"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

terça-feira, 29 de novembro de 2016

- Avião com delegação da Chapecoense cai na Colômbia

Por Adalberto Day
#CHAPE  Amigos para sempre, o novo time de todas as torcidas.
28 de novembro/2017
Esse dia jamais será esquecido na história do futebol mundial e em especial de Santa Catarina – Brasil.
As vitimas de toda essa tragédia merecem todo nosso respeito. Jogadores, dirigentes, repórteres,
O “Campeão voltou” sim foram campeões do Estado de Santa e Sul americano.
Foram nossos ídolos, guerreiros. Três deles passaram pelo nosso #C.A. Metropolitano , o Thiaguinho, Bruno Rangel e Neto (que resistiu a queda.
Assisti um dia aqui na Associação Artex (jogadores do Amazonas) a Associação Chapecoense derrotar a equipe da Artex por 1x0 , gol de André Cambalhota.
Que todos vão em paz e tenham seu acalento junto a moradia no reino de DEUS.
Nossa gratidão e sentimentos a todos familiares
Site oficial da Associação Chapecoense de Futebol
Tragédia: avião da Chapecoense cai na Colômbia e 71 morrem
https://goo.gl/yjMns6 
Tragédia com a Chapecoense começou com mudança de voO
https://goo.gl/mDhBgp
Mais noticias sobre o Acidente
https://goo.gl/kYZhCL
Último registro de todo o elenco da Chapecoense antes do embarque- Reprodução Internet
Blumenau - Prefeitura
HISTÓRICO
A Associação Chapecoense de Futebol foi fundada em 10 de maio de 1973 e, atualmente, é o maior, mais vitorioso e bem estruturado time de futebol profissional da região oeste de Santa Catarina. Sua origem está ligada ao fato de que, na década de 1970, a região possuía apenas alguns times amadores, sendo inexpressiva em relação ao futebol profissional. Com o propósito de reverter esta situação, alguns desportistas da cidade, jovens apaixonados pelo esporte, decidiram se reunir para criar um time de futebol profissional para a cidade. Entre os presentes nos primeiros encontros, destacam-se Alvadir Pelisser, Heitor Pasqualotto, Altair Zanella, representante do clube Independente, Lotário Immich e Vicente Delai, representantes do Clube Atlético de Chapecó. De maneira geral, pode-se dizer que a Associação Chapecoense, posteriormente um dos grandes do futebol catarinense, surgiu da união dos clubes Atlético Chapecó e Independente.
Desde seu início, a ideia agradou à população e às lideranças locais. Um fato marcante nesta história, e que pode ser compreendido como um dos fatores de sucesso do clube é o fato de que, desde sua fundação, a associação sempre pode contar com o apoio dos empresários da cidade e da região. O primeiro terno de camisas, por exemplo, foi doação do empresário Ernesto de Marco, proprietário das Casas Vitória, fato que é relembrado por Pelisser, em depoimento dado ao caderno comemorativo aos 30 anos do clube, editado pela própria Associação, como sendo uma verdadeira glória para o time. Ao longo dos anos, a Chapecoense recebeu um grande incentivo de outras figuras marcantes da história de Chapecó, entre eles Heitor Pasqualoto, Avelino Biondo, Moacir Fredo, Arthur Badalotti, Gentil Galli e Plínio Arlindo De Nês, líder empresarial e político que deu apoio incondicional ao clube.
Em 1973, formou-se a primeira diretoria da Associação Chapecoense de Futebol, constituída pelos seguintes dirigentes: Presidente: Lotário Immich; Vice-Presidente: Gomercindo L. Putti; Secretário: Jair Antunes de Silva; 2º Secretário: Altair Zanela; Tesoureiro: Alvadir Pelisser; 2º Tesoureiro: Paulo Spagnolo; Diretor Esportivo: Vicente Delai; ainda com a participação de Jorge Ribeiro (Lili) e Moacir Fredo. Conforme lembra Pelisser "muitos não recebiam nada, jogavam vestindo a camisa; iam ao campo com vontade e garra, uma vez que a arrecadação da Chapecoense era pequena".
A primeira formação do time tinha era composta por Odair Martinelli - Alemão (motorista da SAIC), Zeca (apelidado de "Calceteiro" por ser o responsável pela montagem das calçadas, funcionário da Prefeitura de Chapecó), Miguel (Cabo da PM/SC), Boca, Vilmar Grando, Caibi (Celso Ferronato), Pacassa (José Maria), Orlandinho, Tarzan, Ubirajara (PM/SC), Beiço, Airton, Agenor, Plínio (de Seara), Jair, Raul, Xaxim e Casquinha (funcionário do BESC). Todos sempre acompanhados por Nilson Ducatti e pelos dirigentes.
O primeiro time profissional não demoraria para ser formado. Treinado por Gomercindo Luiz Putti, trazido a mando de Pasqualoto da cidade de Concórdia), e tendo como diretor de futebol Vicente Delai, a equipe era composta por Beiço, Schú, Zé Taglian, Bonassi, Pacasso, Minga, Casquinha, Albertinho, Caibí, Eneas e Zé.
Beto, jogador da equipe à época, relata o primeiro jogo como profissional: "foi contra o São José de Porto Alegre, no campo do Colégio São Francisco, Chapecoense 1X0 São José, o segundo jogo foi realizado na cidade de Xaxim contra o Novo Hamburgo". Ainda no ano de 1973 a Chapecoense foi a Florianópolis jogar contra o Avaí, o jogo foi empate dois a dois, "empatar com o Avaí na capital foi a maior glória para a Chapecoense", conta Pelisser.
Hoje a Chapecoense tem o apoio de empresários, dirigentes, atletas e ex-atletas, sócios torcedores e imprensa local. Isso, mérito de anos de história e títulos alcançados. Ao todo são cinco títulos (2016) no Campeonato Catarinense, nos anos de 1977, 1996, 2007, 2011, 2016. Em 2006 a equipe foi Campeã da Copa Santa Catarina. Em 2009, ao disputar a Copa do Brasil, a Chapecoense teve acesso a série D do Campeonato Brasileiro de Futebol. Com a classificação na Série D, ainda em 2009 obteve o acesso à Série C, competição que passou a disputar a partir de 2010.
O título de 2011 também credenciou a Associação Chapecoense de Futebol à disputa da Copa do Brasil, segunda disputa mais importante do futebol brasileiro que, inclusive, conduz o campeão à disputa da Copa Libertadores da América, o mais importante torneio de futebol da América Latina. Todos estes fatores tem feito com que a diretoria do clube não tenha medido esforços para montar equipes competitivas. Isso, no entanto, só é possível a partir da participação intensa e maciça dos torcedores locais, seja comparecendo aos jogos ou colaborando de forma permanente com o clube.

O ano de 2012 marcou uma excelente temporada do Verdão. Classificado para a semifinal da Série C, a equipe comandada pelo técnico Gilmar Dal Pozzo conquistou o direito de disputar a Série B em 2013. O fato inédito na história do clube, também surpreendeu muitos e foi neste período que aconteceu o maior feito de todos, com o acesso para a elite do futebol brasileiro, justamente no ano de realização da Copa do Mundo no país. Com uma participação cujo principal objetivo era adquirir experiência e manter o clube na elite, a Chapecoense chegou ao final de 2014 com seu objetivo alcançado.
A chegada de 2015 foi realmente cheia de entusiasmo. Com a experiência adquirida em 2014, a diretoria trabalhou na montagem da equipe com um princípio. Montar um elenco para encarar toda a temporada, com foco principal no Brasileirão. Apesar da Chape ter ficado de fora da decisão do estadual, o terceiro lugar garantiu pelo terceiro ano seguido uma vaga na Copa do Brasil. Competição esta que o Verdão tem grandes chances de avançar para a 3ª fase pela primeira vez.
Em 2016 conquistamos mais um título estadual.
Em 28/11/2016 o fim trágico da equipe campeão.
Maior titulo: Campeão da Copa Sul-americana em 2016
Fora de campo, o clube também festeja as novas estruturas que estão sendo construídas na ala lesta e a nova sede do clube.
Fonte: O futebol e a ocupação do espaço social em Chapecó (1919 – 1973) – Eli Maria Bellani
Adaptação: Departamento de Marketing e Assessoria de Imprensa da ACF 

7 comentários:

Cao Zone disse...

Com relação a esse acidente da Chapecoense na Colômbia... Não pude deixar de lembrar do Cau Hansen... Quando em 1994 a sua aeronave a 10 km do aeroporto da cidade colombiana de Barranquila chocou-se com um morro, e vieram a morrer os três tripulantes do Cessna 208. Cau então fora o principal herdeiro e presidente do Conselho de Administração do Grupo Hansen, da cidade de Joinville e fabricante dos tubos e conexões Tigre. A Colômbia não seria um bom destino para aero-viajantes catarinense...

Anônimo disse...

Depois de tudo que ouvi sobre o acidente, me pergunto: Até onde vai a ganância do dito ser humano?


Rudolf

sergio luiz buchmann disse...

Boa tarde Professor Adalberto! Quanto a essa tragedia o que muito me surpreende são as brigas das emissoras por audiência.em pró de um único assunto, todos divulgando as mesmas informações,e alguns tentando encontrar culpados,tentando incriminar quem não vai poder se defender,bem isso é de praxe em acidentes com aviões, sendo que a tal caixa preta é que pode esclarecer tudo.O que também me deixa sempre muito esperançoso por um mundo melhor é a solidariedade em que vc em vida real ,e virtual.Tem o aproveitadores de plantão como a netshoes que dobrou o preço da camisa da chape,a própria Chapecoense incentivar o programa sócio torcedor,penso nãos ser momento pra isso. E tem aquele comentarista inimigo declarado do outro,chorando e se dizendo que eram grandes amigos,me poupem.Enfim um momento trágico mesmo tendo os que realmente se comovem, sempre aparece o aproveitador da situação! Bem amigo tens ai minha opinião! ( QUE DEUS ABENÇOE A TODOS OS QUE SE FORAM E OS RECEBA DE BRAÇOS ABERTOS EM SUA CASA, E ELE CONFORTE TODOS OS FAMILIARES NESSE MOMENTO TÃO TRISTE! ABRAÇÕ!!!

Marilene disse...

Muito triste e estamos em oração. Todas as igrejas da região foram convocadas a continuarem a orar.
Ainda não li uma reportagem onde fala o motivo da ANAC ter proibido o voo.

Alexandre Farias disse...

Um dia que ficará marcado para sempre em nossas lembranças. Que tragédia, que tristeza. Confesso que ontem à emoção não nos permitiu acompanhar as notícias. Força Chapecó!!!

Nillton Sergio Zuqui disse...

Meu caro Adalberto,
Isso é lamentável, pois vc vê uma acessão tão correta, rápida deste jovem clube, que fica marcado não pelo título que pudera conquistar, mas pela tragédia ocorrida.
Lembro quando durante quatro anos viajei por um empresa o Brasil, sempre de avião, sabemos que ainda é o meio de trasporte mais seguro, toda via quando há uma queda é sempre desastroso. Não havia viagem sem coração, espero que as famílias dos atletas e demais passageiros tenham muito conforto, e carinho de todos nós.

Cao Zone disse...

Voltei aqui para postar uma frase que sintetiza todo esse acidente:
"Eles queriam conquistar a América... Acabaram conquistando o mundo".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...