"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

quinta-feira, 21 de maio de 2015

- BEC campeão estadual!

A trapaça!
Faço este  relato, pois poucas pessoas têm o conhecimento deste episódio e que fique registrado nos anais do Futebol de Blumenau e catarinense.

O que me motivou, foi a entrevista publicada no Jornal de Santa Catarina dia 25/04/15 concedida ao amigo Jornalista Everton Siemann . Na oportunidade Siemann fez um relato sobre as duas conquistas do futebol blumenauense nos estaduais, o bicampeonato do Grêmio Esportivo Olímpico nos anos de 1949 e 1964. Também relata os vices campeonatos já conquistados por agremiações de Blumenau.

Além do Bicampeonato Estadual de Futebol do Olímpico, chegamos ao vice-campeonato em 7 oportunidades:
- 1927 Brasil FC (antecessor do Palmeiras)
- 1928 Brasil
- 1932 Brasil
- 1947 Palmeiras (antecessor do BEC)
- 1955 Palmeiras
- 1970 Olímpico
- 1988 Blumenau E.C.
Os campeonatos catarinenses de futebol inicialmente as partidas finais eram sempre disputadas em Florianópolis, independente se participasse clubes da capital ou não. Então sempre ficava mais fácil aos clubes da capital de vencer com apoio da torcida e também de péssimas arbitragens. Quando ganhamos no campo, deram um jeito de anular o jogo. 

No campeonato estadual de futebol de 1932, entra em cena o tapetão catarinense.

Brasil de Blumenau campeão!
          Em 1932 o Brasil F.C. de Blumenau chegou a sua terceira final. Novamente contra um time da capital E, mais uma vez, Acabou em confusão. Após empatar em 1x1 com o Figueirense no tempo normal, a equipe de Blumenau venceu a prorrogação com um gol de Mário. Dias depois a FCD Federação Catarinense de Desportos, cassou o titulo do Alviverde, alegando que o centro médio José trocara o Caxias pelo Brasil por 1500 Réis, ferindo o amadorismo vigente.
Decisão extra:
O campeonato seria decidido em um jogo extra, em 22 de janeiro de 1933  - com José escalado . O Pau correu solto , ao ponto dos visitantes pedirem  que  o juiz fosse  substituído no intervalo.
Não foram atendidos e ainda ficaram com um jogador a menos, já que Ferraz fraturou a perna em uma dividida e foi para o hospital.
Resultado perderam de 7x3 para o time do Figueirense.
Para provar que o resultado foi atípico, duas semanas mais tarde os blumenauenses do Brasil, convidaram o Figueirense para um amistoso em seus domínios em Blumenau. De nada adiantou, porém, meteram  6x1 no Figueirense - O titulo já era dos manezinhos.
Acervo Adalberto Day/ Almanaque do Futebol Catarinense.

3 comentários:

Nillton Sergio Zuqui disse...

Meu caro Adalberto,
É lamentável saber que nos anos 30 já existiam falcatruas no futebol, por estas e outras os times da Capital nunca foram muito bem recebidos em todo o interior do nosso estado.Percebemos que não é somente rivalidade de clubes, e sim por ser da capital, inveja ? Pode ser, pois querendo ou não eles sempre estiveram em destaque nas competições nacionais , toda via , o seu relato para mim é o que vale, além de ser um amante do esporte em geral, também é um profundo conhecedor dos fatos. Parabéns pela postagem.

EDEMAR ANNUSECK disse...

Falcatruas sempre existiram e continuarão existindo. O duro é poder provar no papel.Conheço histórias incríveis, mas como posso provar se não tenho nada por escrito ou documentado por videos, gravações ou fotos. Erros de arbitragem, vitórias no "tapetão" sempre aconteceram no futebol. Infelizmente.

Valdir Salvador disse...

Realmente é assustador a forma como fomos roubados se assim posso me manifestar, porque da forma que se diz manézinho deveria se manezão por eles serem tão ligeiros já no antigamente, mas....digo o titulo de 1955 eu guardo como lembrança inesquecível o desfile que foi organizado como a taça de Porcelana eu lembro na passagem sobre a Ponte do Ribeirão Garcia, o torcedor meu amigo e torcedor doente do ex Palmeira Conhecido por Mauro quem não conhecia em Blumenau, ele em cima da ponte ele gritou sou Palmeira até de baixo da Agua, e atirou-se de ponte abaixo, mas foi tão azarado que caiu nas margens do Ribeirão e ficou atolado na lama da lateral do ribeirão que foi causado por uma cheia, Adalberto que me perdoem os torcedores do olímpico que no meu parecer serviam só para elevar as bilheterias do estádios quando se encontravam com o Palmeira e o nosso Glorioso Amazonas Esporte Club o mais querido
Respeitando o Vasto Verde e o Concórdia, e os briguentos tupi de Gaspar, o União de Timbó. Em tempo o olímpico ganhava quando era favorecido pelo o tradicional Juiz Popularmente conhecido por nego Paulino que Deus o tenha, abraços
Valdir Salvador.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...