"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

- “FÉRIAS NO SUL”, Um Filme feito em Blumenau - CAPÍTULO 2

Mais uma participação exclusiva e especial do renomado escritor, jornalista e colunista, Carlos Braga Mueller, que hoje nos relata o filme Férias no Sul com o capitulo 2.
Por Carlos Braga Mueller
AS FILMAGENS
Cada cena de “Férias no Sul” era filmada e repetida 3, 4, 5 vezes, até que o exigente Reynaldo desse o OK !
Os negativos em celulóide eram então enviados ao Laboratório Líder em São Paulo, revelados e devolvidos a Blumenau.
O título FÉRIAS NO SUL (ao fundo um cartaz que existia em Ilhota, onde estava escrito "Bem Vindos ao Verde Vale do Itajaí")
Todos ficavam ansiosos e era uma festa a equipe reunir-se uma vez por semana no Cine Blumenau, geralmente a tarde, para assistir o “copião”, o negativo ainda em estado bruto, do qual o diretor e equipe selecionavam a melhor tomada, para integrar a montagem final, responsabilidade de Ismar Porto.
Antigamente tudo era mais difícil. Hoje em dia, as modernas câmeras já mostram na hora a imagem gravada. O diretor analisa e resolve então se filma a cena de novo, ou não.

Blumenau 1967

Além dos cenários de Blumenau, o filme “Férias no Sul” também se passa em Balneário Camboriú e teve algumas cenas filmadas em Caxias do Sul e Gramado. Mas 90% da ação se desenrola em Blumenau.
O produtor executivo, Geraldo Mohr, se desdobrava para conseguir o apoio de lojas, entidades, clubes e prefeitura para realizar o filme.
O carro usado pela atriz Dagmar pertencia ao Sr. Taeschner, que o emprestou à equipe de filmagens.
E assim, as pessoas iam colaborando, todos esperando que o filme fosse uma alavanca para mostrar Blumenau para o Brasil.
Mas muita gente, quando assistiu o filme, não gostou de alguns diálogos, que davam a entender que as mocinhas daqui “adoravam” um carro com placa de outro estado, principalmente do Rio; que eram namoradeiras; que levá-las para a cama era muito difícil.

Heinz Tallmann atua no papel de pai de Dagmar Heidrich

A HISTÓRIA
Convidado pelo amigo Jorginho (Cláudio Viana), o jovem estudante carioca Celso (David Cardoso) desembarca no aeroporto de Itajaí, onde é recebido pelo amigo.
De fusca, os dois percorrem a Rodovia Jorge Lacerda, até Blumenau, não sem antes tentarem conquistar belas catarinenses que encontram pela frente. No asfalto, param para livrar-se de um cigarro aceso que cai dentro do carro e quase são atropelados no acostamento por um caminhão com placa de São Paulo.
Celso logo faz amizades em Blumenau, conhece Trudi (Sheyla Weyckert), freqüenta o Tabajara, convive com as mocinhas da terra. E “descobre” Helga (Dagmar Heidrich), uma meiga alemãzinha, que lhe arrebata o coração.
Apaixonam-se. Mas no meio tempo, Celso conhece também a voluntariosa escritora Isa (Elizabeth Hartmann), de passagem por Blumenau, com quem tem um caso.
O relacionamento entre Helga e Celso passa então por uma crise séria. Com o coração dividido, Celso acompanha Isa até Caxias do Sul e Gramado.
Lá, com o pensamento voltado dia e noite para a imagem de Helga, ele rompe com Isa, que segue sozinha para o sul. Ele volta para Blumenau.
Helga o recebe de coração aberto. Reatam o namoro, mas está chegando o dia em que Celso deve retornar ao Rio para continuar seus estudos.
Para marcar a despedida, o casal resolve ir até o Morro do Aipim, de onde se descortina um belo panorama de Blumenau. Sobem o morro, de lambreta
Ao voltarem, a lambreta colide de frente com um caminhão. Helga é jogada da moto, não resiste e morre.
Celso sofre apenas ferimentos leves.
Depois do enterro de Helga, ainda inconformado, ele parte.
Dá adeus a Blumenau e a um romance interrompido, que vai marcar sua vida para sempre.
E então surge a palavra FIM na tela.
O LANÇAMENTO DO FILME
O lançamento do filme aconteceu em 1967, no Cine Blumenau. No dia da estréia, foram sessões contínuas e a última estava marcada para as 21 horas. Mas havia tanto público esperando que não houve jeito: o filme teve que ser exibido também em uma sessão extra, às 23 horas.
A intenção de Reynaldo Paes de Barros, que além de diretor havia sido o produtor, era que o filme ficasse em cartaz no Cine Blumenau por várias semanas, mas a direção do cinema não concordou porque tinha compromissos de exibição com outros filmes.
Assim, Reynaldo entrou em entendimentos com o Cine Atlas do bairro Vila Nova, em Blumenau. Seus proprietários concordaram com a exigência e, durante um mês, o cinema lotou em todas as sessões.
Alvacyr Ávila, um dos donos do Atlas, possuía uma distribuidora de filmes e garantiu a distribuição de “Férias no Sul”, tanto em cópias 35 mm como em 16 mm, para o território catarinense, cabendo a outros distribuidores fornecê-lo aos cinemas dos demais estados.
REYNALDO PAES DE BARROS
Rua ângelo Dias Blumenau
O diretor de “Férias no Sul” dirigiu também os longa- metragens “Agnaldo, Perigo à Vista” (1969), “Pantanal de Sangue” (1971) e “A Noite dos Imorais” (1979).
Além de diretor atuou também como fotógrafo de várias produções (Menino de Engenho, Anjo Loiro, Amadas e Violentadas). Em março de 2008 foi homenageado durante o 15º Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá, no Mato Grosso.
GERALDO MOHR
O produtor executivo de “Férias no Sul”, Geraldo Mohr, continuou a atuar na área.
Foi encarregado da produção executiva ou supervisão de muitos outros filmes, entre os quais “Agnaldo, Perigo a Vista”, “Chão Bruto”, e as pornochanchadas “Bonitas e Gostosas”, “Sexo Selvagem” e “Amadas e Violentadas”. Morreu há dois anos (2007).
JORGE VERAS
O fotógrafo da primeira parte de “Férias no Sul” começou como ajudante geral no Laboratório Alex, de Alexandre Wulfes que produzia cinejornais nas décadas de 50 e 60..
Atuou como assistente de direção de fotografia e em meados dos anos 60 o contato com o cineasta sueco Arne Sucksdorff e seu equipamento de câmera foi o ponto de partida para desenvolver sua paixão pelo rigor da manutenção técnica dos equipamentos.
Em determinado momento, Reynaldo Paes de Barros não agüentou mais este perfeccionismo. Depois da equipe de filmagem esperar mais de 3 horas até que Veras considerasse a iluminação em ordem, o diretor o dispensou e procurou outro fotógrafo. Encontrou, no Rio, o veterano Edgar Eichorn.
EDGAR EICHORN
O substituto de Veras na fotografia de “Férias no Sul” era um veterano cineasta alemão. Ele e o irmão, Franz, atuaram vários anos na Atlântida, realizando chanchadas com Oscarito, Grande Otelo, Eliana e outros astros favoritos do público.
Em dois filmes Edgar também foi diretor geral, além de responder pela fotografia: “Mundo Estranho” (1952), e “Paixão nas Selvas” (1955), com Cyll Farney, Grande Otelo, Vanja Orico, uma co-produção da Atlântida e Astra Filmes da Alemanha. Foi diretor de fotografia, entre outros, dos filmes “O Diamante” (1955), “Fuzileiros do Amor” (1956), “João Gangorra” (1952) e “Papai Fanfarrão” (1956).
DAVID CARDOSO
Depois de “Férias no Sul” a carreira de ator de David Cardoso deslanchou. Alguns anos depois ele fundou sua própria empresa, a Dacar Produções, e realizou dezenas de filmes eróticos, tendo sido um dos primeiros atores a se exibir em cenas de nu frontal nas telas. Seu filho, David Cardoso Jr., segue as pegadas do pai.
DAGMAR HEIDRICH
Segundo consta nunca mais atuou no cinema, casou, constituiu família e abandonou a pretensão de ser atriz.
TELECINAGEM PARA O SISTEMA VHS
A TV-FURB efetuou a telecinagem de uma cópia celulóide de “Férias no Sul”, existente em 16 mm, passando-a para o formato VHS, cuja fita encontra-se no Arquivo Histórico Prof. José Ferreira da Silva, constituindo-se uma verdadeira “relíquia” para a história do cinema em Blumenau.
Sobre o filme e sua realização em nossa cidade, muita coisa ainda pode ser pesquisada.
Com a palavra os estudiosos, professores e alunos dos cursos de história de Blumenau.

_____________________________________________

REMO USAI, UM MÚSICO PARA O CINEMA

Remo Usai

O Canal Brasil (TV a cabo) exibiu no sábado (dia 01/08/2009), e reprisou domingo (02/08), um documentário de 21 minutos, intitulado REMO USAI, UM MÚSICO PARA O CINEMA, realizado em 2007 por Bernardo Uzeda.

Este "curta" foi exibido no Festival Internacional de Documentários 2008 - É Tudo Verdade, que se realizou durante os meses de março e abril do ano passado no Rio, São Paulo, Bauru, Brasília, Recife e Caxias do Sul.

Remo Usai, autor da trilha sonora do filme "Férias no Sul", também compôs mais de 150 trilhas para filmes de longa ou curta metragem.

Inclusive filmes famosos, como "O Assalto ao Trem Pagador" e "Mandacaru Vermelho", ambos da década de 60, tiveram trilha musical assinada por ele.

Ao final deste documentário, Usai senta no seu piano e executa o tema musical do filme "Férias no Sul", uma valsa que marca todo o filme, principalmente as cenas de romance entre Celso e Helga.

A impressão que se tem é que esta melodia, por algum motivo especial, está profundamente guardada no coração do renomado compositor brasileiro.

Texto Carlos Braga Mueller/Jornalista e escritor/Colaboração José Geraldo Reis Pfau
Arquivo: Adalberto Day

6 comentários:

Dri Viaro disse...

Bom dia, que vc tenha um fim de semana delicioso.
bjsss

Douglas disse...

Boa Noite Professor Adalberto Day....

Primeiramente, gostaria de parabenizar o Sr. e o Carlos Braga Muller pelo excelente relato da útima parte do filme FÉRIAS NO SUL....
Olhando a ultima parte, vi que tem uma foto da curva do rio em 1967. Queria saber se o sr. não poderia passá-la para mim, pois no 3º e 4º bimestre estarei estudando a história e geografia de Blumenau...

Agradeço desde já sua atenção.

Att.
Douglas Henrique da Conceição de Souza

Mara Heidrich disse...

Olá

Já entrei em contato com vocês a mais ou menos uns dois meses atrás ,fazendo comentários sobre o filme onde participei juntamente com minhas irmãs (Dagmar e Magrid Heidrich).
Gostaria de saber se é possível, vocês conseguirem para mim a cópia do filme Férias no Sul já que sou parte integrante do mesmo.
E gostaria de saber se vocês tem planos de maior divulgação e porque não dizer reencontrar as pessoas que fizeram parte desse elenco.
Aguardo retorno ou por e-mail ou se for caso por telefone 051-33472215 ou 051-91169250.
Tenho uma vida bastante agitada , fico pouco na minha residência, pois sou tec. de enfermagem e sou estudante de direito.
Obrigada.
Mara Martha Heidrich.

Roberto Benevides disse...

Boa noite! Gostaria muito de saber se vou ter a chance de ter esse filme, pois é muito dificil. Se caso tiver como conseguir, por favor, me avise... Obrigado.

Adalberto Day disse...

Roberto
Você não deixou seu contato então fica difcil a resposta. Mas quanto ao filme não está mais disponivél nem no RJ e nem em Blumenau.
Procurando no Busca a direita poderás encontrar mais dados sobre Férias no Sul.
Abraços e obrigado pelo acesso

Assinoê disse...

Olá! Onde posso conseguir esse filme Férias no Sul?


Obrigada

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...