“A Educação é a base de tudo, e a Cultura a base da Educação”

Seja bem-vindo (a) e faça uma boa pesquisa.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

- Carne para o Progresso!


Histórias de nosso cotidiano
Por: André Luiz Bonomini
Há 35 anos, o Jornal de Santa Catarina destacava a história de sucesso de Walter Pühler, e como sua criação e abate de novilhos orgulhava o comercio do Garcia e de Blumenau.
Em 1973 muitas coisas aconteciam em nossa cidade, entre elas muitas revoluções no comercio e na economia, em parte, algumas delas impulsionadas pela fundação da TV Coligadas em 1969, mas deixamos está história para mais tarde.

Um dos grandes orgulhos do comercio blumenauense estava aqui no bairro Progresso, em 1968 o ex-pedreiro e empreendedor Walter Pühler (foto) abria a “Comercio e Indústria Pecuária Blumenau”, uma verdadeira potencia do mundo da pecuária, abate de 20 bois diários, 4 toneladas de carne, fornecimento para 30% do consumo diário dos blumenauenses em diversos pontos de venda da cidade, infelizmente tal potencia já não está mais entre nós, apesar do cenário de abandono e esquecimento do imponente prédio na Rua Progresso, ficaram as histórias e os momentos de crescimento econômico, progresso e orgulho que a empresa trouxe em sua existência.
Tal crescimento foi registrado, conforme o contado agora para todos, numa matéria publicada em 1º de Junho de 1973, há exatos 35 anos, no recém-fundado Jornal de Santa Catarina, o popular “Santa”.
“Em 1956, um porco por domingo. Hoje, 30% da carne da cidade”.

A história do progresso pessoal e da indústria de Walter Pühler, talvez seja um dos bons exemplos de progresso que vem tendo toda região nos últimos anos.
Para chegar a abater 20 bois diários fornecendo quatro toneladas de carne, representando quase 30% do consumo diário de Blumenau, Walter Pühler iniciou suas atividades como açougueiro em 1956, matando porcos aos domingos. Nos dias úteis trabalhava como pedreiro. Domingo, ele inaugura um moderno frigorífico – Comercio, Indústria e Pecuária Blumenau LTDA – para atender em 30 postos de venda, no centro e nos bairros, quase um terço da população local.
Foto do sitio do sr. Ewaldo Moritz - ( Airton Moritz)
O abatedouro a ser inaugurado depois de amanhã, representa o inicio de uma etapa de industrialização com a produção de lingüiça, salame, presunto e todos os derivados da carne, constituindo-se então, num dos maiores abatedouros do vale do Itajaí. Até o final do ano, Walter Pühler informou que a fase de industrialização deverá ser implantada no complexo montado no bairro da Garcia.
Inicio
A Comércio e Indústria Pecuária Blumenau é recente, foi fundada em 1968. Mas a atividade de Walter Pühler começou dez anos antes, com o abate de suínos. Um ano mais tarde iniciou o abate de gado, seguindo-se a compra de diversos açougues e postos de venda, espalhados pelos bairros e centro da cidade, até se transformar na maior rede de distribuição de carnes em Blumenau.
Para atender o crescente consumo local, Walter Pühler adquiriu em 1969 a “Charqueada Boa Vista”, de onde procedem todos os animais abatidos, e consumidos exclusivamente em Blumenau. Toda a produção do abastecimento é fiscalizada pelo DIPOA.
Do “Jornal de Santa Catarina” De 1º de Junho de 1973
Fica, portanto registrado o exemplo de empreendedorismo e de força que fizeram de Walter Pühler uma das pessoas mais lembradas do bairro, apesar de sua grande empresa já ter sucumbido há algum tempo, o prédio ainda está lá, fica na Rua Progresso, pouco depois da “Material de Construção Kratz”, no sentido Progresso - Jordão. Um marco que restou do tempo que a carne era uma das rodas motrizes da economia do Grande Garcia.

10 comentários:

Anônimo disse...

Beto
Quem � da nossa �poca que n�o lembra do a�ougue do Puhler.Foi sucesso em todo o Garcia e Principalmente na regi�o do Progresso
Bela mat�ria enviada pelo menino Andr�.

Anônimo disse...

Prezado Adalberto,

Recebi uma mensagem recente, no "Das Letras Stammtisch", sobre teu Blog e
acessei-o pela primeira vez. Parab�ns por colocares � disposi�o dos
internautas tudo o que colecionas e sabes sobre a nossa Blumenau. Sempre
tive um orgulho danado de contribuir de forma singela para o resgate da
hist�ria de nossa cidade e regi�o e sou um entusiasta de sua cultura e
tradi�o. Tanto � assim que j� publiquei, tanto na coluna que mantinha na
Folha de Blumenau, como no meu site www.stmt.com.br , fotos enviadas por ti
e por outros blumenauenses ilustres, al�m de manter no ar, no pr�prio site,
muitas informa�es a este respeito..

Uma pena que n�o tenhas ainda referenciado ou reconhecido isto em teu Blog,
mas entendo perfeitamente, afinal sou um "Caminha" e n�o tenho um sobrenome
germ�nico, mas minha inten�o sempre foi enaltecer a gente desta terra para
a qual j� dei muito de minha vida e contribui outro tanto, como m�dico ou
como jornalista e escritor.

Um dos segredos da internet (digo-te isto por tenho um site que se situa em
1�. Lugar nos sites de busca de todo o mundo h� mais de 3 anos) � a
democratiza�o da informa�o e o inter-relacionamento entre os sites, blogs
e outras ferramentas dispon�veis. Os sites crescem em posi�o muito mais por
visitantes que o acessam de outros sites do que por acesso direto. Quem
conhece internet pode te informar sobre isto, mas o pr�prio Google tem
informes a este respeito.

Assim, venho solicitar-te autoriza�o para, eventualmente, publicar em meu
site e blogs assuntos, artigos e/ou fotos constantes do teu (l�gico que
referenciando o teu blog como fonte). Tamb�m gostaria de sugerir-te
colocares um indicativo de meu site no teu Blog, o que farei com o teu, como
m�ximo prazer.

Se aceitares, queira, por gentileza, confirmar-me atrav�s de e-mail. Da�,
entrarei em contato para viabilizarmos a troca de logos indicativos ou
simplemente endere�os indicativos.

Em qualquer dos casos, mais uma vez, parab�ns pela iniciativa de colocares
na net tanto conte�do que sei seres possuidor. Assim estaremos contribuindo
para resgatar, reescever, re-inventar e preservar a cultura e a tradi�o de
tantos her�is an�nimos.

"Creste porque me viste. Bem Aventurados ser�o aqueles que n�o me viram, mas
mesmo assim cr�em" (Jo�o 20,29)

Amor, Paz e Bem que n�o custa nada a ningu�m!

Que Deus te aben�oe te ilumine,

Grande Abra�o,

Caminha

Unknown disse...

Adalberto,

Conheci o Sr. Puehlher há uns 6 ou 7 anos e estava passando por muitas dificuldades, inclusive de saúde. Tens alguma notícia desde empreendedor?

Roberto disse...


Roberto Beto Sempre passava na frente do açougue dele e tinha os caminhões com gados na rua esperando para ir para o pasto.

Airton disse...

Airton Gonçalves Ribeiro Os bois permaneciam no pasto de propriedade do ex-vereador Ewaldo Moritz, localizado na rua Santa Terezinha, n° 703, até o abate, participei de vários apartes de bois realizados a cavalo, alguns muito resistente e bravios tiveram que ser executados....participavam Afonso Bektold (Pistola) e seu irmão Ivo, inclusive o Sr. Afonso e depois o filho Flávio alugaram o Açougue existente na sede do Sr. Walter Pühler...Lembranças...!!!!

Osni disse...


Superfã
Osni Melin Lembro-me na época que ele buscava a cavalo os gados, eu ia correndo para ver ele passar com os gados .

Russo disse...

Carlos Jorge Hiebert Russo Certa vez ele foi comprar um carro zero em uma concecionaria e não deram muita credibilidade, ato continuo ele despejou um saco sujo cheio de dinheiro em cima da mesa. Diz a lenda ser verídico talvez nosso amississimo Airton Gonçalves Ribeiro possa confirmar ou desmentir.

Elizangela disse...

Elizangela Gonzaga Eu passava todo dia na frente para ir para a escola , Eu conhecia como "o açougue do Pila "

Airton disse...

Airton Gonçalves Ribeiro Carlos Jorge Hiebert Russo confirmo, Walter Pühler, o lendário Açougueiro, era muito extrovertido, após as 17 horas trocava suas vestes, colocava o precioso relógio no pulso, correntes e pulseira ao estilo Senhorzinho Malta, embarcava em sua camionete e fazia seus passeios pelos limítrofes da linda Blumenau, diziam os faladores de plantão que era recepcionada com festa pelas lindas e amáveis garotas. Mas, retornando ao assunto carro zero, isto ocorreu em uma famosa revenda em Blumenau, indignado, mas sem perder o sorriso espontâneo, retornou momentos depois com a quantia necessária para quitar um reluzente veículo, deixando o vendedor que lhe negou a compra envergonhado pelo deslize e jamais esqueceu o velho refrão: "não julgue pelas aparências"....!!!

Adalberto Day disse...

Adalberto Beto Day disse: tenho dois fatos importantes a contar sobre o sr. Walter. Por volta de 1968, quando ele voltava do Mato Grosso com seu caminhão cheio de gados para abate, um deles ao fazer a curva na antiga Praça Getúlio Vargas, um vaca caiu do carro e começou a correr rua Amazonas acima. Sr. Puhler foi atrás e lá onde era a Cooperativa e o muro do estádio do Amazonas (esta passagem existia pois ali era o local onde passava carros e carroça em direção a Rua Emilio Tallmann) e a vaca foi ali e abatida a tiros pelo proprietário. Outra na Rua da Glória, em uma comemoração da família Puhler, eu e meu amigo Nilton da Silva estávamos passando em frente ao local, a Churrascaria Zé Silvino, quando fomos surpreendidos por uma briga e o sr. Walter veio atrás de alguém que tentava fugir e atirou, os tiros estão zunindo em meus ouvidos até hoje. Creio que passou muito próximo a nós. Saímos correndo assustados. felizmente ninguém foi atingido. Histórias que não dá para esquecer!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...