"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

- Clube Náutico América

Nosso Remo  forte antes e agora
- 90 Anos de História -
História:
Nosso querido e tradicional C.N. América foi fundado em 20 de outubro de 1920 e desde então acumula grande números de títulos, na atividade do REMO, como o de campeão sul americano, campeão brasileiro, estadual e até títulos internacionais.
A iniciativa de fundação deste tradicional clube, partiu do Juiz de Direito Amadeu da Luz a partir de 28 de março de 1920.
O Clube tradicional de Blumenau está em uma luta incansável para resgatar sua história brilhante e retomar com tudo no Remo esportivo não só de Santa Catarina, mas de Brasil.
Nacionalmente foi incansável adversário de famosos como os Clubes de Regatas do Rio; Flamengo, Botafogo Vasco da Gama, São Cristovão e (outros de outros estados) e em Santa Catarina dos ( Clube de Regatas Aldo Luz (1918) e Clube de Regatas Francisco Martinelli - (1915) Clube Náutico Riachuelo - (1915)) de Florianópolis. As atividades esportivas no Rio Itajaí Açu sempre foi um programa de final de semana dos blumenauenses. A presença de remadores na raia do Rio quase todos os dias acontece até hoje.(graças a incansável capacidade de seus dirigentes na manutenção desta atividade)
Fundos da Sede do Clube Náutico América, onde hoje ergue-se o esqueleto de concreto do prédio inacabado. As janelas abertas davam para o Rio Itajaí Açu 1951.
Imagem por volta de 1930 Mulheres com a Bandeira Brasileira a (E) e
bandeira suástica a (D) Foto: Sérgio da Silva
Além das atividades esportivas, o Clube Nautico América, em boa memória, foi uma das nossas importantes sociedades na metade do século 20, que proporcionou grandes bailes e alegres e movimentados eventos (foto do Carnaval de 1935). A Sociedade blumenauense frequentou alegres tardes e noitadas com as atividades no clube cuja privilegiada localização lhe proporciona a proximidade ao porto, praça Hercílio Luz (hoje Biergarten) e frente a majestosa vista para a Rua das Palmeiras, uma das espetaculares e tradicionais atrações da cidade.
Regata em 1927 - Imagem Sérgio da Silva
Da (E) para (D) Não identificado, Nilton Russi , Rumbeira da Orquestra de Ruy Rey, Ruy Rey, Sebastião Cruz, presidente do Clube Náutico América
O Clube que honrosamente representou pelo Remo Blumenau está em uma luta incansável para resgatar sua história brilhante e retomar com tudo no Remo esportivo, orgulhosamente, não só de Santa Catarina, mas de Brasil.
A busca de um ideal para o Clube, provar que a modalidade de Remo e um esporte olímpico e que é viável em Blumenau, devido a diversos fatores, material humano, um rio espetacular para treinamento que em poucos lugares do Brasil temos um Clube tão bem localizado para treinamento.
Um povo hospitaleiro e guerreiro, temos que honrar os nossos antepassados. Uma sede que dê condições dignas á estes bravos atletas e dirigentes.
Ata de Fundação
Em outubro do ano de 1920 um grupo de rapazes, tendo a frente João Kersanach, idealizaram a fundação de uma agremiação náutica, com o aproveitamento do Rio Itajaí-Açú que corta a cidade de Blumenau, para a pratica do saudável exercício do Remo.
Remadores nas ioles, fundos da Praça Hercílio Luz, Porto Fluvial.
Aos fundos se vê o lendário Hotel Holetz -1952
Foi escolhido um barracão existente atrás da velha prefeitura municipal no Ribeirão Fresco, servindo ao mesmo tempo de sede, sendo transferido mais tarde para um outro barracão no local onde hoje se encontra a nova construção de dois pavimentos.
Os fundadores são: João Kersanach, Roberto Baier,Antônio Cândido de Figueiredo,Adolfo Wollstein, Paulo Grossenbacher, Victorino Braga, Carlos Souto, Cláudio Buechler, Alfredo Buechele, Edmundo Pozer, Oto Abry, Arnoldo Kumm, Reinaldo Phlmann, Walter Berner e outros.
No dia 7 de setembro de 1921 foi realizado o batismo dos tres primeiros barcos, sendo as Yoles "NAHYD", "Nina" e "Luz".Tendo aumentado consideravelmente o quadro social, e o entusiasmo pelo remo, urgia a instalação de uma nova sede com conforto ee higiene. Não estando o Clube a levantar um empréstimo, o saudoso Victor Hering ofereceu-se a custear a construção, tendo havido a festada cumieira em agosto de 1932. O Clube Náutico América já foi o centro polarizador da Sociedade Blumenauense , com seu salão de danças, servindo para eleições e convenções bem como abrigo dos flagelados atingidos pelas enchentes.
Praticou-se também o Bolão e o Tiro , e a Natação.
Presidentes do Clube Náutico América:
- 1920 a 1929 = João Kersanack
- 1920 a 1930 = Roberto Grossenbacher
- 1930 a 1931 = Leonardo Petrelli
- 1931 a 1932 = Claudio Buechler
- 1932 a 1934 = Victor Hering
- 1934 a 1936 = João Medeiros Junior
- 1936 a 1938 = Alfredo Buechele
- 1938 a 1939 = Alfredo campos
- 1940 a 1942 = Victor Hering
- 1943 a 1944 = Anto V.Avila F.
- 1945 a 1945 = Adolfo Wollstein
- 1946 a 1946 = Acrisio Moreira da Costa
- 1947 a 1947 = Victorino Braga
- 1948 a 1949 = Pedro Reis Junior.
- 1950 a 1950 = Manoel Pereira Junior
- 1951 a 1951 = Hiundlmeyer Castro Pêra
- 1952 a 1960 = Sebastião Cruz
- 1961 a 1965 = Erico Muller
- 1965 a 1968 = J.C.Ubiratan da Silva Jotahy
- 1969 a 1970 = Guido Kranbeck
- 1970 a 1974 = Carlos Ubiratan da Silva Jothay
- 1974 a 1978 = Hans Jürgen Post
- 1978 a 1998 = J.C.Ubiratan da Silva Jotahy
- 1998 a 2000 = Rolf Kroesfeld
- 2000 a 03/01 = Rolf Kroesfeld
- 2001 a 2002 = Sérgio da Silva
- 2002 a 2004 = Sérgio da Silva
- 2004 a 2006 = Aléssio da Silva
- 2006 a 2008 = Sérgio da Silva
- 2008 a 06/09 = Rolf Kroesfeld
- 2009 a 2012 = Sérgio da Silva
- 2012 a 2016 = Rafael Burgonovo    
- 2016 a 2018 = Henrique Passold
Sebastião Cruz sendo entrevistado pelo então locutor Álvaro Correia.
Obs:
Localização Rua XV de novembro,74 fundos - entrada da cidade, o esqueleto cinzento do Edifício América deixa feia a paisagem do Centro Histórico. Assim está ali desde 1979 (O inicio das obras se deu em 1977)  para abrigar a sede do Clube Náutico América, a construção embargada - pelo MPF - Ministério Público Federal em Blumenau (SC) O MPF se baseia no Código Florestal, que estabelece como APP a faixa de 100 metros ao longo do Itajaí-Açu, impedindo qualquer construção. A demolição da antiga sede foi em 1972 e no ano de 1977 o inicio da construção do prédio inacabado.

Mai um capitulo da história da demolição do Ed. América.
O terreno foi doado pelo estado ao Clube Náutico América, em 1936 e desde lá essa novela vem se arrastando. O terreno doado é de 1408 metros quadrado.
Cronologia da vergonha estabelecia:
1936: A Assembleia Legislativa aprova que doa o terreno do Estado ao CN América de Blumenau.
1937: O titulo de concessão da área é homologado pelo Governador Nereu Ramos, e o CN América se instala no mesmo ano.
1962: É lavrada a escritura publica finalizando a doação do terreno e entregue a concessão ao clube.
1977: A RB Planejamento ganha a permuta para construir um prédio residencial. A obra começa mais é interrompida por ferir o Plano diretor e vira área de utilidade pública.
1985: Com o novo plano diretor, o projeto muda para um hotel com 18 andares.
1986: Recomeçam as obras do Ed. América.
1997: Por falta de verbas a RB Planejamentos paralisa as obras. A Itacolomi Incorporações Imobiliárias Ltda. Se interessa em investir no projeto.
1997 até 2006: A obra tem pequenos avanços na construção chegando aos 10 andares.
2007: Falta mão de obra na construção civil
2008: Ministério Público entra na justiça para que seja procedida a demolição do edifício, alegando que o prédio está em área de Preservação Ambiental. IBAMA pede o embrago da obra e a obra é paralisada.
2011: Dia 10 de outubro a ustiça Federal determina a demolição do Ed. América.
Podendo o processo de demolição durar até 6 anos.
_______________________________________
Quarta-feira 20/10/2010 Jornal de Santa Catarina
ARTIGO
Clube Náutico América, 90 anos de atividades Ao final da primeira década do Século 20, o Clube Náutico Marcílio Dias, de Itajaí, com o idealizador, doutor Amadeu da Luz, resolveu subir o Rio Itajaí-Açu com a intenção de criar uma nova sociedade recreativa e desportiva náutica. Essa ideia foi concretizada apenas em 1920, mais precisamente no dia 20 de outubro daquele, com a constituição do Clube Náutico América, instalado no início da Rua XV de Novembro, em Blumenau.
Tendo como fundadores João Kersanack, Roberto Bayer e mais alguns amigos, essa sociedade vingou, tanto social quanto desportivamente. Durante muitos anos, despontou com títulos e vitórias nas modalidades de natação e remo, revelando grandes talentos no esporte. Teve destaque também como clube social, onde a juventude curtia as matinés dançantes promovidas no amplo salão da sede do clube. Eleições também eram realizadas nas instalações do clube.
Logo, a vontade de reestilizar a antiga sede social, dando ares de modernidade e praticidade, foi colocada no papel. No entanto, devido a inúmeros obstáculos e problemas burocráticos, essa ideia foi barrada quando a antiga sede já não existia mais, e, em seu lugar, já havia uma nova edificação. O sonho da efetiva realização e concretização de uma nova sede ainda permanece, mesmo passados quase 40 anos.
Ainda assim, nutrido por muita garra, dedicação e perseverança, o América está novamente ganhando destaque no remo nos níveis estadual, nacional e também internacional. Não é porque não tenhamos uma estrutura adequada que desistiremos dos nossos ideais.
Por isso, estamos animados com a chegada dos 90 anos do clube. Agradecemos de coração a todos os atletas, todos os sócios e colaboradores, patrocinadores, membros da diretoria e àqueles que de alguma forma fizeram parte da história do Clube Náutico América.
Muito obrigado, Blumenau!
SÉRGIO DA SILVA
Presidente do Clube Náutico América
______________________________
Para saber mais acesse:
Arquivo de Sergio da Silva/José Geraldo Reis Pfau/Lauro Cordeiro /Luiz Henrique Pfau/Edemar Annuseck/Adalberto Day

14 comentários:

Hamilton disse...

Por gostar de todos os esportes e pelos 40 anos que moro em Blumenau, conheço um pouco da história do Clube Náutico América, claro que agora acessando ao teu blog estou muito mais informado, alias, sabia que o América era antigo, mas não que tinha 90 anos.
Certamente as águas do Itajaí Açu não eram tão poluídas como hoje.
Evidentemente que o Clube é conhecido nacionalmente, a exemplo de Aldo Luz e Martinelli.
Parabéns por mais este resgate, se eu fosse prefeito, você seria meu Secretário de Cultura e consequentemente acumularia também a presidência do arquivo historia.
Aposto que você não recusaria meu convite.
Abraços
Hamilton Antonio

Horst disse...

Puro show.

Saudações
Grupo Alpen Bach
Horst Spies

Anônimo disse...

Belíssima matéria sobre o América. Parabéns Adalberto, pela tua preocupação e valorização da história de Blumenau. 90 anos agora, mais 90 amanhã. Ótima iniciativa de divulgação mostrando que o clube existe, apesar de ter uma estrutura inacabada por conta dos tantos embargos do poder público.

Cao Zone disse...

Vendo a foto do grande "Ruy Rey" me lembrei do que contava meu pai, que por motivo de trabalho transitou junto ao grupo numa excursão por terras catarinense, na época o crooner era o hoje apresentador de tv Raul Gil; o grande sucesso "Mercê" (Ruy Rey e Rutinaldo) no YouTube existe um vídeo dessa canção que é um clip do filme "Aviso aos Navegantes"; as vedetes rainhas do rebolado: "Virgínia Lane", "Elvira Pagâ" e a "Ninon Sevilla" que também cantava. A "Rumbeira" da foto é de uma época anterior. Nesse tempo Ruy Rey já tinha atuado nas chançadas da Atlântida: "Carnaval no Fogo"; "Aviso aos Navegantes"; "O Petróleo É Nosso". Minha infância foi à base de vitrola já em som stereo, de LP 33,1/5 rpm com o Ruy Rey e sua Orquestra tocando em volume máximo: o boleto "Tu Solo Tu"; os mambos "Mambo Jambo" e "Mi Bongô"; a rumba "Bim-Bam-Bum"; e muitas outras. Desculpas por estar postando isso na materia sobre o "América".

Bachmann disse...

Beto,

Falar o que?
Isso tudo é fantástico, simplesmente genial.
Ainda bem que você existe.
Obrigado por nos fazeres recordar os bons tempos.
Um forte quebra ossos
Walfrido Bachmann

Anônimo disse...

O que seria Blumenau sem Adalberto Day?

Não é jogar confete, é reconhecer que ninguém antes trouxe à público tantos fatos relacionados às coisas da nossa cidade. Glórias a DEUS por isso. Muitas pessoas tem deixado seus comentários, ou por terem vivido esses períodos da cidade ou porque alguém da familia relatou. A história do Clube Náutico América é de muitas glórias nacionais e internacionais. Lamentávelmente seus 90 anos deixam para trás uma nefasta situação em relação ao Elefante Branco da rua XV. Isso é muito triste. Prá quem não sabe, na sede cuja foto vc estampa, também funcionou por muitos anos o Clube de Xadrez de Blumenau do qual participava meu sogro Alfredo Kindermann. E também o Curso de Dança do professor Afonso Lerche. Lá os blumenauenses aprenderam à dançar, inclusive eu. Espero que o governo municipal de Blumenau dê uma solução para o Clube Náutico América para que ele possa navegar em águas tranquilas com seu oito gigante, quatro com ou quatro sem, skiff, double skiff.
Ah em tempo: Endosso a manifestação do meu amigo botafoguense Hamilton Antonio: não é sem tempo que a Cultura de Blumenau precisa de Adalberto Day na sua Secretaría.

Saudações,

Edemar Annuseck
São Paulo - SP

Darlan disse...

@adalbertoday Pena q a maioria do blumenauenses não reconhece essa história e o valor dela p/ nossa vida esportiva... bom texto...parabéns!
Darlan J. Schmitt

Braga Mueller disse...

rezado Amigo Beto,

Sobre a matéria do Clube Náutico América, é bom recordar os anos em que os bailes, principalmente de carnaval, lotavam o salão com blocos de foliões.
A orquestra, mais confete, serpentina e lança-perfume (não era proibido), animavam o baile até a madrugada.
E havia também a apresentação de orquestras "de fora", como a de Rui Rey, cuja foto você estampou. O Rui Rey e seus músicos, inclusive as "rumbeiras" (que dançavam a rumba)apareciam em quase todas as comédias do cinema dos anos 50, filmes que ficaram conhecidos como "chanchadas".
Então, quando acontecia uma apresentação ao vivo deste pessoal, era muito legal. O que eu não sabia, e o nosso leitor Cao Zone, revelou, é que o Raul Gil foi "crooner" do Rui Rey.
Sobre as vitórias náuticas do América, dá para escrever até um livro.
Na relação de presidentes está lá um tio meu: Victorino Braga.
E a iole NAHYD (peço consertar, pois está "nhyde)foi uma homenagem a uma tia minha, que durante muitos anos teve uma loja na Rua 15 de Novembro com artigos para noivas,a "Casa Nahyd Braga", que por sinal, na época do carnaval, vendia lantejoulas para fantasias, confete e serpentina...para o pessoal que ia divertir-se no salão do América.
Veja como este clube esteve sempre nos corações de nós, blumenauenses.
Abraços
Carlos Braga Mueller

Melin disse...

Beto. Você fez boa referencia a este clube,pois cheguei a conhecer alguns remadores na década de 60,estive no hangar,isto é,o porão onde estavam as canoagens e a sala de musculação,na época falávamos halterofilismo.Tinha um amigo de nome d Paulo Nicoletti,trabalhou na Artex na sala do Sr. Honorato junto comigo ,foi ele que me levou para conhecer o Clube Náutico América.
Sei que o Paulo já faleceu,ele possuía um vigor físico ,pois fazia no clube a musculação.
Parabens pela reportagem.Valeu
Osni Wilson Melin

Santos disse...

Oi Beto, Obrigado pelo blog. Riquíssimo. Essa história do Clube Náutico América (saudoso), me trouxe muitas lembranças da juventude. Alcancei, da diretoria do mesmo clube, a partir do Antº Ávila, que era engenheiro da antiga Estrada de Ferro Sta. Catarina. Constam também ali, os seguintes nomes, todos meus contemporâneos: Roberto Baier, Antº Candido de Figueiredo, Adolfo Volstein, Paulo Grosenbacher, Victor Braga, CarlosSouto, Alfredo Buechler, Otto Abry, Arnoldo Kumm, e outros.
Como é bom lembrar isso tudo. QUando vi as fotos das ioles com os remadores, trouxe-me a lembrança de quando eu remava no Clube Hercílio Luz de Fpolis. Parabéns mais uma vez pelo seu precioso arquivo. Grande abraço
E.A.Santos

Prof. Wieland Lickfeld disse...

Olá, Adalberto. Em algum lugar tenho guardadas fotografias do meu saudoso pai com uniforme de remador. Pela frequencia com que ia ao CNA nas décadas de 1960/1970, creio que era lá que ele remou, talvez por breve período, na década de 1940. Porventura conheceu o Sr. Winkler, que tocava piano no CNA para deleite dos frequentadores de seu bar? Grande abraço!

Melim disse...

Beto.ao ver a foto da merenda,quero te dizer que fiz parte desta turma,esta foto é uma raridade que nos faz voltar aos bons tempos,onde a amizade e carinho um pelo outro,ainda existia
Parabens,pela reportagem.

Sylvio disse...

Parabéns pelo belíssimo trabalho! O clube Nautico América é um orgulho para a nossa cidade. O trabalho sério e árduo dos remadores e das diretorias do América são típicos de gente forte e determinada que constroem nossa sociedade. Parabéns pelo Blog, viva o América!!!

Samara disse...

Adorei!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...