"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

- Jornal Metas - Gervásio Tessaleno Luz

 

COLUNA

Prosa & Verso

Por Gervásio Luz

Cinema e livro brasileiros

Desde guri, curti bastante o produto nacional em termos de cinema. Além das chanchadas do Oscarito e Grande Otelo e as fitas que tinham pouco enredo e intermináveis mais números musicais. Embora sério, longe da chanchada, - também pudera dirigido pelo ator italiano Adolfo Celi, nunca esquecerei Tico- tico no fubá, com a belíssima Tônia Carrero, a quem fui apresentado pelo então prefeito Renato Viana, no Grande Hotel Blumenau. Virou mania agora fazerem filmes sobre artistas de nosso país. A maioria cantores e cantoras. E lá vem, pelas tevês por assinatura, a biografia, pífios retratos desses "estrelos".

Dos que vi, registro:

Hebe, a mulher maravilha. A Hebe Camargo pode ter sido uma mulher maravilha de programas de auditório. O filme não é um filme maravilha. Foca mais os bastidores dos programas do que propriamente os shows e entrevistas. A atriz lembra de longe a apresentadora. Uma Dercy Gonçalves, apresentada pela Hebe como a mulher mais bonita do Brasil, e também pouquíssimo parecida com ela, limita-se a levantar-se do desbundante sofá e expor seus (flácidos?) seios.

Tim Maia - A atuação do ator fica a dever ao seu enorme vozeirão, Fraco.

Wílson Simonal, que, embora negando, foi um tremendo dedo- duro, entregando seus colegas "esquerdistas" ao regime militar. Dispensável.

Chacrinha - Salvo engano, fizeram dois filmes sobre o Abelardo Barbosa. Suportável o que é vivido pelo Stepan Nercessian (ex-vereador no Rio e em plena atividade ainda na Sétima Arte.

Gonzagão e Gonzaguinha - Pai do Asa Branca e seu filho cantor e compositor. Assistível.

Elis - Devo ter esquecido outros e outras, mas o que com o qual a gauchinha que enriqueceu a música brasileira merece destaque.

Trata-se do melhor dos filmes citados acima.

Eu tinha na minha biblioteca o livro O Cinema em Santa Catarina, do meu conhecido José Henrique Nunes Pires, cineasta florianopolitano, que todos chamam de Zeca Pires apenas. A obra sumiu sem explicação alguma.

Lembrei-me então do também amigo Adalberto Day. Ele mantém, via internet, um arquivo histórico de Blumenau de deixar qualquer um boquiaberto. E foi ele que me forneceu os dados necessários. A obra enviada - Pioneiros do Cinema Catarinense - José Jullianelli e Alfredo Baumgarten, os primeiros cinegrafistas da região do Vale do Itajaí. Ambos focalizaram o início do século 20, anos de 20 e 30.

https://adalbertoday.blogspot.com/2018/02/blumenau-e-sua-historia.html 

O comerciante Willy Siewert também filmou cinejornais e documentários na década de 1960.

Portanto, se temos acesso a essas importantes fontes para a memória de Blumenau e cidades vizinhas devemos a eles.

Na realidade, ficamos gratos aos descendentes de italiano (Jullianelli) e a alemães (Baumgarten e Siewert).

http://www.jornalmetas.com.br/prosaeverso/cinema-e-livro-brasileiros-1.2271315 

----------------------------------

Adendo de Adalberto Day - Cientista Social e pesquisador da história:

O Professor Gervásio Tessaleno Luz, foi (é) um dos grandes amigos e educador que tive o prazer  na década de 1970, ter sido seu aluno,foi meu Mestre da disciplina de Português. Eu nunca fui muito bem na disciplina, mas conquistei o Mestre com minhas redações, embora com alguns erros, textos aprovados por ele sempre com as devidas correções. Lembro-me que após tantos anos, ele ao adentra-se a sala, dirigia-se direto ao quadro Negro? e escrevia um pensamento, uma frase, antes de terminar, eu em algumas oportunidades  citava quem escreveu. Preferido dele, Vícios de Morais. Quero aqui me render e citar mais alguns grandes Mestres em "Português"; Professor Salles, Barbieri, Nilton Zosky, Bernadete Venera.

Agradecer ao Mestre Gervásio por citar meu nome no jornal Metas da vizinha cidade de Gaspar e também o envio do Livro "Máximas do Barão de Itapuí (ele próprio) Itapuí da rua frente ao 23 BI onde mora desde 2008.  Crônicas e Apontamentos. 



Professor Gervásio o homem de tantas histórias, crônicas, contos, - que adorava (adora) pássaros, cães, e sem falar do seu Uísque de boa qualidade. Um cidadão nascido em Rio do Sul, mas com coração Blumenauense "Barão de ITAPUÌ" da rua Itapuí e do #ReinoDoGarcia. Homem de prosa e verso, humilde simples e inteligente.

3 comentários:

Sérgio disse...

Obrigado Adalberto por enviar. Parabéns! Que legal! O teu trabalho servindo de fonte de pesquisa ao Professor Tessaleno. Bom dia!
Sérgio Cunha

Unknown disse...

Tudo o que se disser sobre o Professor e jornalista Gervásio Luz é pouco para descrever o Mestre, o escritor e o ser humano que ele é. Obrigada, Adalberto, por compartilhar!

Zuqui disse...

Meu caro Adalberto!!
Confesso que quando comecei a ler o texto estava enxergando tão somente uma critica cineasta, após entender do que se tratava o texto, comecei a ver que não somente eu o admiro como professor e historiador dentre outros... Parabéns por mais uma bela colaboração para enriquecer o referido texto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...