“A Educação é a base de tudo, e a Cultura a base da Educação”

Seja bem-vindo (a) e faça uma boa pesquisa.

segunda-feira, 24 de março de 2008

- Horácio Braun


- Horácio Braun faleceu em 24 de março de 2007  deixou a vida terrena.
- Olha aqui, ó... Não é por nada não... Mas sabe duma coisa? Hoje me acordei decidido em não me importar mais se a estação do ano muda, se o século virou há quatro anos e o milênio é outro, ou se a idade aumenta. Hoje me acordei decidido a conservar só e unicamente a vontade de viver e de amar. Assim, vou abrir todas as janelas que encontrar e as portas também, e vou insistir em ser carinhoso, amigo, irmão, pai e marido, alimentando a alma com esperança e fé de que o sonho da compreensão e do entendimento é o único caminho para que o espírito vivencial seja pleno de felicidades. E se por acaso você achar oportuno tomar a mesma decisão neste momento, vá em frente, lembrando-se que o brilho do sol e a orientadora luz da lua refletem todo o tempo do tempo todo que sempre temos à disposição para amar e viver extensa e intensamente. Nem mais, nem menos. Jornal de Santa Catarina - 11 de fevereiro de 2005 por: Horácio Braun (*13.06.1949 – +24.03.2007) cronista, agitador cultural, músico, empresário.Mensagem

Horácio e Adalberto Day
- A imagem de 1º de dezembro de 2006, mostra o encontro dos leitores da Coluna Hóracio no jornal Santa Catarina. O encontro foi no Schopping Neumarkt no Bistrô 69 – 3 meses e 23 dias após Horácio Braun faleceu.
Tim-tim, saúde, paz, amor,felicidade e viva a vida!
Olho, lho, lho
Saideira “O erro dos reformadores é tentar transformar os maus em bons”.
O “mundo só melhorará quando os bons tiverem a maldade suficiente de impor a bondade”. Pois é né ?.- sei lá entende..
Após a morte de Horácio, Ingo a beira do ribeirão Garcia - em momentos de reflexão e tristeza.
Não sei o autor.
Arquivo Adalberto Day/ Jornal de Santa Catarina

9 comentários:

EDEMAR ANNUSECK disse...

Adalberto,
Bonita homenagem que prestas ao Horácio um verdadeiro ícone em Blumenau. Tu não sabes, mas trabalhei com o Horácio no Jornal CIDADE DE BLUMENAU do qual ele era diretor e eu responsável pela página esportiva, a página seis. Quando o Jan Rabe comprou o jornal, comprou também a Rádio Alvorada em 1972. O Horácio assumiu também a rádio e eu que já trabalhava no jornal acabei saindo da Nereu (o Lázinho na época era Prefeito de Blumenau) e assumí o esporte da rádio. Tivemos um convívio maravilhoso até que em Janeiro de 1973 fui contratado pela Jovem Pan de São Paulo. Quando voltei a Blumenau em 1991 cruzei com o Horácio. Veja o que ele me disse."Que tú tais fazendo aquí cara, teu lugar é no rádio de São Paulo. Aquí é tudo amador". Foi o último diálogo que tive com o Horácio. Parabéns pela lembrança. Normalmente quando as pessoas morrem são esquecidas após o primeiro mês. Porisso o resgate da história é teu privilégio e deve ser reconhecido não só pelos blumenauenses, mas por todas as pessoas idôneas deste mundo.
Um grande abraço
Edemar Annuseck

Jackson Nunes disse...

Temos tudo e ainda reclamamos, temos todas as ferramentas para cultivar nossas vidas e ainda reclamamos do que temos, é, isso é ser humano. Se fôssemos irracionais faríamos melhor, com certeza, afinal, quem é que puxa o arado?? Pensemos nisso!.. Abs Adalberto!

Janete disse...

Horácio, exemplo de "viver de bem com a vida".

Valdir Salvador. disse...

Poisé amigo Adalberto Daw, Reviver o nosso grande mestre não vai, mas quem sabe ele não pode Rencarnar e voltar para nos alegrar, olha eu tenho agora um neto com 1 Ano e dois meses quem sabe ?????????, como seria feliz eu.... abraços Valdir Salvador.

Geonilda disse...

Geonilda Maria Ewald Grande Horácio!!! Foi marido da minha prima. Tiveram um filho *Horácio
Junio*.

Paulo disse...

Paulo Fernando Meu pai até 2008 teve uma empresa de confecção e eu trabalhava no escritório. Desde ano 2000 quando comecei a trabalhar com ele, todos os dias de manhã quando chegava na empresa primeiro meu Pai lia as principais notícias no Santa. Só depois que ele terminasse é que o jornal estava disponível para os "outros". E eu sempre pegava na sequência.

Só um detalhe, nem sempre eu tinha tempo de ler tudo que queria, na maioria das vezes a correria começava cedo e então não dava nem tempo de folear o jornal. Porém em dias assim, a primeira e única coisa que eu fazia era abrir direto na coluna no Horácio, lia apenas a coluna dele e a tirinha "rapidão", fechava e começava o trabalho... mas nunca deixava de ler a coluna dele de tanto que eu gostava.

Outras coisas legais eram os shows ao vivo com bandas cover de Rock que tinha no Bistrô 69 no Neumarkt. Eu fui em alguns, se você queria encontrar Horácio era só ir tomar um Chopp la no bistrô que ele quase sempre estava lá.

Lembro com grande tristeza como se fosse ontem, a capa do Santa anunciando o seu falecimento. Enfim, ficamos com as boas recordações!!

Esvaldo disse...

Esvaldo Vieira Trabalhei com o Horácio em 1973 no jornal A Cidade na rua Amadeu da Luz. Ele tinha um Opala, se não me falha a memória, cheio de "reloginhos" no painel. Às vezes ele ia me buscar na rua Belo Horizonte e num instante estávamos no centro. Ele era mito legal

Jonnes disse...


Jonnes Schwabe Figura ícone de Blumenau

Paulo disse...

Paulo Fernando Grande Horácio, todo dia de manhã na empresa era sagrado ler o Santa e a coluna dele assim que chegava no escritório. Só depois desse ritual que começava o trabalho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...