"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

segunda-feira, 9 de maio de 2011

- Botafogo

Cantinho da Saudade
Botafogo de Jaraguá do Sul
Crônica de Adalberto Day*
A infância :
Na minha infância, a maioria das ruas dos bairros da cidade de Blumenau não eram pavimentadas. No Vale do Garcia, somente a Rua Amazonas possuía pavimentação, concluída no início dos anos de 1960. Poucos carros circulavam por essas ruas. O transporte mais utilizado era a bicicleta e até carroças. Morávamos em uma transversal da Rua da Glória, na Rua Almirante Saldanha da Gama. Como nossa rua, todas as outras eram de chão batido, com exceção da Rua Amazonas. As ruas eram palcos de nossas brincadeiras, com a bicicleta, jogar pião, trocar figurinhas e gibis, ouvir músicas e jogo de seu time preferido. Porém eram brinquedos quase que exclusivamente de meninos. As meninas pouco se aventuravam a jogar pião, Bibloquê (nome correto Bilboquê), Pesca ,Gaiolas, Bolinha de gude (Kilica), atirar com uma funda (estilingue), Aviãozinho, Tênis de mesa (Ping-Pong), ou jogar futebol no morro ou campinho do “12”. As meninas jogavam até vôlei, mas a preferência eram as bonecas, brincavam de amarelinho. Os meninos liam revistas do Esporte, Gibis, as meninas mais revistas de romances. Ambos iam assistir filmes no Cine Garcia, ou no Salão do Amazonas. Hoje muita coisa mudou, elas jogam futebol (e muito bem), vôlei, praticam atletismo e tantos outros esportes.
A imagem em retângulo  mostra a esquerda campinho do "12" e direita o Estádio do Amazonas já sendo aterrado em 1974. Ao centro o complexo Garcia/Artex na incorporação. Rua central Amazonas,a esquerda rua da Glória e acima rua Progresso.
- Jogar futebol com torneio, time com camisa contra time sem camisa O dono da bola era chamado para casa pela mãe, acabava o jogo.
Já na fase adulta, joguei futebol por diversas equipes da região: Amazonas ,Glória, Estrelinha, Horizonte, Jordão e outros.
Por volta de 1978/79, eu jogava para um time da Rua Progresso de Blumenau. 
Foto Botafogo no Frigor "Cia Jensen"
Nesse time tinha um jogador chamado Carlos Rosa (Pedreiro) nascido em Jaraguá. Sua família permaneceu na cidade e seu pai na época era um dos colaboradores do clube Botafogo. Através do Carlos que era nosso centro-avante, marcamos um jogo com o Botafogo em seu pequeno e acanhado mais belo estádio.
Foi um domingo à tarde. Reunimos o pessoal, convidamos o Sr. Machadinho (Oliveira) para nos levar e outros que possuíam carros.
Chegando a Jaraguá, fomos direto ao estádio e sede do clube Botafogo, onde fomos recepcionados pela família do Carlos Rosa.
Vimos à bela organização desse querido clube, e a dedicação de seus jogadores em campo, lutando lealmente pela vitória. O Jogo começou em fase de estudos, de ambos os lados. Creio que próximo aos dez minutos sofremos o primeiro gol, muito comemorado pela torcida local que vibrava com seu glorioso Botafogo. Empatamos no final do primeiro tempo com gol meu de cabeça (minha principal especialidade), em uma cobrança de escanteio efetuada por Jorge Luiz Dias (Jorjão). Como os jogadores locais não conheciam meu forte cabeceio, se tornou um gol fácil e que poderia se repetir no segundo tempo.

Encerrado o primeiro tempo com igualdade no marcador em 1x1, as equipes foram para o intervalo tentando se e reestruturar para o segundo tempo.
Nessa a equipe Botafoguense se deu melhor, Seu treinador mandou um zagueiro de estatura maior que a minha, ficar de olho nas bolas alçadas na área. Surtiu resultado, praticamente não tive mais chance de cabecear durante todo o segundo tempo.
Nosso time não se acertou mais em campo, e logo sofremos dois gols, passando o placar para 3x1 para o Botafogo.
Quase no final do jogo em tentativa de descontar, partimos para tudo ou nada. Em uma arrancada pela direita Carlos foi derrubado na área e foi marcado pênalti. O Batedor de Pênaltis, como de faltas próxima a área, era por mim executado. Porém este pênalti eu não cobrei, estava sentindo fortes dores no joelho, e preferi não cobrar. Quem bateu foi Moises Pinto, que converteu. Moises um jogador talentoso de habilidade sem igual, estilo Falcão, de cabeça erguida e bola no chão. Pressionamos até o final mas, o Botafogo muito bem armado e fechadinho garantiu o resultado final: Botafogo 3x2 Progresso (Sparrago) de Blumenau.

Nosso time atuou com : Alemão Heiden, Ademir Gool, Osmar Pinto, Silvio Garcia e Calinho Pinto; Déco Cunha, Beto Day, e Moises, Jorjão Dias, Sérgio Hank, Carlos Rosa. Atuaram também : Sergio Mohr, Altamiro Cardoso (Miro}, Luiz Carlos Dias, treinador Odilmar Mohr o Parobé.
Joguei também no campo Juventus e Baependi, mas escolhi este jogo para minha narrativa pois perpetua em nossa memória.
*Adalberto Day/ cientista social e pesquisador da História em  Blumenau

7 comentários:

Pedro disse...

MUITO LEGAL A REPORTAGEM SOBRE O BOTAFOFO PARABÉNS GRANDE ABRAÇO AMIGÃO..............

Ademar Lingner disse...

Bom dia Beto!!
Como é bom encontrar pessoas que ainda cultivam uma memoria tão valiosa, agradável e sadia como essa, relembrando um passado, e tão bem documentado. Jogos de futebol naquela época, seguramente era a maior e melhor diversão. A foto do campo do saudoso Frigor E.C, palco de grandes atrações e encontros futibolísticos na região da Itoupava Central, e que hoje, leva o nome de Estádio Guilherme Jensen. Parabéns pelo ótimo trabalho!!!!

Ademir disse...

Grato,
parabéns pelo texto e a bela imagem fotográfica de época. ando afastado um pouco da blogsfera, em virtude do livro do Botafogo e da cidade de Schroeder....segue anexo convite...da minha festa de Rei ....
Abraços,
Ademir

Osmar Hinkeldey disse...

Boa tarde Adalberto

Belo texto que escreveste, resgatando as brincadeiras da infância, mas principalmente pela tua participação no time do Progresso; foi legal trazer esta memória.
Abraço

Severo disse...

belas lembranças amigo.
abraço do
Antunes Severo

Santos disse...

Oi Beto.
Agora esta explicado porque o amigo expõe tantas passagens relacionadas com futebol, O amigo era um craque no assunto e esse tempo, logicamente, sempre trás saudades. Eu também sempre senti saudades do remo, pois atuava em Floripa no Riachuelo. Quando cheguei aqui em Blumenau, o America já estava indo mal. Tudo bem. São reminirando, e não me animei. Quando vi a menção ao nome BOTAFOGO, imaginei tratar-se do Botafogo carioca. Não conhecia o de Jaraguá do Sul. Tudo bem. A final são agradáveis reminiscências.
Um grande abraço.
Eutraclinio A. Santos

Valdir Appel disse...

Eu já sabia.
Ninguém disserta com tanta facilidade sobre o tema futebol, sem te-lo praticado com maestria.
Parabéns, mestre.
Abraçoamigo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...