"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

quinta-feira, 19 de julho de 2012

- A Casa do Comércio

A História da Casa do Comércio


Por "Zé Pfau" José Geraldo Reis Pfau
O menino da foto hoje grande publicitário em Blumenau, José Geraldo Reis Pfau.

Cronologia
1907 – Em 02 de setembro era fundada a Sociedade Evangélica de Senhoras de Blumenau.
1922 – Iniciada a construção de uma maternidade, sendo que o projeto desenvolvido tinha como objetivo evitar o caráter de um hospital e sim de uma confortável residência na qual as parturientes podiam receber cuidados antes do parto.
                    Imagem - Comerciante e Cineasta Willy Sievert
1923 – Inaugurada em 30 de setembro, a maternidade recebeu o nome de “Johannastift” em homenagem à senhora Johanna Hering que havia doado o terreno.
1931 – Uma ampliação agregou mais uma dependência (torre) à construção, seguindo as características do projeto anterior.
1951 – A maternidade é transferida para um novo prédio no dia 16 de setembro, construído na Rua Pastor Stutzer, quando recebeu o novo nome de “Elsbeth Koehler”. Surge o Hotel Alameda (“Harry Züge”).
1968 – O Sr. Antônio Pedro Nunes, diretor da Turismo Holzmann, adquire o "ponto" do então Hotel Alameda.
1969 – O mesmo inaugura o estabelecimento que marcou o início dos restaurantes típicos de Blumenau, o "Zum Weissem Röessel" – mais conhecido como Cavalinho Branco. Com música ao vivo e pratos típicos, encanta os turistas que visitam Blumenau.
1970 – Instala-se no primeiro andar do prédio a empresa Turismo Holzmann.
1983 / 1984 – Após as grandes enchentes que atingiram Blumenau, o prédio sem condições de habitação permanece fechado durante muitos anos.
1996 – Um grande incêndio atinge o Edifício Catarinense, sede das entidades do comércio CDL e Sindilojas, que procuram identificar um novo local para se instalarem.
1998 – As diretorias das entidades resolvem recuperar com recursos, através da Lei Rouanet (nº 8.313, de 23 de dezembro de 1991), a “Johannastift”. Neste mesmo ano já inicia o projeto da obra de restauração da Casa do Comércio.
2003 – No dia 09 de maio é realizada a tradicional “Festa da Cumeeira”, que marca a conclusão das obras do telhado da construção.
2006 – Com um aporte de recursos, através do Fundo Estadual de Incentivo ao Turismo (FUNTURISMO), a obra finalmente pôde ser concluída.
Imagem: José Geraldo Reis Pfau
2007 – A Casa do Comércio é inaugurada com um grande evento realizado nos dias 13 e 14 de junho.

                                   Cavalinho Branco


Cavalinho Branco "ZUM WEISSEN ROESSEL", restaurante Sua inauguração é 1969.  No início e por longo tempo, o seu ponto alto, foi o ótimo prato húngaro - o GOULASH autêntico, regado com molho picante de páprica, uma delícia. Também o HACKEPETER era bem preparado, além dos marrecos recheados ao forno, acompanhados de repolho roxo especial, naquela época quando ainda não havia supermercados e  nem a oferta dos marrecos recheados congelados industrializados. Havia outro prato que sumiu dos cardápios atuais, era o MAETJES - legítimo “Hering" com nata salgada e cebolas, ou seja ARENQUES CRUS ( Não sardinhas, pois  Hering não é Sardinha e sim Arenque, peixes diferentes e de sabores muito distintos) tratados em vinagre e gelados  -  um manjar dos deuses, era produto importado ´, em barricas, da Dinamarca e que lá é servido acompanhando o  famoso ¨SMOEGASBORD¨, E como relevante a bandinha de música (Rigo) que, com o passar do tempo, tomou o nome de Banda Cavalinho Branco.
 A Imagem mostra o antigo restaurante Cavalinho Branco em Blumenau. Foto Carlos Damião
 Muito poderia ser dito como generalidades daquele restaurante, tal como a fileira de mesas com bancos dotados e encosto que as separavam.
Sei que, o restaurante, iniciou com dois sócios, um dos quais ainda vive, mas que agora me foge o seu nome, porém vez por outra o vejo na rua XV. Talvez seu nome seja " Bittelbrunn,"  contudo não tenho certeza
Os turistas ficavam deslumbrados  e em muitas oportunidades os percebi de queixo caído, com o ambiente, a música, a comida e o serviço e  garçons com roupagem típica.
O Sérgio Murad - Beto Carreiro - era seu freguês de caderno nos anos 1975/1976, e certa vez com ele estavam todos os primeiros componentes dos "Trapalhões", com exceção do Muçum.
Arquivo de  Dalva e Adalberto Day
  O Cavalinho Branco foi idealizado  pelo Antonio Nunes. Depois foi vendido,  algumas vezes. O período de enchentes de 1983/84 devem ter colocado uma pá de cal no sucesso,  - finalizou as atividades mesmo em 1995 .
O período de maior sucesso do estabelecimento foi na participação da função de divulgar junto com: o Moinho + Barril de Ouro + Frohsin - nossos restaurantes típicos + Chopp + marreco + musica ao vivo.... numa época em que Blumenau se posicionou como líder absoluto  no mercado turístico catarinense e referencia no turismo rodoviário nacional.
O prédio se localiza  na esquina da Rua 7 de Setembro e Alameda Rio Branco, 165.
Colaboração José Geraldo Reis Pfau/publicitário em Blumenau /Niels Deeke Memorialista em Blumenau
E mais:
Moinho do Vale

6 comentários:

Ademar disse...

Muito bom rever e relembrar a historia da nossa gente....

Abraço

Ademar Lingner
________________________________________

Ricardo disse...

Amigo Adalberto! Parabéns pela excelente matéria da Casa do Comércio. Saudações e boa semana, Ricardo Brandes

Flavio Monteiro de Mattos disse...

Amigo Adalberto,
Ótima postagem com o Pfau contando a história da Casa de Comércio. O prédio esteve sempre nas minhas lembranças, desde quando era a Maternidade até os "anos dourados" do Cavalinho Branco, onde por ali tembém desfilavam as "sereias" blumenauenses!
Abraços do Flavio Monteiro

André disse...

Meu querido amigo Adalberto!

Lembro bem da época do Cavalinho Branco e do Turismo Holzmann. Meus avós residiam ali eprto, na Rua Lauro Müller, uma transversal da Alameda, quase em frente ao GE Olímpico.

Bons tempos!

Saudações AvAiAnAs!

André Tarnowsky Filho

ET: Estamos na torcida por tua plena recuperação. Chegaste a assistir ao jogo do Vasco da Gama ontem? Um baile! Saiu barato para o São Paulo...

Osmar Hinkeldey disse...

Bom dia Adalberto

Muito interessante a ordem cronológica e histórica da Casa de Comércio feita pelo autor.
Anoto apenas algumas informações complementares, como por exemplo.
A inauguração desta casa em 30/09/1923 quando era a Maternidade "Johannastift" foi proposital nesta data, tendo em vista ser o dia de aniversário de Johanna Hering, que fez a doação do terreno para a obra.
Os anos de 1938 a 1947 em razão da II Guerra Mundial, foram anos de silêncio, as instituições eram vistas com suspeita, mas o trabalho fiel e consciencioso das irmãs na Maternidade continuou.
Em 2002 foi assinado um contrato de arrendamento (ou comodato) com setores do Comércio de Blumenau, a CDL e o Sindicato Varejista de Blumenau, que coordenaram a restauração do prédio e a construção do anexo.
Fonte: Centenário SESB - 1907-2007
1a. edição, agosto 2007, Gráfica e Editora Otto Kuhr Ltda, Blumenau.
Abraço

Guto Oliveira disse...

Bom dia, Adalberto. O meu pai foi sócio do Restaurante durante a primeira grande enchente (1983), vindo a vende sua parte na sociedade no ano seguinte, antes da segunda grande enchente. Posso afirmar que o Restaurante ficou fechado somente por um breve período para higienização e limpeza, sendo que abriu normalmente ainda no ano de 83. No ano seguinte ocorreu a mesma coisa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...