"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

- O muro na curva do cemitério no Progresso

Foto logo após a Curva do cemitério no Progresso
No dia /27/abril/2010, ouvi na TV Galega , e depois na RBS e rádios, como também contato direto por telefone comigo, do Gerente de Infraestrutura Cleverton João Batista, que as obras de contenção as margens e morro da curva do cemitério na Rua Progresso , serão executadas com prazo de conclusão em até 180 dias. A obra com 150 metros de comprimento aproximadamente, e com altura acima de 3 metros está orçada em R$ 1,4 milhões , com recursos do governo Estadual - Departamento Estadual de Infraestrutura (DEINFRA).
O ex secretário de Estado de Desenvolvimento Regional de Blumenau, Paulo França, através do Twitter, se colocou a disposição para colaborar na execução da obra juntamente com o Gerente Cleverton.
A obra conforme prometido por Cleverton teve início no final do mês de abril.
Estamos acompanhando a obra de nossa própria residência .
No dia 06/junho/2010, fomos ao local e podemos observar o bom adiantamento da obra. Os trabalhos conforme proposto, estão sendo bem executados, conforme projeto. Porém entendemos não ser esta a melhor forma. Deveriam ser feitas bancadas de cima para baixo, conforme apresentamos dia 13 de Novembro 2009, ao então secretário de Estado de Desenvolvimento Regional de Blumenau, Paulo França, acompanhado do Gerente Cleverton.
Observamos conforme mostra a foto do dia 06/junho/2010,que bastou chover dois dias (3/4/junho) para já derrubar parte do serviço executado, laje e as barras de ferro que darão sustentação aos tijolos de cimento pré moldados.
Cleverton, Adalberto Day e Paulo França
No dia 11/junho/2010, Paulo França, Cleverton João Batista, juntamente com o Assessor Tarciso A. Souza, estiveram em nossa residência, onde podemos conversar sobre a obra da curva do cemitério e gabião da Rua Emilio Tallmann.

Na foto Paulo França observa a obra para ver o espaço entre o morro e o muro
Colocamos nossa preocupação sobre a obra não ser adequada para o tamanho do problema. Prometeram verificar o projeto, e saber o porquê de não ter sido retirado o barro ali depositado antes da construção do muro. Cleverton conversou por telefone com o responsável da obra, e este disse que será retirado após a conclusão do muro. Sinceramente não consigo entender. Como também penso que o muro apesar das estacas, ferragens, colunas e amarrações, não resistirá a um deslizamento maior.

Solicitamos também e observamos ao nos deslocarmos ao local, que as árvores que estão na ponta (borda do morro) devem ser retiradas, até um espaço de 15 metros adentrando a mata, pois com as chuvas, o peso que incidirá sobre as mesmas, irão facilitar a queda de barreiras.
O estaqueamento na barranca do ribeirão Garcia em frente ao local, estão sendo executados.
A obra está sendo executada, graças ao contato no local que tivemos com Paulo França e Cleverton no dia 13 de novembro/2009, juntamente conosco estiveram Carlos A.Salles de Oliveira e José L.Gaspar Clerici. Paulo França nos assegurou se tal contato não fosse efetuado, a verba destinada á curva do cemitério, iria para outra obra.
__________________
Hoje 15/junho/2010, voltei a obra e conversei com alguns trabalhadores, que pensam da mesma forma, que qualquer deslizamento derruba o muro. Confirmaram que o barro atrás do muro será retirado após a conclusão do mesmo. É inacreditável mas será assim mesmo...como que um máquina irá trabalhar atrás de um muro de 3 metros de altura, sem espaço para a retirada do barro, que irá automaticamente deslizar e poder comprometer o muro. Quando estava me dirigindo ao local, ouvi alguns moradores dizer "Day" isso parece o "Muro da vergonha". Estamos apreensivos nem mesmo o Paulo França viu o projeto, se é que ele existe. Veja as fotos abaixo:
 Já na parte da barranca do ribeirão, nos parece que os trabalhos serão adequados, com estacas de trilhos ou "Vigas  I (i)".

Foto batida às 15 horas do dia 16/junho/2010 - vejam se um muro dessa forma poderá sustentar a imensidão do barranco. Como menciono acima, o correto e o prometido, foram bancadas de cima para baixo, e nem haveria necessidade da construção do muro. Tirem suas conclusões.
_______________

Acesse também:
 http://adalbertoday.blogspot.com/2010/04/o-gabiao-da-rua-emilio-tallmann.html
http://adalbertoday.blogspot.com/2009/11/ponte-do-centenario-ruas-emilio.html
http://pmdbblumenau.blogspot.com/2010/06/coordenador-regional-conversa-com.html
Arquivo de Adalberto Day

16 comentários:

Carlos A. Salles de Oliveira disse...

Adalberto.

Em 2009, conforme expus em “Comentários” na matéria “Gabião da Rua Emílio Tallmann” de 28/março/2010, em reuniões da Metajuha e em encontros nos locais de risco, atingidos drasticamente pela catástrofe de novembro/2008, discutimos com diversos gestores, representantes estaduais e do nosso município, sobre as necessárias e urgentes obras de recuperação do que havia sido destruído e, das que viriam em benefício da segurança e proteção contra as intempéries da natureza, como as já ocorridas, semelhantes em intensidade e potencialidade de destruição.

Além das já executadas, em parte, mas, não na forma mais correta e adequadamente elaboradas, obras dos gabiões de proteção das barrancas do Ribeirão Garcia, a solução para os desbarrancamentos do morro e também da Rua Progresso, na localidade da curva do cemitério, era e ainda é o grande desafio a ser sobrepujado e corrigido

Na matéria do Blog de 13/novembro/2009, “Secretário Paulo França acompanha obras no Progresso”, destaco, em “Comentários” a preocupação deste Secretário com as situações de risco de nossa fatídica região, nos revelando na ocasião, providências e procedimentos que estariam em desenvolvimento, para possibilitar as “futuras e caras obras” e os respectivos objetivos e metas a serem vencidos.

A preocupação demonstrada na ocasião está sendo confirmada, pois, as obras prometidas, aos poucos estão sendo realizadas. Já em fase inicial de implantação, o projeto para a solução do grande desafio da “curva do cemitério” está sendo executado, trazendo novas expectativas e forte esperança de que, aquela principal via de acesso ao Bairro Progresso estará em breve salva. Com a garantia de um estaqueamento profundo, as barreiras, robustos muros e taludes deverão garantir, definitivamente, que o grande risco de no futuro um volumoso desbarrancamento do morro do cemitério, não venha a provocar o desmoronamento da própria Rua Progresso naquela localidade.

Apesar da inquietação preocupante de descrédito, quanto à robustez e capacidade de resistência do muro que esta sendo erguido em tijolos de cimento com ferragens, contra a enorme pressão que este terá que suportar, exatamente o imenso peso do barro encharcado de água, bem como, os golpes de aríete que as quedas e deslizamentos do morro proporcionarão, acredito que após um reestudo do projeto, com tomada das medidas complementares apropriadas venham a corrigir esses erros e, a sanar por completos essas evidentes deficiências de projeto.

Caro “Amigo do Garcia engenheiro Paulo França” acreditamos nas suas boas intenções com relação ao bem estar e segurança deste nosso grande bairro. Contamos com a vossa total atenção na conclusão completa e correta desta providencial e tão desejada obra.

Adalberto, você mais do que ninguém sabe da enorme expectativa de toda essa região na solução deste crucial problema, pois, mais uma vez é você, o grande líder que está à frente dessas reivindicações, na permanente luta em prol da nossa insegura comunidade.

“Esperança renovada”.
“As obras já estão sendo realizadas?”
“Surpreendente – Admirável!”

CarlosASallesOliveira

Angeline disse...

Meu amigo Adalberto,
Temos acompanhado sua luta, principalmente no que tange esse local, curva do cemitério. Esperamos que as coisas ocorram a contento.

Abs

Walmor disse...

1. walmorriesling Você está em cima do mesmo? RT: @adalbertoday: Obras na curva do cemitério estão indo bem. Claro que o muro não vai resolver, mas sei lá
2. walmorriesling @adalbertoday Você quer dizer que o morro está em cima do muro? Morro e não vejo tudo

Djalma disse...

Boa noite Beto.Não tenho o dom da palavra do Carlos Alberto e nem pretendo ter.Eu como vc ja vimos promeças não cumpridas deste e de outros governos.Acho louvavel a sua intenção de sempre explorar estes assuntos pertinentes ao bairro , e entre o principal , este da curva do cimitério. Mas tambem não da para vermos este tipo de obra que esta sendo feito la e ficarmos quieto. Passar a mão na cabeça de quem manda fazer uma obra que todos sabemos que tera um efeito infimo não da. Deveriam ter coragem e respeito com o povo que mora no bairro Pogresso e que tem naquela via sua principal entrada. O que afinal vai precisar acontecer para que eles resolvam fazer alguma coisa de concreto? Não acho que com belas palavras e com reuniões apenas com vcs que estão sempre empenhados com o problema resolva. O nosso mau é que estamos acostumados a pagar pra ver.Mas o preço esta ficando caro de mais. Beto, tanto eu, vc e o Carlos Alberto ja estamos vendo este morro desbarrancar a decadas. E nunca se fez nada. Não sera com este muro que resolvera.

Exibir nome disse...

Carlos A. Salles de Oliveira diz "Com a garantia de um estaqueamento profundo, as barreiras, robustos muros e taludes deverão garantir, definitivamente, que o grande risco"

Só pode ser gozação. Estaqueamento profundo? Onde? Acho que deve estar se referindo a outra obra. Que estaqueamento profundo é esse? Um murinho fajuta desses, que na primeira chuva forte vai vir abaixo com toda certeza. Basta olhar as fotos.

Karasinski disse...

karasinski2016 @adalbertoday http://twitpic.com/1x0j0y - Esse murinho não segura o barro da primeira chuva

Valter disse...

Bom dia Adalberto,

vi as fotos de obra de contenção que está sendo construída na rua Progresso.

Pelas fotos e sem conhecimento algum de engenharia, mas observador de obras sérias que se fazem hoje em dia na BR 101 e 376 com a mesma finalidade, tenho absoluta convicção que tudo aquilo ou quase tudo vai desabar na primeira chuva média que cair na região.

É dinheiro simplesmente jogado no lixo e vai por em risco maior a vida das pessoas que por ali passarem, pois sem o murro existe alguma chance de se sair com vida da lama mas com aqueles blocos por cima ninguém sobreviverá.

Na BR 101 fazem trabalho com blocos enormes na base, são engradados de pedras, permitindo a permanente drenagem..

Acima e até no topo do deslizamento é feita um espécie de concretagem com jato ou empilhados milhares de sacos com areia, sempre permitindo a drenagem.

As fotos que você publicou são um dique de papel, sem drenagem adequada, que atuará com uma folha de papel na primeira barragem que descer.

Se você pedir um laudo de um aprendiz de ajudante de pedreiro ele te dirá a mesma coisa.

Seria ótimo que desde já proibissem permanentemente a passagem de qualquer pedestre ou ciclista do lado dessa armadilha, pois ela cairá a qualquer momento, mesmo já tendo passado a chuva que principiará o processo de pressão do lado interno.

Sugere aos engenheiros dessa "obra" (de obrar) que visitem o que se faz entre Joinvile e Curitiba.

Talvez o pessoal da concessionária daquelas rodovias mande algum engenheiro dela visitar vocês e ver essa maravilha da engenharia tupiniquim.

Jamais alguém faria esse tipo de trabalho com seu próprio dinheiro para conter uma barreira no fundo de sua casa.

Aliás, deveria ser uma regra para os gestores públicos: "FAÇA COMO SE O DINHEIRO FOSSE TEU E COMO SE A OBRA FOSSE NA TUA CASA".

Como diz famoso jornalista brasileiro: "ISSO É UMA VERGONHA".

Abração,

Valter

Carlos A. Salles de Oliviera disse...

Adalberto
Fiz um comentário baseado em informações que diziam que foi feito um estaqueamento profundo para retenção desse muro, como este que você menciona, com trilhos, que estão sendo feitos na barranca do rio. O estaqueamento de retenção e ancoragem deve ser visível, pois sobressai do solo em espigões, nos quais através da ferragem o murro deve ser rigidamente ancorado. Se eu tivesse tido a oportunidade de verificar esta obra no local, com certeza teria observado que nada disso esta sendo executado. Portanto o que esta sendo feito não passa de uma trapaça, sem projeto de engenharia, sem qualquer responsabilidade técnica e, conforme disse, com toda razão o Valter Hiebert, poderá cair a qualquer momento, mesmo já tendo passado a chuva, que principiará o processo de um significativo aumento da pressão no lado interno do muro.
Concordo plenamente com que disse o comentário anônimo:
//->Carlos A. Salles de Oliveira diz "Com a garantia de um estaqueamento profundo, as barreiras, robustos muros e taludes deverão garantir, definitivamente, que o grande risco...." Só pode ser gozação. Estaqueamento profundo? Onde? Acho que deve estar se referindo a outra obra. Que estaqueamento profundo é esse? Um murinho fajuta desses, que na primeira chuva forte vai vir abaixo com toda certeza.<-\\
Se não foi feito o estaqueamento profundo e o muro não é robusto, tudo não passa de uma enganação!! Então eu pergunto: Enganação de quem?? Quem estaria emprestando seu nome em uma obra desse tipo, que numa primeira chuva virá a baixo, levando o nome deste junto com a lama?? Para mim não da para entender e, acho que alguma coisa de muito grave existe por detrás desta farsa.
Volto aqui a registrar novamente o que eu disse em meu comentário: //->Já em fase inicial de implantação, o projeto para a solução do grande desafio da “curva do cemitério” está sendo executado, trazendo novas expectativas e forte esperança de que, aquela principal via de acesso ao Bairro Progresso estará em breve salva. Com a garantia de um estaqueamento profundo, as barreiras, robustos muros e taludes deverão garantir, definitivamente, que o grande risco de no futuro um volumoso desbarrancamento do morro do cemitério, não venha a provocar o desmoronamento da própria Rua Progresso naquela localidade.
Apesar da inquietação preocupante de descrédito, quanto à robustez e capacidade de resistência do muro que esta sendo erguido em tijolos de cimento com ferragens, contra a enorme pressão que este terá que suportar, exatamente o imenso peso do barro encharcado de água, bem como, os golpes de aríete que as quedas e deslizamentos do morro proporcionarão, acredito que após um reestudo do projeto, com tomada das medidas complementares apropriadas venham a corrigir esses erros e, a sanar por completos essas evidentes deficiências de projeto.<-//
Foi em cima dessas minhas palavras que o Adalberto voltou ao local da obra para checar e denunciar, e demais amigos postaram os seus comentários, com toda a razão, acusando, denunciando e alertando com base na evolução das novas reveladoras e esclarecedoras informações.
Volto a completar com as mesmas palavras que utilizei no comentário: //->Caro “Amigo do Garcia engenheiro Paulo França” acreditamos nas suas boas intenções com relação ao bem estar e segurança deste nosso grande bairro. Contamos com a vossa total atenção na conclusão completa e correta desta providencial e tão desejada obra.<-//
Assim então completo esta réplica ao ora denunciado e solicito um urgente pronunciamento das autoridades responsáveis. Com a palavra as autoridades e demais pessoas envolvidas ou mencionadas.

CarlosASallesOliveira

Santos disse...

O Beto. Que curva histórica essa. Será que o problema ainda não sensibilizou essas autoridades? É incrivel o descaso e o pouco interesse demonstrado, apos ter sido tão debatido e publicado aos quatro ventos. Fique certo que se alí pelas redondezaas residisse um elemento influente e de progessão política a altura, acho que ja teriam removido até o morro daquela curva. Voce c ontinua como o heroi dessa história. Um grande abraço
E.A. Santos

Pedro disse...

OK. Eu pessoalmente acho um desperdício de dinheiro público. Minha formação é jurídica, mas tenho conhecimento o
suficiente para perceber que rocha não desbarranca ou não desliza. O que desliza é a argila ou o barro com os elementos orgânicos que estão sobre a rocha.
Na minha percepção, o murro que estão construindo, não vai segurar o barro que está sobre a rocha acima do muro. Quando o volume de chuva for
na mesma quantidade que a de 2008, teremos a resposta. É só aguardar.
Pedro Prim

Camilla disse...

Florescamilla @adalbertoday sem comentarios é só pra atrapalhar mesmo e desviar dinheiro...

Denner disse...

denner_william @adalbertoday Eu fico indignado com as obras da prefeitura, por mim esse muro não vai conseguir sustentar o barranco

Blumenau Agora disse...

"Muro da Vergonha" e do desperdício do dinheiro público. R$950.000,00 que serão jogados fora, com a primeira trovoada com uma intensidade mais forte. Acredito que não sobrará pedra sobre pedra deste muro. Realmente estamos muito mau de engenheiros na prefeitura e no governo do estado. O poder público adora jogar nosso dinheiro fora.
" Muro da Vergonha" e Políticos que nos dão muita vergonha, lamentavelmente.

Darlan disse...

darlanjs @adalbertoday Nem é preciso ler as informações...as imagens falam por si só! É uma vergonha para uma região com mais de 50 mil votos....

Walmor disse...

walmorriesling @fabriciocardos0 @adalbertoday Estou escrevendo para o muro do cemitério um poema concreto.

Henrique wittler disse...

Prezado
O muro em construção, mesmo não tendo dados mais detalhados, me deixa muito preocupado, não pela altura do morro que fica a traz, mas pelo tipo de obra em execução.
Um muro deste porte, 3 m de altura, deveria ter uma base fixa nele de no mínimo 2 m, ou seja um L em concreto armado. Atráz deveria ser colocada uma camada de brita e depois uma de areia para formar um dreno, e executar pequenos furos no muro para drenagem.
Outra forma é uma laje em concreto, mas com cabos de ancoragem na rocha (obra mais cara). Os drenos os mesmos citados antes.
A obra como me aparece nas fotos escorregará para a frente, levando tudo pela frente, pois, se tornará uma barragem para o lodo com água em dia de chuva.
Sem este muro em execução me parece que o local ficaria mais seguro.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...