"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

segunda-feira, 15 de junho de 2009

- Nereu Ramos : O Presidente catarinense de todos os brasileiros

- Nereu Ramos em Blumenau
O presidente Getúlio Vargas, acompanhado do interventor Nereu Ramos (Catarinense nascido em Lages, que depois foi presidente do Brasil) e grande comitiva, visita Blumenau a 10 de março de 1940, sendo alvo de calorosa recepção organizada pelo prefeito José Ferreira da Silva. No Teatro Carlos Gomes realiza-se um almoço com 600 convidados, quando Getúlio é homenageado com uma apresentação da Orquestra do Teatro, regidos pelo maestro Heinz Geyer, que executa o Hino Nacional cantado a oito vozes.
A inserção de Florianópolis na política do Estado Novo
Nas vésperas das eleições para governador do Estado em 1935 ocorriam boatos de que a polícia estadual iria intervir e que deputados seriam seqüestrados. Os eleitores de Nereu Ramos pediram abrigo no quartel das forças federais, dali saindo para a sessão realizada sem a presença dos deputados da oposição, elegendo assim Nereu Ramos para o mandato de Governador por quatro anos. Quando ocorreu o golpe do Estado Novo, Nereu o apoiou, e por isso mesmo, permaneceu fiel a Vargas de 25 de novembro quando é nomeado interventor federal em Santa Catarina até outubro de 1945.
Salienta Marlene de Fáveri que o governador Nereu Ramos era “compromissado com a ordem e estruturação do Estado Novo, e estava absolutamente alinhado ao projeto ideológico de Getúlio Vargas na homogeneização nacional”.4 Afoito defensor do Estado fortalecido, o entendia como essência e única fonte para o justo e o injusto.Mas os injustos, por desacreditarem de suas idéias, ou por ousarem discordar ou comprometer sua grande obra nacionalizadora, seriam duramente castigados. Em 1939 aparece O Esporte, jornal especializado em notícias do esporte em Florianópolis, editado e redigido pelos conhecidos desportistas Carlos Campos Ramos e Flávio Ferrari. O jornal indica que estimulante é o exemplo e patriotismo, da personalidade vigorosa do dr. Nereu Ramos, o grande e devotado amigo do esporte catarinense.
A imagem mostra o Presidente Nereu Ramos a esquerda e a direita com o Marechal Henrique Batista Duffles Teixeira Lott
NEREU DE OLIVEIRA RAMOS - Advogado, nascido na cidade de Lajes, estado de Santa Catarina, em 3 de setembro de 1888.
Ele foi o único catarinense presidente do Brasil. Houve apenas outro catarinense, Márcio de Sousa Melo, que fez parte da junta militar que governou o Brasil de 31 de agosto a 30 de outubro de 1969.
Filho de Vidal José de Oliveira Ramos Júnior, governador de Santa Catarina de 1910 a 1914, formou-se pela Faculdade de Direito de São Paulo em 1909. Foi deputado estadual em seu estado natal, em 1911. Em 1927, foi fundador e primeiro presidente do Partido Liberal Catarinense. Em 1930 foi eleito deputado federal, mas com o fechamento do congresso teve seu mandato extinto. Apoiou a Revolução Constitucionalista de 1932 e em 1933 foi eleito deputado constituinte com a maior votação de seu estado. Nereu Ramos foi um dos 26 deputados integrantes da comissão encarregada de examinar o anteprojeto de constituição preparado pelo Governo Provisório da Revolução de 1930.
Em 1935 foi eleito governador, sendo nomeado interventor em 1937, permanecendo nesse cargo até 1945. Foi eleito simultaneamente deputado (1911-1912; 1919-1921), e senador pelo PSD em 1946. Presidente da Câmara de Deputados, em 1951, e vice-presidente do Senado, em 1955.
Como presidente do Senado Nacional, Nereu Ramos assumiu a presidência após o suicídio do titular, Getúlio Vargas, e o impedimento do vice-presidente, Café Filho, e do impedimento do presidente da Câmara dos Deputados, Carlos Luz, liderados pelo General Henrique Lott no Movimento de 11 de Novembro.
Coube a Nereu Ramos, em sua breve passagem pela presidência do Brasil, de (11 de novembro de 1955 a 31 de janeiro de 1956) sob estado de sítio, completar o quadriênio presidencial e repassar o cargo ao presidente eleito Juscelino Kubitschek.
A crise política em que mergulhara o país, após o suicídio de Getúlio Vargas, projetou a figura do Ministro da Guerra Henrique Lott, por ter assegurado tanto a posse de Juscelino Kubitschek e de João Goulart, eleitos em 1955, como a continuidade democrática. Com a posse de Juscelino Kubitschek, Nereu assumiu o Ministério da Justiça. Em 1957 voltou ao Senado, pedindo exoneração do ministério.
O político catarinense faleceu em 16 de junho de 1958, em desastre aéreo. O avião, um Convair CV-440 da Cruzeiro do Sul, procedente de Florianópolis, acidentou-se durante o pouso em Curitiba, vitimando 18 dos 24 ocupantes, entre eles o governador de Santa Catarina Jorge Lacerda e o deputado Leoberto Leal.
Em Blumenau, foi homenageado com o nome de uma Rádio:
A Rádio Nereu Ramos, inaugurada em dia 1º de setembro de 1958, fundada por Evelázio Vieira - popularmente conhecido como Lazinho. A Rádio Nereu Ramos (Com o nome inicial de Rádio Tabajara) recebeu este nome em Homenagem ao grande Político Catarinense da época Nereu Ramos .
4. FÀVERI, Marlene de. Memórias de uma (outra) guerra: cotidiano e medo durante a Segunda Guerra em Santa Catarina. Itajaí, 2002. Tese (Doutorado em História). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.
Para saber mais acesse :
Há 50 anos morre Nereu Ramos
Arquivo Adalberto Day

Um comentário:

Livro do disse...

Sensacional, Adalberto! Em nome de todos os lageanos, agradeço a referência a um dos filhos ilustres da nossa terra. Abraço! Mauricio

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...