“A Educação é a base de tudo, e a Cultura a base da Educação”

Seja bem-vindo (a) e faça uma boa pesquisa.

terça-feira, 14 de maio de 2019

- Vou-me embora pro passado

Vou-me embora pro passado
No passado, presente ou futuro sempre minha amada cidade de Blumenau
Passado e presente ou futuro  é agora, neste instante. Você é que determina o tempo.
Lá sou amigo de dr. Blumenau! do Fritz Muller! Dos Hering!  do Grevsmuhl! dos Hering!
Lá tinha a maior e primeira empresa Têxtil de Blumenau a Empresa Industrial Garcia do ramo Têxtil.
Lá tem coisas "daqui, ó!" tem o Trem Macuca, os Vapores Progresso, Lourenço e Blumenau.
Tem os Clubes Amazonas, Blumenauense/Olímpico, Brasil/Palmeiras/BEC. Bom Retiro, Vasto Verde, Progresso, Canto do Rio, Horizonte e Guarani. Têm até o Campinho do 12, ou Morro, lá Tem as Festas Juninas produzidas pelo José Henrique Pera.
Lá tem a "Ponte Preta" no Kroba e o Majestoso Hotel Holetz.
Lá tem o Tapume do Ribeirão Garcia no Beco Tallmann.
Tem clubes de Caça e Tiro e o bairro da  Velha onde nasceu Vera Fischer e a FAMOSC
Lá tem Gibis Roy Rogers, Buc Jones; Rock Lane, Dóris Day.
Vou-me embora pro passado.
Vou-me embora pro passado porque lá, é outro astral
Lá tem carros Vemaguet; Jeep Willes, Maverick; tem Gordine, tem Buick; tem Candango e tem Rural.
Lá dançarei Twist; Hully-Gully, Iê-iê-iê
Lá é uma brasa mora!
Lá ouço O “Pick-up da frigideira”, ,antigamente era assim, Marcha do Esporte
Só você vendo pra crê. Assistirei Rim Tin Tin; Ou mesmo Jinne é um Gênio. o Túnel do Tempo, Vestirei calças de Nycron ; Faroeste ou Durabem; Tecidos sanforizados Tergal, Percal e Banlon; Verei lances de anágua; Combinação, califon.
Escutarei Al Di Lá; Dominiqui Niqui Niqui
Me fartarei de Grapette nas farras dos piqueniques.
Vou-me embora pro passado
No passado tem Moleque Saci, Jerônimo, aquele Herói do Sertão.
Tem Coronel Ludgero com Otrope em discussão. Tem Mazzaropi e Tonico e Tinoco.
Tem passeio de Lambreta, de Vespa, de Berlineta; Marinete e Lotação.
Quando toca Pata Pata; cantam a versão musical; "Tá Com a Pulga na Cueca"
E dançam a música sapeca; Ô Papa Hum Mau Mau.
Tem a turma prafrentex; cantando Banho de Lua.
Tem bundeira e piniqueira dando sopa pela rua
Vou-me embora pro passado
Que o passado é bom demais!
Lá tem meninas "quebrando" ao cruzar com um rapaz, elas cheiram a Pó de Arroz, da Cashemere Bouquet; Coty ou Royal Briar; colocam Rouge e Laquê, english Lavanda Atkinsons; ou Helena Rubinstein; Saem de saia plissada; ou de vestido Tubinho; com jeitinho encabulado; flertando bem de fininho.
E lá no cinema Busch, Blumenau, Mogk, Garcia, Atlas, se vê broto a namorar de mão dada com o guri, com vestido de organdi, com gola de tafetá. Tem também o Sr. Russo pra consertar nosso rádio a pilha Sharp e Mitsubishi.
Os homens lá do passado só andam tudo tinindo de linho Diagonal; camisas Lunfor, a tal!
Sapato Clark de cromo ou Passo-Doble esportivo ou Fox do bico fino.

De camisas Volta ao Mundo.
Caneta Sheafers no bolso; ou Parker 51.
Só cheirando a Áqua Velva; a sabonete Gessy; ou Lifebouy, Eucalol e junto com o espelhinho Pente Pantera, Carioca, ou Flamengo e uma trunfinha no quengo cintilante como o sol.

Tem Alvarenga e Ranchinho; tem Jararaca e Ratinho aprontando a gozação, Tonico e Tinoco
Tem Long-Play da Mocambo mas Rosenblit é o bom
Tem Albertinho Limonta ;tem também Mamãe Dolores, Marcelino Pão e Vinho
Tem Bat Masterson, tem Lesse,Túnel do Tempo, tem Zorro, Tarzan, não se vê tantos horrores.
Lá no passado tem corso, lança perfume Rodouro, Geladeira Kelvinator
Tem rádio com olho mágico, ABC a voz de ouro.
Se ouve o programa do Zé Betio, Carlos Galhardo, Orlando Silva, Francisco Alves, Nelson Gonçalves, Dolores Duran,
 em Audições Musicais, Piano ao cair da tarde
Cancioneiro de Sucesso, tem também Repórter Esso com notícias atuais.
Tem petisqueiro e bufê junto à mesa de jantar, o picolé do "Mirelo" tem o Tapume, O Menino Santo (o povo era enganado) .... Tinha a História do caso Waldemar Fachner, nunca solucionado, será porquê ... o assassinato ocorreu em 21 novembro 1967 no bairro Progresso Blumenau 
 Tem bisqüit e bibelô, tem louça de toda cor, Bule de ágata, alguidar
Se brinca de cabra cega, de drama, de garrafão Camoniboi, balinheira
De rolimã na ladeira, de rasteira e de pinhão.
Lá, também tem radiola de madeira e baquelita
Lá se faz caligrafia pra modelar a escrita

Lá se joga pião na rua, brinca-se de "Papai-mamãe" de médico , Bolinha de gude, de bilboquê 
Lá tem cada prima que oh!
Se estuda a tabuada de Teobaldo Miranda ou na Cartilha do Povo
Lendo Vovô Viu o Ovo, e a palmatória é quem manda.
Tem na revista O Cruzeiro a beleza feminina e Revista do Esporte
Tem misse botando banca com seu maiô de elanca o famoso Catalina
Tem cigarros Yolanda, Continental e Astória
Tem o Conga Sete Vidas, tem brilhantina Glostora
Tem Chacrinha e as chacretes.
Tem o programa do Jota Silvestre, Silvio Santos, Flávio Cavalcanti
Se ouve radialistas esportivos, Valdir Amaral, Jorge Curi, Doalcei Bueno de Camargo, Rudolfo Sestrem, Jeser Josi, Tesoura Jr., Amauri Pereira, Luciano Silva.
Escovas Tek, Frisante. Relógio Eterna Matic com 24 rubis pontual a toda hora
Se ouve página sonora na voz de Ângela Maria.
"— Será que sou feia?
— Não é não senhor!
— Então eu sou linda?
— Você é um amor!..."
Quando não querem a paquera Mulheres falam: "Passando, que é pra não enganchar!"
"Achou ruim dê um jeitim!"
"Pise na flor e amasse!"
E AI e POFE! e quizila mas o homem não cochila passa o pano com o olhar
Se ela toma Postafen que é pra bunda aumentar, Ele empina o polegar faz sinal de "tudo X" e sai dizendo "Ô Maré!
Todo boy, mancando o pé insistindo em conquistar.
No passado tem remédio pra quando se precisar.
Lá tem Doutor de família que tem prazer de curar
Lá tem Água Rubinat, Mel Poejo e Asmapan, Bromil e Capivarol, Arnica, Phimatosan, Regulador Xavier
Tem Saúde da Mulher
Tem Aguardente Alemã
Tem também Capiloton
Pentid e Terebentina
Xarope de Limão Brabo, e o capilé
Pílulas de Vida do Dr. Ross
Tem também aqui pra nós uma tal Robusterina a saúde feminina.
Vou-me embora pro passado
Pra não viver sufocado
Pra não morrer poluído
Pra não morar enjaulado
Lá não se vê violência
Nem droga nem tanto mal
Não se vê tanto barulho
Nem asfalto nem entulho
No passado é outro astral

Se eu tiver qualquer saudade escreverei pro presente, e quando eu estiver cansado da jornada, do batente, terei uma cama Patente, daquelas do selo azul, num quarto calmo e seguro onde lá descansarei.
Lá no passado "nóis" era chique, tinha Império (monarquia, D.João VI que fugiu de Portugal, tinha os filhos D. Pedro I (que proclamou a nossa Independência, será?, tinha o filho dele D.Pedro II (que mais parece nas fotos pai do D. Pedro I) tinha a princesa Isabel que libertou os escravos ...
Lá sou amigo do rei Pelé, do Zico, do Roberto Dinamite, do prefeito e do governador
Sou até meio parente do ditador Getúlio Vargas, e muitos acham que foi o presidente dos pobres, que fez muita coisa, ficou quase 19 anos ... alguma coisa ele fez, também o Brasil estava 200 anos atrasado ...
Lá no passado conversei com o "Lula" que disse que iria melhorar o país, "ledo engano"
Lá tem as Torres Gêmeas
Lá, tem muito mais futuro

No presente e futuro "Latinha"
Vou-me embora pro passado
Texto baseado em Jessier Quirino é paraibano de Campina Grande, arquiteto por profissão, poeta por vocação. É o autor dos livros "Paisagem de Interior", "A Miudinha", "O Chapéu Mau e O Lobinho Vermelho" "Agruras da Lata D'Água", "Prosa Morena - acompanha um CD com gravações de alguns poemas", "Política de Pé de Muro" e "A Folha de Boldo - Notícias de Cachaceiros", além de cordéis, causos, musicas e outros escritos. 
Imagens Adalberto Day

4 comentários:

Zuqui disse...

Meu caro Adalberto!!
Que passado maravilhoso vivemos, eu diria que muito iluminado, pois aqui estamos para relembrar. Quem viveu estas histórias que são relatadas no texto, este sim teve infância, hoje é a era coca cola e internet (nada contra) mas a nossa infância foi a melhor não tenho dúvidas. Eu acredito que 90% destas brincadeiras e outros, eu vivi também. Muito obrigado por nos lembrar destas peripécias.

sergio luiz buchmann disse...

Boa tarde meu querido amigo.Sensacional esse... Vou-me embora pro passado. Uma Blumenau de histórias maravilhosas,as vezes conto a meus filhos e filhos de amigos coisas que fazíamos e fizemos em uma época maravilhosa. Época que eles vão ter nos pensamentos,e nós nas lembranças pois vivemos essa Blumenau. Hoje ainda citei pra minha filha sobre a família Iten ao passar enfrente aos terrenos e casa que a eles pertencem ou pertenciam. Histórias magnificas e que sempre vamos lembrar e relembrar de uma Blumenau com tudo o citado por seu texto e muito mais.Uma Blumenau das tragedias,do povo guerreiro e sempre se reergueu e ergueu no Cidade a nossa linda e maravilhosa Blumenau.Grande abraço meu querido.

Marilene disse...

Isto é que é gostar da terra natal!

Flavio Monteiro de Mattos disse...

Amigo Adalberto,

Comovente esta crônica sobre o passado grandioso dessa Blumenau, que os mais novos não tiveram oportunidade de conhecer, quase na íntegra, como este "blumenauense por opção" também conheceu.

Repetiria tal crônica para falar de um Rio de Janeiro que também sucumbiu.

Seremos dois a ir embora para o passado!

Grande abraço,

Flavio Monteiro de Mattos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...