"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

terça-feira, 6 de abril de 2010

- Um passeio pelas ruas de Blumenau

Histórias de nosso cotidiano

BLUMENAU, CIDADE QUE EU AMO

Mais uma participação exclusiva e especial do renomado escritor, jornalista e colunista, Carlos Braga Mueller, que hoje nos relata sobre um passeio pelas ruas de Blumenau
Dia destes, passando os olhos por uma relação das ruas de Blumenau, pude sentir a variada gama de mensagens que muitos prefeitos, e outros tantos vereadores expressaram ao elaborar projetos de lei dando nomes a estas ruas.

Se formos analisar os nomes das ruas em Blumenau, por exemplo, tirando as homenagens a pessoas mais conhecidas, vamos encontrar centenas e centenas de nomes próprios que aos nossos ouvidos não representam muita coisa; são desconhecidos da maioria, mas em vida tiveram seu valor para a história de Blumenau..
Desfilam, também, nomes de Estados, municípios, figuras da história catarinense e brasileira, datas importantes, etc.

E, claro, restam algumas curiosidades:
Não é que existe uma rua chamada Cacilda Becker na Fortaleza? Alguém se lembrou de homenagear esta grande dama do teatro brasileiro.
Jardel Filho, outro famoso ator de teatro, cinema e TV, também é nome de rua na mesma Fortaleza.
E, coincidência ou não, Cacilda e Jardel atuaram juntos em 1954 em um filme chamado “Floradas na Serra”, exibido recentemente pelo Canal Brasil da TV a cabo.

Temos outros ilustres artistas perpetuados em nossas ruas:


Luiz Gonzaga (no Fidélis), Ari Barroso (Salto do Norte), Noel Rosa (Tribess), John Lennon (Ponta Aguda), Dalva de Oliveira (Itoupava Norte), Dolores Duran (Itoupava Norte), Ellis Regina (Fortaleza), Raul Seixas (Fidélis).

Outros expoentes da música, que também estão no rol das nossas ruas:

Heitor Villa Lobos fica no Badenfurt; Johann Sebastian Bach na Fortaleza, Mozart e Beethoven, ambas no Salto do Norte.
A igreja católica, além de dezenas de santos, está representada por freis franciscanos que trilharam durante muitos anos os corredores do Colégio Santo Antônio: a Rua Frei Fulgêncio Kaupp fica na Vila Nova; a Rua Frei Efrém na Água Verde; a Frei Estanislau Schaette situa-se na Vila Nova; Frei Lucinio Korte, também na Vila Nova; Frei Ernesto Emmendoerfer, no Bom Retiro. Sem falar da central e conhecidíssima Padre Jacobs, o primeiro vigário de Blumenau, e da autoridade maior da igreja, Papa João 23, na Itoupava Norte.
Na Vila Itoupava a prevalência dos nomes alemães, para homenagear antigos colonos, não venceu algumas barreiras, porque até hoje antigas “tifas” mantém o nome que tinham há mais de 100 anos, como a Rua Sarmento ou a Rua Braço do Sul.

Líderes da resistência aos militares no poder, ganharam espaço nas ruas de Blumenau.

Lá estão:
Rua Carlos Marighella, na Itoupava Central, e Rua Vladimir Herzog, na Itoupava Central. Assim como o defensor das nossas florestas, Chico Mendes, está perpetuado em via pública do Fidélis.
Nos anos 60, quando era prefeito Carlos Curt Zadrozny, houve homenagens aos clubes de serviço e lá estão, até hoje no bairro do Garcia, as ruas Rotary Clube, Soroptimistas, Lions Clube e Câmara Júnior.
E na terra em que todo mundo conhece um Fritz ou uma Frida, são onze  as ruas que levam o nome de Fritz, entre as quais a mais conhecida é a que rende homenagem ao sábio Fritz Müller, situada no bairro do Salto. Mas como Fritz é um diminutivo de Friederich, (Frederico em português), vamos lá: quantos Fredericos estão em nossas ruas ?
São vinte. E apenas um tem sobrenome português: Gonçalves. A rua Ten. Frederico Gonçalves fica no Badenfurt. Os outros 19 “fredericos” tem sobrenomes alemães.
Ah, sim, e as Fridas ? São 4 ruas, todas grafadas como Frieda, mas cuja pronúncia é Frida.
Não resta a menor dúvida de que uma vista de olhos pelos nomes das nossas ruas representa um universo muito amplo, que conta muitas histórias interessantes
Se fossemos nos debruçar sobre cada rua, pesquisar a origem de cada uma, conhecer as pessoas que moram ali, poderíamos encher muitas e muitas páginas, criar muitos e muitos livros.
Arquivo de Adalberto Day

2 comentários:

Werner disse...

Prezado Sr. Adalberto
Boa tarde, tudo bem !!!
Obrigado por me proporcionar esse trabalho magnífico de Carlos Braga Mueller, como é Bom lembrar coisas boas do Passado. Ainda mais, pessoas como nós que conhecemos muito da História de Blumenau. Como é fantástica nossa mente, apesar da idade conseguimos lembrar quase tudo que vimos e passamos. Sou também amigo particular do Carlos Braga Mueller, ele também conhece tudo e todos, sempre modesto, porém muito sábio, prestativo, honesto, foi um grande articulador político.
Um cordial abraço
Werner Holetz
wholetz@gmail.com

Werner Henrique Tönjes disse...

Os cidadãos de Blumenau interessados na História da cidade agradecem a valiosa colaboração de Carlos Braga Mueller e Adalberto Day. werner henrique T6onjes, articulista ocasional de jornal alemão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...