"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

- Os Holetz


(E) Residencia  dos Holetz no Bom retiro (C) Hotel Holetz 1902 (D) Grande Hotel 
O Majestoso Hotel Holetz, cujas linhas arquitetônicas se constituíram, durante toda sua existência num dos mais belos cartões postais de Blumenau.
História:
Moritz Holetz

Patriarca da família Holetz que se radicou no Brasil, Moritz Holetz nasceu em Marklissa Bei Goerltz, Alemanha, em 1830. Filho de Wilhelm Holetz e Henriette Weise, Moritz, cujo nome em português equivale a "Maurício", chegou a Blumenau em 1854, sendo um dos pioneiros da promissora colônia alemã que começava a se formar no jovem Brasil Império. Trabalhou ativamente no desenvolvimento da colônia Alemã, amparando e orientando os recém-chegados e fornecendo-lhes refeições, além de trabalhar como açougueiro. Em 1857, no dia 6 de setembro, casou-se com uma jovem alemã de vinte e quatro anos - três a menos que ele - de nome Caroline Ida Wagenknecht, que viera de Tromlitz e era filha de Henrich Wagenknecht. Moraram em uma casa construída na esquina da atual rua 15 de Novembro com a alameda Rio Branco, em Blumenau, onde hoje se encontra o Hotel Blumenau.
A data de seu casamento constante em seu registro civil não é confirmada pelo registro histórico da biblioteca de Blumenau, que indica o dia 15 de outubro de 1855 como a data de suas bodas. Isso leva a crer que a oficialização de seu casamento civil deu-se dois anos após a consumação do mesmo.
Moritz Holetz faleceu no dia 22 de maio de 1884, deixando para seus filhos algumas propriedades em Blumenau, e para seu filho mais velho, Richard Holetz, a incumbência de substituí-lo no açougue. Mais tarde, Richard Holetz construiu e administrou o Hotel Holetz, o principal de Blumenau por longos anos. Também era de sua propriedade o salão de bailes que, muito mais tarde, deu lugar ao atual Cine Busch.

Heinz Holetz me passou os seguintes dados:
*Wilhelm Holetz emigrou de Marklissa bei Goerlitz, situada na antiga provincia oriental da Silésia (Schlesien-capital Breslau), hoje território pertencente à Polônia.
*Moritz então chegou ao Brasil não sozinho, mas acompanhado de seu pai, Wilhelm Holetz (já viúvo) e seu irmão Friedrich (Fritz).
*Moritz casou-se em 15 de outubro de 1855, sendo este o terceiro casamento registrado na nova colônia. O casamento religioso consta na data de 6 de setembro de 1857 porque a parôquia evangélica levou algum tempo para ser instalada.
*Moritz tornou-se assim o patriarca da família, pois Friedrich teve apenas duas filhas, que deram origem às famílias Schreiber e Zwicker, cujos descendentes ainda moram no bairro Garcia, em Blumenau-SC.
Considerando-se que a família Holetz, cuja grafia termina com as letras TZ, teve sua origem entre a Áustria e a Alemanha, e o fato de que sempre paira sobre a família um espírito de nobreza, pioneirismo e renovação, pode-se supor que os Holetz sejam descendentes de algum desses nobres franceses. Nada há que ateste a veracidade dessa origem. Todavia nunca soube-se de nada que a contradissesse. Trata-se apenas de deduções envolvendo antigos conhecimentos transmitidos através de gerações e as coincidências relacionadas ao fato histórico.
Colaboração:Morgana Holetz Aguiar - Estado do Espírito Santo

2 comentários:

Morgana disse...

Querido amigo,
Primeiro quero lhe falar de minha emoção e alegria ao ler a pesquisa feita por mim em um site tão bem trabalhado como o seu, acredite, já ganhei meu presente de Natal e este ano vc foi o papai-noel. Obrigada e parabéns por este seu lindo trabalho de estar resgatando a história.
Quando comecei toda esta pesquisa, sempre motivada por meu pai, achei que nunca ninguém se interesaria, confesso que ouvi várias vezes pessoas falarem "que bobagem...isto é perda de tempo, quem vai querer ler isto um dia", mesmo assim prossegui, afinal passou a ser também uma maneira de me sentir mais próximo de toda esta família que ficou tão longe quando aos 15 anos vim morar no Espírito Santo.
Todo este trabalho começou aos 12 anos mas quando vim embora, me motivei mais ainda e sempre que ia à Blumenau de férias visitava bibliotecas e parentes que nunca imaginei ter contato um dia, como por exemplo o pai de Mário Holetz(fotógrafo), que era irmão de meu opa (Victor Holetz).
Bem amigo obrigada mais uma vez.
Em anexo segue o que tenho sobre o Pasto dos Holetz...não é muita coisa mas talvez te sirva. Este texto foi tirado de uma publicação do GEO (Grêmio Esportivo ?), não lembro bem o nome do clube, enfim se minha memória não falha, quem me passou esta publicação foi Dalmo Bozzano, na época casado com uma de minhas primas, a Jane.
Beijinhos e qualquer coisa e só falar.
Morgana Holetz Aguiar

A comunidade... disse...

Que pena, lembro quando era pequeno vi a demolição deste tão famoso cartão postal de Blumenau. Era muito lindo jamais poderiam ter demolido este patrimonio público. Esse principalmente n que ficava em um lugar estrategico, deveri9a preservar para a aternidade.
Mas agora é atrde, esperamos que não se deixe acabar com alguns dos patrimonios que ainda existem...acorda Blumenau...preservar a história é cultura - é entender o presente e projetar o futuro...e turismo na certa....acorda ...acorda...Blumenau. Falo em nome de toda comunidade, já nos arrependemos um monte...agora acorda..acorda autorides...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...