"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

sexta-feira, 16 de maio de 2008

- Frei Odorico

Frei Odorico Durieux atuou por mais de 40 anos no Colégio Santo Antônio em Blumenau.

-MESTRE DE TANTAS GERAÇÕES

Publicado pelo Jornal de Santa Catarina 02 de setembro de 2000 – 150 anos de Blumenau – Volume 3 –personagens , lugares e construções.
- Dos memoráveis mestres franciscanos, instrutores de gerações de alunos do Colégio Franciscano Santo Antonio, frei Odorico Durieux é o mais lembrado. Difícil saber a razão. Talvez seja um conjunto de fatores, pequenos detalhes que pouco a pouco conquistavam os jovens pupilos e a comunidade de Blumenau. A cultura vasta, o amplo conhecimento da literatura portuguesa e francesa, a oratória cativante eram apenas alguns dos dons que jorravam do capacitado professor da língua nacional. Nascido em 14 de maio de 1908, em Santo Amaro da Imperatriz, ele faleceu em 26 de novembro de 1997, de complicações decorrentes de uma cirurgia cardíaca. Os alunos temiam de inicio as aulas ministradas pelo franciscano frei Odorico Durieux. O pavor era ainda maior para os descendentes de imigrantes, criados à base de muita língua alemã. Odorico conhecia português como poucos. Também dominava latim, francês e espanhol. O calvo professor, de gestos rápidos e vigorosos, rabiscava freneticamente o quadro negro, amedrontando ainda mais os jovens aprendizes. Seus pequenos olhos se moviam nervosamente, mas a postura ereta facilitava a pronuncia dos vocábulos, que saiam perfeitos da garganta do mestre. O terror inicial se desdobrava, invariavelmente, em um grande respeito à língua e a um aprendizado consistente, relembrando por toda a vida. Odorico, de forma simples, ensinou a gerações de blumenauenses as minúcias do idioma. Sua vida em Blumenau começou aos 11 anos de idade, quando ingressou no seminário. Em 1925, aos 17 anos, recebeu o hábito religioso, na cidade de Rodeio. E, em 1931, foi ordenado sacerdote em Petrópolis. Desde que celebrou sua primeira missa, no dia 7 de junho de 1931, na cidade onde nasceu frei Odorico transformou-se em um pregador que deixou lembranças por onde passou. Aos 23 anos, seguiu para o seminário em Rio Negro(PR), desta vez como professor. Um ano mais tarde, foi transferido para Santos, onde permaneceu por seis anos fazendo batizados, pregando e exercendo a função de missionário. Durante a 2ª Guerra Mundial, em janeiro de 1939, foi transferido para o Colégio Diocesano de Lages, onde foi professor até fevereiro de 1941. De Lages, foi para o Rio de Janeiro, onde assumiu as funções de redator da revista O Espírito Santo. Lá, também foi secretário e co-fundador da Revista Eclesiástica Brasileira.
As transferências, comuns no meio eclesiástico, começaram a cessar em 1942. Nesse ano, mais precisamente no dia 10 de janeiro, Odorico assumiu a direção do Santo Antonio. Ficou no cargo até janeiro de 1948. A ligação com o município fez com que se estabelecesse definitivamente em Blumenau no ano de 1956. A Ordem Franciscana da Imaculada Conceição, temendo os protestos de toda a sociedade blumenauense, decidiu não mais transferi-lo Em 19 de abril de 1978 recebeu da Câmara de Vereadores o titulo de Cidadão Blumenauense. Frei Odorico acreditava que todos deveriam estar preparados para falar em público. Assim, resolveu ensinar o dom da oratória aos alunos do Santo Antonio. Além de ser co-fundador da Escola de Comércio do colégio, também foi responsável pela criação da Academia Literária de MontÀlverne, que dirigiu até poucos anos antes de sua morte. Mesmo idoso e mais distante das salas de aula, não se furtava a acompanhar o pronunciamento de cada acadêmico. As melhores performances recebiam os aplausos do velho mestre.
História O Bom Jesus Santo Antônio iniciou suas atividades em 1877 (na época, com o nome de Colégio Santo Antônio), tendo uma classe de apenas 16 alunos, filhos de imigrantes residentes na colônia de Blumenau e de outras localidades da região.Ao longo dos anos, expandiu-se, tanto física quanto pedagogicamente, e transformou-se no que é hoje, um dos mais importantes estabelecimentos escolares de Santa Catarina. Em 2000, com a união dos colégios franciscanos, passou a fazer parte da Associação Franciscana de Ensino Senhor Bom Jesus.A metodologia do Bom Jesus Santo Antônio prima pela participação do aluno em sala de aula, utilizando-se de atividades contextualizadas que despertem o interesse e facilitem o processo de construção do conhecimento. O Bom Jesus Santo Antônio também é uma escola que acredita na formação do estudante como cidadão e ser humano, além de preocupar-se com a tecnologia e o desenvolvimento das melhores práticas pedagógicas. Um dos principais projetos da escola é o Projeto Virtudes, que desperta o educando para os valores humanos em todas as série da Educação Infantil ao Ensino Médio.
Arquivo de Adalberto Day

8 comentários:

DENISE disse...

FREI ODORICO JAMAIS SERÁ ESQUECIDO.
NÃO SOMENTE PELA CULTURA, PELO PROFESSOR QUE FOI, MAS TAMBÉM PELO GRANDE AMIGO QUE PERDEMOS.
VINHA COM FREQUENCIA AQUI EM CASA,
DATAS IMPORTANTES, ELE ESTAVA SEMPRE PRESENTE. UNIA A FAMILIA EM TORNO DELE. MEU SEGUNDO PAI, MEU GRANDE AMIGO .SAUDADES.

DENISE DURIEUX

Osni disse...


Meu professor de língua portuguesa no ginásio e no contador, com este mestre aprendi a levar à sério nosso linguajar .... Sorte que não existia Internet........
Osni Josefowicz

Ubirajá disse...

Em 19 de abril de 1978 recebeu da Câmara de Vereadores o titulo de Cidadão Blumenauense. Este homem era uma mãe!!! gostava dele!
Ubirajá Píndaro Tasso Jatahy

Renato disse...

Mestre. Da linguá portuguesa. Figura humana incrível. Reputo como uma das maiores sumidades de Blumenau.Renato John

Jorge disse...

Ele era diretor do colégio em Lajes (quando lá estudei). Ele no Colégio Santo Antônio e o professor Joaquim Sales, eram os mestres da linguá portuguesa em nossa cidade
Jorge Alexandre von Hertwig

Cláudio disse...

Ele era professor de Português e diretor do Colégio Franciscano Santo Antônio quando la estudei em 1964
Cláudio Roberto Hoffmann

Silvia disse...

Ilustra figura. Também foi meu professor. Era muito exigente e assim se aprendia muito. O pior era toda aquela literatura portuguesa que caia na prova. Também dirigiu a Academia de Monte Alverne onde se aprendia a redigir, discursar e criticar um discurso. Bons tempos. Muitos ensinamentos!
Silvia Odebrecht

Silvio disse...

Fui um dos fundadores da Academia Frei Francisco de Mont!Alverne
Silvio João Zimmermann

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...