"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

terça-feira, 18 de abril de 2017

- Time do Bom Retiro

Um dos uniformes que o FC Bom Retiro Utilizava - Alvinegro.
Poucos são os registros que temos sobre o Alvinegro Clube de Futebol Bom Retiro do bairro que emprestou o nome ao clube. Porém estes dados são importantíssimos para nossa história e quem sabe podemos ter a colaboração de outras pessoas e colocaremos no texto da postagem. Com a ajuda do Jornalista Giovani VitóriaMoacir Curbani, Theodor Darius, Wieland Lickfeld e Adalberto Jorge Kluser conseguimos alguns dados e fotos.

Quando garoto, lá pelos anos de 1960 ouvia falar que no final da década de 1920 o Amazonas Esporte Clube o primeiro clube de Blumenau do Bairro Garcia, havia contratado Leopoldo Cirilo um centroavante espetacular conforme ouvi em minhas pesquisas. A contratação foi a maior transação esportiva na época, reforçando o Amazonas que já possuía Nena Poli e outros, ajudando a formar na época um dos melhores clubes de Santa Catarina. Conheci tanto Nena Poli, de enorme estatura e forte fisicamente de cor branca. Leopoldo Cirilo de cor Negra, era alto e forte, ambos amavam o clube anilado do Garcia. Leopoldo Cirilo morava próximo a casa em que residíamos.
Leopoldo Cirilo e Nena Poli - craques do futebol de Blumenau
Foto 01
Futebol Clube Bom Retiro. Fotos provavelmente do início do Início dos anos 1950/51.
Na Foto 02: Pedro Curbani, o primeiro agachado da esquerda para direita. O terceiro agachado (com camisa escura) era o irmão do senhor Pedro: José Curbani, conhecido em todo o bairro Garcia, na época do Amazonas Futebol Clube, como Jépe. Jépe também atuou no Tupi (Gaspar) e Palmeiras de Blumenau.
Jépe irmão de Pedro Curbani além de jogar no Bom Retiro, também jogou no Tupi de Gaspar, Palmeiras de Blumenau e campeão por anos no Amazonas do Bairro Garcia. Um craque que chegou a ser convocado para a a Seleção de SC. Jogava de quarto Zagueiro e meio de campo. Batia pênalti com maestria. Na época os torneios inícios quando jogos terminavam empatados eram decididos por penalidade, três por equipe e um único jogador batia. Jépe conduziu o Amazonas a ganhar alguns torneios nas décadas de 1950/60.
Fonte: KORMANN, Edith. Blumenau: arte, cultura e as histórias de sua gente (1850-1985). vol. 1. 2ª ed. Florianópolis: Edith Kormann, 1996. Enviado por Wieland Lickfeld.

Pequena História:
Em 18 de outubro de 1926 foi fundado o "FC Bom Retiro”. Uniforme com cores preta e branca. Disputou o estadual de 1932, sendo eliminado pelo Brasil (Palmeiras) de Blumenau. O pequeno campo ficava no bairro mas não identificado.
O time ficou inativo no final da década de 1930. Outro Bom Retiro foi fundado posteriormente em 13 de janeiro de 1946 por remanescentes do FC Bom Retiro
TÚNEL DO TEMPO: F.C. BOM RETIRO - BLUMENAU
O Futebol Clube Bom Retiro, fundado em 18 de outubro de 1926,  foi o clube do bairro homônimo em Blumenau. As cores da bandeira e uniforme eram preta e branca.

O alvinegro foi o segundo time blumenauense no campeonato catarinense, em 1932. Naquele ano, quatro equipes participaram da competição no sistema eliminatório (mata-mata). No campo da Sociedade Ginástica (campo que hoje pertence a E.E.B.E. Pedro II) , em Blumenau, o Brasil venceu o Bom Retiro por 6 a 3.


No outro confronto, o Figueirense venceu o Brasil de Tijucas por 4 a 1. Na decisão, o time de Florianópolis sagrou-se campeão ao vencer o Brasil de Blumenau por 7 a 3. Nesse caso houve uma trapaça Leiam: A trapaça, campeão foi o Brasil, Palmeiras, BEC


Naquele ano, a diretoria do Bom Retiro era composta por: 

Presidente: José Baum

Vice-presidente: João Hahn
1º Secretário: Francisco Klitzke Jor
2º Secretário: Paul Fritzshe
1º Tesoureiro: Theodoro Darius
2º Tesoureiro: Walter Seelbach

O clube inscreveu 16 atletas para o campeonato catarinense de 1932, entre eles, Nilo Silva (Tigi), que mais tarde tornou-se um conhecido árbitro da Liga Blumenauense.

Nilo Silva; Arnaldo da Silva Porto; Herbert Otto; Helmuth Fischer; Paulo Fischer; Walter Seelbach; Ricardo Fischer; Afonso Balsini (Posto de Saúde da Velha Central tem o seu nome); Lauro Gracher; Theodoro Rodrigues; Bento Silva; Walter Deggau; Alfredo Creus; Walter Eisenhut; Theodoro Spitzer; Adolfo Pellath.

Fonte: acervo Osny Meira a ofício FC Bom Retiro/1932
Arquivo de Moacir Curbani/Adalberto Jorge Kluser/Adalberto Day/colaboração Giovani Vitória, Wieland Lickfeld, Theodor Darius e Adalberto Jorge Kluser/pesquisador do futebol catarinense.
Vídeo de Moacir Curbani:
Homenagem de Moacir Curbani ao Clube e seu pai Pedro
Para saber mais sobre o Bairro Bom Retiro clique em:
Bairro Bom Retiro

5 comentários:

JAS disse...

Olá:
Realmente muito interessante.
No sábado de Aleluia, tive a sorte de ir à ARENA do Grêmio Porto-Alegrense, onde vi o Museu e a história do Grêmio, desde 1903. No primeiro uniforme os atletas tinha gravata...
Ab.
José Alfredo Schierholt

Anônimo disse...

Oi, Adalberto, morei 20 anos no Bom Retiro,e só agora fico sabendo do club que houve lá!
Valeu!
Urda Alice Klueger

sergio luiz buchmann disse...

Bom dia Professor Adalberto! Nesse texto Time do Bom Retiro,fica evidente o quanto nós revelávamos bons jogadores,e a enormidade de clubes de futebol que já tivemos,e todos com ótimos jogadores desde a década de 20. O que me faz lembrar em ir ver jogos onde famílias inteiras se reuniam pra ver jogar, posteriormente ir jogar mesmo não sem lá uma Brastemp mais fazia meus gols e defendia outros pra não serem feitos. A Evidencia da época só nos faz ver que até os dias de hoje revelamos grandes jogadores muitos não valorizados nos gramados migraram ao futsal e jogam no Brasil e exterior. E quanto as trapaças da época sem comentários isso agente vê ate hoje. Estaduais direcionados,pequenos não podem chegar ou permanecer na elite. Sem contar a falta de incentivo de empresários pra nos fazer fortes e mostrar que santo de casa faz milagres sim. O incentivo já não vem tanto não por falta de vontade e sim por descrença, pois já foram patrocinados por grandes empresa que posteriormente o que se viu foi roubalheira,e não o pensamento em termos um time grande e forte. Grande abraço meu querido e obrigado pois Professor Adalberto tbm é CULTURA.

Silvio disse...

Na sexta dia 21 de abril eu e o Zinho falamos do 12 e te ti.Pois eras um exímio cabeceador e tanto ele como eu temos a mesma opinião.Quem melhor sabia usar a cabeça para cabecear na nossa geração foste tu.
Att.,

Silvio Roberto de Oliveira

Nillton Sergio Zuqui disse...

Meu caro Adalberto,
Por isso que sempre falo, uma das melhores coisas que faço é ler suas postagens. Pois tenho sempre uma novidade, já mais saberia que o referido bairro possuía um time, e pelo que acompanhei no texto tratava-se de um time competitivo. Muito bom o texto, parabéns.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...