"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

- General alemão visita 23 BI

  Foto e edição : Luiz Ricardo Dalmarco

General alemão visitando batalhão do Exército em Blumenau
  Recentemente deparei-me com esta interessante fotografia (não datada) da visita de um general alemão ao quartel-general do então 32º Batalhão de Caçadores (hoje 23º Batalhão de Infantaria) em Blumenau, Santa Catarina.
Realmente, a presença de um general alemão entre oficiais brasileiros numa fotografia foi algo que me deixou extremamente curioso, e imediatamente pus-me a analisar a foto para descobrir mais detalhes.
Tendo em vista que o batalhão de Blumenau foi fundado por decreto ministerial de 31 de dezembro de 1938, e o rompimento de relações com o Eixo se deu em janeiro de 1942, estabeleci uma janela temporal bem rapidamente. Restava agora dar uma olhada melhor naqueles oficiais...
E olha só que grande surpresa!
A celebridade que se encontra à direita do general alemão é justamente o então Tenente-Coronel Floriano de Lima Brayner – que em 1944 se tornaria o Chefe de Estado-Maior da Força Expedicionária Brasileira – e que comandou o 32º BC em Blumenau de janeiro de 1940 até janeiro de 1941.
Pronto! Eu tinha agora uma janela ainda menor de tempo para datar a fotografia. Mas ainda restava a questão maior: quem era aquele misterioso general alemão? Talvez um adido militar?
Após alguma pesquisa e consulta a alguns amigos, a resposta finalmente apareceu!
Trata-se do Generalmajor Günther Niedenführ.
Tendo sido assessor especial do Comandante do Exército Alemão entre 1934 e 1935, ele passou para a reserva como Oberst em 31 de janeiro daquele ano. Contudo, em outubro de 1935, embarcou para a Argentina como chefe de uma missão militar de cinco oficiais alemães junto ao Estado-Maior do Exército Argentino, onde tornou-se conselheiro militar.
Nesta posição, Niedenführ recebeu a patente de Generalmajor em 1 de maio de 1939, e encerrou sua missão como conselheiro na Argentina em 30 de junho de 1940. Imediatamente, recebeu do OKW a nova missão de ser adido aéreo junto ao governo brasileiro no Rio de Janeiro, função que exerceu até 30 de junho de 1942, quando retornou à Europa. Lá, tornou-se inspetor de uma comissão econômica (Wirtschaftsinspektion Süd) junto ao Grupo de Exércitos Sul na União Soviética.
Generalmajor Günther Niedenführ (centro) e Ten. Cel. Lima Brayner (direita).
Günther Niedenführ aposentou-se definitivamente em 31 de dezembro de 1942, mas em 1 de julho de 1943 ainda recebeu a promoção a Generalleutnant.
Após a guerra, ele emigrou para a Argentina, vindo a falecer em Vicente López, na região metropolitana de Buenos Aires, em 6 de setembro de 1961, aos 73 anos de idade.
Bom, disso tudo o que podemos concluir?
A foto provavelmente foi tirada no mês de julho de 1940, durante o deslocamento de Niedenführ de Buenos Aires para o Rio de Janeiro. Neste percurso, passou por Blumenau e foi recebido por Lima Brayner na sede do 32º BC.
Vale notar que naquele momento – mais precisamente no fim do mês anterior – os alemães haviam acabado de conquistar a França, e a presença de um oficial-general do Exército Alemão era extremamente prestigiosa. Além do mais, eram altos os indicativos de que a guerra acabaria dentro de pouco tempo, com a invasão da Inglaterra ou assinatura de tratado de paz entre os dois beligerantes.
Ufa, que história interessante existe nesta fotografia!

Texto enviado por LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA BARREIRA

10 comentários:

Paulo Roberto Bornhofen disse...

Que maravilha de resgate histórico. Agora, começo a entender de onde vem as "histórias" envolvendo Blumenau e a Segunda Guerra Mundial. Não são tão fantasiosas assim, rssss.

Abraços,

Paulo

Allan disse...

Bom dia
Mais uma curiosa passagem na nossa história ! Muito bom , já encaminhei para alguns conhecidos.
Abraço
Allan

Curt Heise disse...

0lá Bom Dia! 0brigado pelo envio da foto que mostra a visita de um gal. alemão ao então 23 BI. Eu nunca entendí o porque da entrada do Brasil na guerra contra a Alemanha. Nós sempre fomos um povo pacifico e creio que fomos arrastados pelos americanos. Estra história de submarinos alemães terem torperdeados navios mercantes brasileiros, é dificil de acreditar. Afinal, a marinha alemã deveria ter outras pioridades do que deslocar seus submarinos além de 10 mil kilometros, para afundar navios mercantes brasileiros. Para concretizar uma empreitada destas, haveria a necessidade de se instalar uma base para reabastecimento etc., e se esconder debaixo dágua por quanto tempo? Abrs. Curt PS. quando começou a guerro eu contava com 11 anos e quando terminou, com 17.

Heinrich Luiz Pasold disse...

Belo e interessante resgate. Parabéns. Assim a história deixa de uma só visão.

Rubens Heusi disse...

Muito interessante este registro mas não é de admirar pois Blumenau,na época,tinha um forte laço com a Alemanha o que,posteriormente,demandou em verdadeiras humilhações a certos moradores daqui.

Claus disse...

Muito interessante Adalberto. Obrigado por compartilhar.


Abs, Claus Jensen

Djalma Fontanella(sde Anapolis, Go) disse...

Esta postagem é para os amantes da História. Belesa de reportagem.

César disse...

Boa noite Adalberto, tudo bem?

Fiz uma pesquisa sobre blogs de Blumenau no google e acabei conhecendo o seu.
Gostei muito da qualidade do seu trabalho. Parabéns!

Eu e minha esposa estamos lançando, a partir da próxima segunda-feira, o site chamado Mulheres de Blu. Será um site focado para as mulheres de Blumenau e região e envolverá o universo feminino, seja em moda, beleza, saúde, casa & decoração, cultura, etc. Nós fizemos parcerias com pessoas especializadas em cara área para que escrevessem pra gente.

Uma das coisas que sempre pensei, desde que bolamos a ideia do site, foi em ter um espaço no site para as mulheres blumenauenses que se destacaram, seja como empresária, esportista, religiosa, etc. E, como historiador, o senhor nos traria essas valiosas informações para que adicionássemos no site. O foco principal do nosso site é passar informação.

O que o senhor acha da ideia?
O senhor pode visualizar o site ainda em construção no endereço www.mulheresdeblu.com.br/off

Caso o senhor tenha ao menos achado interessante a ideia, eu gostaria de uma oportunidade de poder lhe mostrar melhor o projeto. ok?

Um forte abraço!

César

HELMTRAUT BÄRINGER disse...

veja algumas fotos do meu blogger Genealogia Behringer segunda guerra mundial. Tem algumas fotos que são do meu pai que serviu o exercito no ano de 1937.

Walter disse...

Bom dia de domingo prezado Adalberto,
Encontrei esta foto procurando uma do Quarte Gal. do 2º Exercito quando este era situado em 1956 na rua Conselheiro Crispiniano no Centro de S. Paulo próximo ao Teatro Municipal.
Como militar ali servi em 1956 e não consigo encontrar uma foto daquele tempo.
Meu nome: 2º Sgt. Ref. Domingos Walter Ramazíni Arruda - natural do Jaçanã na SP Capital
meu email: walterdearruda@gmail.com Residindo na cidade de Valinhos a Terra do Figo Roxo.

Em 1944 durante a Guerra eu com 7 anos morava em Guaiaúna bairro ao lado do bairro da Penha e munido do cartão de racionamento eu ia às 4:30 hs. da madrugada enfrentar a fila do Pão que já estava longa para levar pra casa um pão ou bengala de água cascuda e deliciosa feita com um pouco de fubá e a padaria se chamava S. Pedro. Coincidentemente na minha segunda casa que resido a Padaria tb se chama S. Pedro mas fechou recentemente.
Obrigado por sua atenção nem preciso dizer sobre a historia de nosso Pais lendo as Atas dos Livros de Anais dos Jesuítas ou imaginando a fundação da nossa primeira cidade do Brasil em 1531 a cidade de S. Vicente, destruída em 1542 por um maremoto e reconstruída a seguir. Dela primeira ainda se conserva o marco histórico visível português e as ruínas abaixo à superfície. Grande Abraço de Walter!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...