"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

- Uma Obra da comunidade

A imagem retrata o Centro de Convivência Casa Santa Ana, localizado na Rua Grevsmuehl, no Bairro da glória, em Blumenau. A obra foi realizada pela comunidade do Garcia, para abrigar idosos e teve como idealizador o monsenhor Geraldo Piesik (foto), falecido em 03/janeiro/2009 aos 68 anos de idade. Nossa gratidão e “reconhecimento a um padre por demais querido da comunidade da igreja Nossa Senhora da Glória.”
Mas infelizmente na tragédia que ocorreu em novembro/2008, também este importante centro de Convivência Casa Santa Ana, foi seriamente abalado em suas estruturas, necessitando a retirada dos idosos .
O idoso na cadeira de rodas, é o chinês de 105 anos
Como a comunidade Taiwanesa chegou a Blumenau ?.
Vendo o desastre em Santa Catarina e na região de Blumenau amplamente divulgado em todos os meios de comunicação do Brasil a comunidade de Chineses no Brasil - notadamente de Taiwan - buscaram contato com conhecidos em Blumenau. Isto aconteceu através do Chinês Pin - do Restaurante Chines - na esquina da XV enfrente a Alameda Rio Branco. O Sr. Pin tem relacionamentos e amizade familiar com o presidente da CDL Marcelino Campos. Estando a CDL envolvida com uma série de ações desencadeadas pelo comércio de todo o Brasil através de donativos, passou a ser o porta voz daquela importante comunidade que reúne mais de 100 mil chineses. Desde aquela data já estiveram em Blumenau cerca de 40 representantes da comunidade. Nesta oportunidade trouxeram engenheiros e técnicos na reconstrução para avaliar os investimentos. As obras das áreas de serviço, notadamente a lavanderia serão iniciadas para que a casa possa voltar a abrigar seus hospedes. Carregados de muita emoção pela oportunidade ajudar tão nobre causa foi a reunião na Casa Santa Ana. Por situações do destino a casa abriga hoje o seu mais idoso hospede, um chinês nascido em 1904, portanto com 105 anos.
“Release”
CDL e Comunidade Taiwanesa participam na recuperação da Casa Santa Ana no Garcia.
Presidente da CDL Marcelino Campos fala da parceria
No dia 17 de fevereiro 2009, terça-feira, às 11:30 da manhã, representantes da Comunidade Taiwanesa do Brasil estiveram em Blumenau para, em conjunto com a diretoria da CDL, participar da reunião com engenheiros e arquitetos responsáveis sobre a obra e para definir e assinar um convênio para a reconstrução. A Casa Santa Ana, um ancionato mantido por freiras católicas que sofreu grandes perdas com as chuvas de novembro de 2008. Está localizada na Rua Grewsmuehl, 315, no Garcia e costumava manter mais de 88 internos, sendo considerado um dos mais importantes centros de convivência de idosos de Blumenau. Com a tragédia ocorrida no final do ano passado, a estrutura do prédio sofreu grandes prejuízos com os desbarrancamentos, tendo inclusive parte da construção comprometida. O convênio que está sendo firmado prevê a aplicação de recursos para a recuperação do prédio, inicial da área de serviços, lavanderia, etc e do muro e acesso frontal fazendo com que a instituição possa voltar a trabalhar em plenas condições. A parceria solidária estabelecida entre a Comunidade Taiwanesa do Brasil e a CDL de Blumenau surgiu logo após a tragédia, quando a entidade foi procurada pelos representantes da comunidade que, sensibilizados com a situação da cidade, uniram-se para ajudar. A primeira ação aconteceu ainda em 2008, quando cerca de 1.500 cestas básicas foram distribuídas entre os abrigos de Blumenau. O segundo momento acontece agora, em fevereiro com a assinatura deste convênio e, no início de março, será feita também a entrega de 45 fogões e 20 geladeiras para a comunidade blumenauense. De acordo com o presidente da CDL, Marcelino Campos, "Para nós, da CDL, é uma satisfação poder fazer parte desta ação que vem promovendo tantos benefícios para a nossa cidade. Agradecemos à Comunidade Taiwanesa pela confiança nesta parceria". A CDL de Blumenau vem atuando em conjunto com os representantes da comunidade, inclusive auxiliando-os na identificação das necessidades mais urgentes hoje para o município.
História
O Centro de Convivência de idosos – Casa Santa Ana inaugurada em 23 de outubro de 1999, começou com um desejo de Mons. Geraldo Piesik, padre polonês apaixonado pela missão no Brasil e que sonhava em construir um lugar, uma instituição para trabalhar com pessoas da terceira idade. Um lugar que correspondesse às necessidades físicas, emocionais e espirituais tão próprias desta fase da vida.
Já com a construção bem adiantada, Mons.Geraldo trouxe uma congregação de religiosas para administrar o trabalho que ali se realizaria, por parte das irmãs da Congregação das Irmãs de Santa Elisabete, que foi feito um contrato de comodato, (congregação também de origem polonesa).
A Casa Santa Ana com o passar dos anos, foi tornando-se um referencial não só na cidade de Blumenau mas em toda a região do Vale do Itajaí, referencial no cuidado da pessoa idosa e no zelo por sua dignidade. Gerard Eugeniusz Piesik, (Mons. Geraldo) da diocese de Pelplin, Polônia; veio como missionário para o Brasil em 1973 para Blumenau. Depois de passar por algumas outras paróquias foi designado para a Paróquia Nossa Senhora da Glória, onde foi pároco por 18 anos, realizando o sonho de construir a Casa Santa Ana.
ESTRUTURA FÍSICA:
- O Centro de Convivência de Idosos – Casa Santa Ana é uma construção de 4 andares com 2.998m².
- No andar térreo encontra-se um amplo hall de entrada, elevadores, uma porta que dá para a escadaria que leva para os andares superiores, banheiros, secretaria, capela, refeitório e a cozinha com despensas.
- No primeiro andar existem amplos corredores com janelas de fora a fora formando as paredes externas da construção para o lado norte em frente dos quais dão as portas e janelas dos apartamentos. Nos corredores existem sofás, cadeiras e mesinhas com material para leitura. Existe ainda um Posto de Enfermagem, um almoxarifado, banheiros, um salão de festas e reuniões (que serve também de local para fazer ginástica) com lugar para assistir televisão, bebedouro, lavanderia e também existem 5 apartamentos que ficam ao lado sul.
- No segundo andar há 11 apartamentos no lado norte, e 12 no lado sul, corredores com poltronas, cadeiras e mesas, Posto de Enfermagem, almoxarifado e sala de banho para a higiene pessoal que quem precisa de auxílios nesta atividade.
- No terceiro andar as dependências são iguais às do segundo andar.
- No quarto andar para lado sul localiza-se a Enfermaria B, e ao lado norte está a Enfermaria A: acomodações para pessoas dependentes restritas ao leito, mais um Posto de Enfermagem. Ao lado norte do piso está localizada a sala de fisioterapia, além de almoxarifados e escritório. Neste quarto piso temos ainda como área externa um grande terraço para acomodar melhor as famílias que vêm em visitas e acompanhamentos, além de banho de sol para os hóspedes deste piso.
Em uma construção a parte, atrás da Instituição, e no nível do primeiro andar existe uma garagem, uma área coberta para secar as roupas, um depósito maior e vestuário para os funcionários. A construção é bem adaptada à população idosa ali residente, com piso antiderrapante, corrimões ao longo dos corredores e banheiros com alças para segurança. Todos os andares estão interligados por escadas, elevadores e interfones.
Cada idoso dispõe de um quarto com banheiro. O idoso pode trazer seus móveis e utensílios particulares.

Arquivo: José Geral Reis Pfau e Adalberto Day

3 comentários:

Santos disse...

Adalberto. Na minha modesta opinião, eu apenas acrescentaria o fato de que a Furb costuma encaminhar seus alunos de fisioterapia para alí aperfeiçoarem seus estudos e conhecimentos e ao mesmo tempo, prestarem um valioso serviço aos idosos, principalmente aos
que mais problemas fisicos apresentam. Nossa neta, por exemplo, lá esteve por diversas vezes antes de concluir seus estudos nessa área. Parabéns por mais essa sua importante pesquisa. Abrs.
E.A.Santos

Ignez disse...

Com muito carinho e gratidão recebo a Newsletter, e repasso para meus amigos em outras cidades do Brasil.
Agradeço a Deus por nos ter dado pessoas tão despretenciosas e bacanas como vocês.
Grata, ignez.

Nayara disse...

Prezador professor Adalberto Day.

Sou pesquisadora no Rio de Janeiro e no momento estou trabalhando junto ao professor Marco Aurélio Ruediger (que também reside no Rio de Janeiro) para levantar informações acerca da família Ruediger (ou Rüdiger) em Blumenau.
Ao pesquisar na internet me deparei com o seu blog, que é muito bem estruturado, e pude perceber que o senhor já realiza pesquisas sistemáticas acerca da história da cidade.
O bisavô do professor Marco Aurélio, foi Hermann Ruediger (Rüdiger), importante comerciante de Blumenau, que se destacou nos primeiros anos da colônia por ser proprietário da loja "Hermann Rüdiger & Filhos" na Rua XV de novembro, esquina com a atual rua Amadeu da Luz. Hermann nasceu na Alemanha em 1843, veio para o Brasil em 1862, com apenas 19 anos de idade e morreu em 1926 em Blumenau.
Será que o senhor saberia, onde em Blumenau eu poderia encontrar registros acerca dos imigrantes alemães no Brasil? Já entrei em contato com o Arquivo Histórico José Ferreira da Silva e com a Comunidade Evangélica em Blumenau e obtive importantes informações. O senhor, em suas pesquisas já encontrou alguma referência a Hermann Ruediger ou a seu filho Orcar Ruediger que possa me ajudar? Qualquer informação será de grande valia.

Desde já grata,

Nayara Galeno do Vale

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...