"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

sábado, 24 de abril de 2010

- A Casa de Busch


A imagem mostra a casa de Frederico Guilherme Busch na Rua XV de Novembro no centro de Blumenau

Ele sempre foi um exemplo de Arrojo e dedicação a nossa querida Blumenau. Entre os diversos empreendimentos que marcaram o final do século 19 em Blumenau, destacou-se a figura arrojada de Frederico Guilherme Busch, nascido em Santo Amaro da Imperatriz, chegou a cidade em 1888, com 22 anos de idade.
Um Homem inquieto e criativo. Visionário Frederico Guilherme Busch foi um dos grandes empreedendores da cidade de Blumenau no inicio do Século 20. Busch foi Alfaiate, Suplente de Juiz de Direito, sócio de Indústria Têxtil. - Frederico Guilherme Busch. Nasceu em 29 de dezembro de 1865. Por orientação médica preferiu abandonar o Litoral e, por opção, escolheu Blumenau para morar. Filho do carpinteiro Wilhelm Busch, antes de deixar a cidade natal, Frederico aprendeu a profissão de alfaiate, ramo que usou para se estabelecer no Vale do Itajaí. O fato de ser “estrangeiro” não impediu Busch de fazer parte da história de Blumenau.

- O alfaiate chegou em 1888, mas não demorou muito para começar a interferir de forma intensa no dia-a-dia da cidade. Poucos anos depois da chegada, já inaugurava um comércio de importação e exportação, considerado o primeiro exportador de laticínios da região.





Foi um bem sucedido comerciante, que exportava manteiga, queijo, banha e outros produtos coloniais. Investiu na indústria. Instalou a primeira Usina Hidrelétrica da cidade. Ele promoveu a primeira sessão de cinema e foi o primeiro proprietário de automóvel da cidade.Faleceu em Julho de 1943, aos 77 anos.
A banha era um produto feito em diversos locais da cidade, sob o controle de Busch, no final do século 19.

- Em 1903, Busch importou um automóvel movido a vapor, primeiro veículo motorizado a chegar na cidade e um dos primeiros a circular em todo o Brasil. Em novembro do mesmo ano era nomeado segundo suplente de juiz de Direito em Blumenau, cargo que voltou a assumir em 1904. Segundo minhas pesquisas com ex empregados da Empresa Garcia, este Ford, ficou abandonado por anos no interior do parque fabril da empresa, e por volta dos anos de 1940 foi enterrado dando lugar a novas construções. Busch até seu falecimento foi um dos principais sócios e dirigentes da E.I.Garcia.
Arquivo de Adalberto Day

Um comentário:

Emerson Koch disse...

Enterraram o carro? Kiloucura. Deviamos passar no quartel e pegar um detector de metais e vasculhar a Artex para achar.... Arqueologia pós-moderna!!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...