terminal Márcia. Fotos Edete de Oliveira.

Depoimento de Teresinha Zimmermann:
Nós digitávamos os cartões, depois eram levados para outra sala, onde era feita a conferência dos dados. A caixa de cartões continha 2000 cartões, e no início as máquinas só perfuravam, e não imprimiam os caracteres em cima. E um dia, alguém deixou cair no chão à caixa de 2000 cartões já perfurados. Imagina o trabalho que deu para colocar na ordem que foi digitado. Tínhamos que saber toda a combinação dos furinhos, por exemplo: Zero e um correspondia à letra A, zero e dois a letra B, e assim por diante. Cada combinação de furinho era um caractere.
Mais tarde veio às máquinas perfuradoras que além de perfurar, imprimiam os caracteres acima. Isso era uma grande evolução pra época. Ficamos muito felizes com isso, porque se um cartão se extraviasse da ordem era fácil de colocá-lo no lugar novamente.
Até hoje mantemos a amizade com algumas dessas da foto. Nós namoramos, casamos, tivemos nossos filhos, mas a amizade continua.
Na década de 90 fizemos um encontro de toda turma que trabalha na Artex no CPD. O encontro foi lá na Associação da Hering. Foi muito emocionante, porque nós nos encontramos depois de 25 anos mais ou menos. Havia alguns que nós nem conhecia mais, outros não haviam mudado tanto. Éramos uma turma muito unida, passamos muitas emoções juntos, mas a rotina da vida distanciou a maioria. Nesse dia da foto, estávamos muito tristes, pois havia sido demitida a Maria dos Santos, que fazia parte de nossa equipe.
Terminal TVA 2830
Sérgio Pontaldi
Sala chamada de consistência de dados.
Não podia ninguém entrar lá, a não ser pessoas autorizadas. Nessa sala eram gerados os relatórios, as folhas de pagamentos, enfim, todos os dados confidências das empresas. A temperatura era muito baixa lá dentro.
Arquivo de Teresinha Zimmermann e Adalberto Day

22 comentários:

Tere disse...

Foram momentos que marcaram nossas vidas tanto do lado pessoal quanto profissional.Obrigada pelo carinho Beto.

Vera disse...

Na foto 2, sala dos programadores, há uma pessoa não identificada "?". Ela é a Marlen e, se não estou enganada veio da Suécia para trabalhar na Artex.

Martinho disse...

Martinho Roberto Siegel
Lembro bem, buscava os relatórios, os chamados ticket´s de produção e Ordens de produção do beneficiamento, pois trabalhava no PCP Central e era os chamados controles das CPUS da IBM com os dados armazenados em grandes fitas, muitas lembranças, onde a Artex vivia no auge de sua produção com grandes demandas mercado interno nacional e exportação.

Jadir Booz disse...

Jadir Booz
Lembro bem dos equipamentos do CPD, pois como trabalhava no chamado departamento pessoal da Artex, muitas vezes tinha que ir levar ou buscar documentos. Tive me irmão Jaime que trabalhou no CPD, bem como meu primo Reinaldo Nunes. Bons tempo.

Helcio disse...

Helcio Hermes Hoffmann
Trabalhei na HACO em ambiente assim. Tudo a seu tempo. Equipamentos gigantes com poder de processamento e armazenamento muito reduzidos.

Sérgio disse...

Sergio Cunha
Conheci bem o Sérgio Pontaldi. Década de 70 em diante, a Informática cresceu vertiginosamente, pois cada setor da empresa queria seus dados, de produção, estoques, etc. processados pelo computador central. Muito desenvolvimento e grandes aprendizados.

Carlinhos disse...

Carlinhos Guimarães
Nos anos 70, tive a grande satisfação de atender todas essas grandes empresas de Blumenau, muitas delas iniciando na computação ( começaram usando os serviços do Cetil, dos amigos Ingo Greuel e Décio Salles). Eu implantava e fornecia os formulários contínuos.
Viajava todos os meses de Curitiba para a região. Trabalhava na AGGS(Rio de Janeiro) e fiz boas amizades. Tempos inesquecíveis.

Paulo Boos disse...

Paulo Boos
Temperatura sempre fixa em 18 gráus e umidade relativa do ar controlada, bem baixa para não danificar as fitas magnéticas que armazenavam os dados.

Aldo disse...

Aldo von Wangenheim
O terminal IBM 3270...aprendi a programar num destes no início da década de 1980. Virávamos madrugadas na UFSC pois não havia terminais suficientes para todos os alunos e, para fazer um trabalho, às vezes só entre meia-noite e 4 da manhã...muitas vezes tivemos de sair pela janela pois o guarda havia trancado o prédio todo...

Andreas disse...

Andreas Gielow Koelbel
Trabalhei na Cobra computadores na segunda metade dos anos 80. E lembro de dar manutenção nessas unidades de fita e nas impressoras de linha desse CPD. O modelo do mainframe que havia na Artex era um IBM 4381

Carlinhos disse...

Carlinhos Guimarães
A maioria das empresas iniciou os serviços em equipamentos eletrônicos pequenos, como por exemplo o modelo L 2000 da Burroughs e o Cobra. Aí processavam a emissão de N.fiscais, folha pagamento entre outros. Após, partiam para o computador propriamente dito e um dos modelos mais usados era o IBM /3.
Lembram?

Adalberto Day disse...

Yara Marquetti
CPD lembranças boas da nossa época tempos felizes com certeza

Fernando disse...

Fernando Fiuza Lima
Iniciei a minha vida profissional, na Sharp, em 1974, em SP. Este console, tinha 256 kb , considerado de alto armazenamento de dados e tecnologia de ponta. Imagino que nos próximos anos, serão nossos olhos e o arquivo será cerebral.

Marilza disse...

Marilza Gaygnett
Já trabalhei com salas assim, nestas " pequenas caixas"!!!!! Num curso de 6 meses com a IBM, em Florianópolis..." Modernização" das folhas de pagamentos dos professores do estado.

Catarina disse...

Catarina Tecla Mistura
Não trabalhei na Artex, mas como vizinha e dona de comercio, escutava muito sobre essa sala, e sobre a temperatura e outras sobre o C P D. Bons tempos , que faz a gente voltar a um passado gostoso!

Giuberto disse...

Giuberto Brito
Só Fera, lembro do Tomio e do primeiro micro computador.
Usavam o programa lótus 123.

Helcio disse...

Helcio Hermes Hoffmann
Blog Adalberto Day verdade, com mais um detalhe, nada era gráfico, sem com.
Trabalhei alguns anos na operação, tenho um registro destes, um dia publicarei. É ótimo lembrar, daria para escrever um livro sobre este assunto.

Jaime disse...

Jaime Marcos Dietrich
Muito semelhante ao primeiro Centro de Processamento de dados da Furb que tinha um Univac 920, onde gravávamos os programas e dados em cartões perfurados.

Sérgio disse...

Sergio Da Costa
Trabalhei no CPD da Artex de 1973 a 1978 como programador e analista. Tempos bons de muito trabalho inovador e de boas amizades.

Anônimo disse...

Sergio Da Costa
Blog Adalberto Day muito obrigado pelas lembranças e referências. Tenho também uma admiração grande por você e lembro bem de nosso tempo de infância e juventude. Um grande abraço

Sergio disse...

Sérgio José Tomio
Eu costumava almoçar com o Pontaldi (foto) - rapaz conversador, contador de muitas histórias, eu gostava muito dele. Lembro bem desta sala, Sibéria - foi lá que conheci o Ronei por volta de 83-84. Ronei Lima Cascaes, um geniozinho da época, que não sentava na cadeira, ficava ajoelhado, roendo as unhas e coçando a cabeça cabeluda. Eu ia pedir ajuda nas coisas que eu fazia nos meus micros (algoritmos de pequenas aplicações - ele ajudava xingando). Depois virou meu sócio por 18 anos na ProWay, grande pessoa! Maestri (Peninha), Kano (trabalha comigo há mais de 20 anos), Neto (que cruzei anos depois e fizemos coisas juntos), Renato, minha equipe no CPD (Batista, Danilo, André...). Saudades. Sérgio Luiz Schaefer, nossa feijoada!

James disse...

James Zimath
Parabéns pelo trabalho, trabalhei no período de Janeiro de1972 a Agosto de 1979, no Depto. de Custos com Max Walters e Ivan Correia, ambos já falecidos.
Tempo bom que não volta mais.
Abração e felicidades.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...