“A Educação é a base de tudo, e a Cultura a base da Educação”

Seja bem-vindo (a) e faça uma boa pesquisa.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

- Blumenau dos Pudins, Mostarda, Macarrão

BLUMENAU DOS PUDINS, DA MOSTARDA, DO MACARRÃO...
 
Carlos Braga Mueller
Jornalista e Escritor

Tudo leva a crer que a tradição empresarial mais arrojada de se fabricar produtos alimentícios tenha começado em Blumenau com o exemplo pioneiro de Heinrich Hemmer Sênior, em 1915 (Vendida em 23/setembro/2021 para a multinacional dos EUA Kraft Heinz) , que teve a ideia de comercializar, com sua carroça, de casa em casa, o chucrute, conhecido como “sauerkraut”. Era feito  com o repolho que plantava atrás de casa.
Logo os negócios prosperaram e Hemmer também entrou na linha  de pepino e beterraba em conserva, além de lançar a famosa mostarda escura, do tipo holandês, até hoje considerada um produto da mais alta qualidade. 

A longevidade da fábrica comprova a excelência dos produtos, pois a Hemmer Alimentos, sua denominação atual, tem atualmente cerca de 300 itens na sua linha de produção.
Situa-se no bairro do Badenfurt, na rua que homenageia seu fundador: Heinrich Hemmer. É comandada pelos seus descendentes, já na quinta geração.

Outro “boom” na produção de alimentos em Blumenau deu-se pelos anos 1950 e nossa cidade tornou-se bastante conhecida pelos deliciosos pós para pudins, condimentos e massas, produtos que eram conhecidos em todo o Brasil.
As Indústrias Gerais Cássio Medeiros fabricavam o famoso Pudim Medeiros. No Vale do Itajaí era o campeão em vendas, encontrado em todas as lojas de secos e molhados e nas famosas “vendinhas” do interior. A fábrica ficava situada no final da Alameda Rio Branco, na rua hoje denominada Farmacêutico  João Medeiros; depois mudou-se para a Rua Bahia. O empresário Werner Peiter assumiu em determinada época seu controle acionário e consta que hoje a empresa cerrou suas portas.
No seu rastro surgiram outros fabricantes.
Um deles foi a Sibli, - Sociedade Industrial Blumenauense, cuja fábrica localizava-se na Rua Marechal Deodoro. Sua especialidade, porém, eram as massas alimentícias, o macarrão que dava água na boca... Não existe mais.
A família Teske fundou em 1956 a Fábrica de Produtos Alimentícios Tell, especializando-se na mostarda e molhos, além de colocar no mercado o pó para Pudim. A fábrica ainda existe e hoje em dia sua denominação é Tell Alimentos.

Estas foram algumas indústrias que fizeram história no cenário empresarial blumenauense. 
Sem falar nos chocolates da Saturno e Salware. Que não existem mais. A Saturno cerrou suas atividades e a Salware, depois de um incêndio, mudou-se para Curitiba.

RECLAMES NO RÁDIO
Nos anos 50 as fábricas insistiam em atingir o consumidor local e para isso anunciavam regularmente na PRC-4, Rádio Clube de Blumenau, que até 1957 era a única emissora de rádio blumenauense.
O Pudim Medeiros era citado na rádio sempre que terminava uma música. Era sagrado. Terminava o disco (o bolachão de 78 rpm) e antes de falar qualquer coisa o apresentador/locutor dizia:
Pudim Medeiros, a melhor sobremesa do Brasil !”

Na mesma rádio, a PRC-4, também era apresentado todas as quartas-feiras a noite o programa “Variedades Tell”, enfocando músicas alemãs e patrocinado pela Indústria de Produtos Alimentícios Tell. A quase totalidade dos discos rodados era da discoteca particular do Sr. Teske, proprietário da fábrica.

A SIBLI também fazia “reclame” na emissora de rádio, mas com anúncios segmentados.
Jornais e revistas locais anunciavam igualmente as “excelências e qualidades” dos produtos de Blumenau daquela época. Uma prova é a ilustração desta matéria, publicada na Revista Progresso de 15 de março de 1965, que era distribuída quinzenalmente nos Cines Busch e Blumenau. Uma obra de arte feita pelo desenhista, caricaturista e pintor de Florianópolis, Domingos Fossari. 
E assim os anos foram passando, grandes empresas blumenauenses disseram adeus e desapareceram. Mas ficaram na história !
Arquivo: Carlos Braga Mueller/Mercado Livre

23 comentários:

  1. Pudim Medeiros e Hemmer, produtos muito saborosos.
    Legal a reportagem, parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Adalberto e Braga que saudade amigo dessas delicias que minha mãe preparava aos domingos,que pena as vezes o tempo é cruel
    Everaldo Vedes

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Adalberto

    muito legal esta matéria do Braga.
    Muitas lembranças destes tempos vem a memória, bons tempos.
    O chocolate da marca Salware (um acrônimo) ainda hoje encontro aqui na cidade.
    Gostei da matéria.
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde Adalberto e Braga Muller, meu ex colega da PRC-4

    A Sibli fabricava balas, e entregava nas casas para embrulhar.Era muito comum na época.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu, quando criança, cheguei a embrulhar balas Sibli com minha mãe. Bela lembrança.

      Excluir
  5. Boa tarde.
    Pudim fez a minha alegria quando criança.Que delicia.Quanta coisa super interessante aqui.Saber como começou e bom demais.E também é triste ver que muita já fecharam as portas.Parabéns a vocês por mas este texto que faz parte da história de Blumenau e também que cada um de nos que se deliciou com algum destes produtos.Abraços gasparenses.Arlete

    ResponderExcluir
  6. O Pudim Medeiros tinha espalhado por vários lugares da cidade cartazes grandes estampados com a figura de uma mão com o dedo indicador em riste e a frase "PUDIM MEDEIROS UM SÓ"
    O sr.Nestor S.Heusi, comentou com o sr.Medeiros, que interpretava a frase como antipropaganda do produto. É comer um só e deixa na imaginação de cada um o porquê. Resultado, modificaram os cartazes
    Parabéns pelos seus relatos e abraço,
    Lauro Cordeiro

    ResponderExcluir
  7. Beto e Braga
    Nenhum pudim fabricado hoje se compara ao Pudim Medeiros. Até hoje não consigo entender o fechamento da fábrica.
    Braz

    ResponderExcluir
  8. Caro amigo Adalberto que prazer poder usar este espaço novamente assim a gente umilde como eu até se sente mas util a todos por compartilhar das bonitas historias lembradas por voces, exemplo esta Flamula do Pudim Medeiros isto é entrar no tunel do tempo, é uma pena que não se faz mais filhos como antigamente, como exemplo nimgem da familia do Sr Leonardo Peiter quis seguir com a Empresa do Pudim Medeiros, e assim as outras empresas que passaram por Blumenau, a propaganda Pudim Medeiro na Radio Clube éra feita Pelo nosso Heroi da Radio, Tangará e as Irmãs Pera,ja de Madrugada e em seus schous esternos. O pudim era ainda melhor porque até nos crianças conseguiamos fazer. Beto Braga e todos os leitores um forte abraço deste seu amigo Valdir Salvador

    ResponderExcluir
  9. EU TIVE UMA FLÂMULA DELES.

    ATÉ HOJE NÃO VI PUDIM IGUAL O DELES
    Miriam Klock

    ResponderExcluir
  10. os envelopes de pudim eram colados artesanalmente, até eu fiz, morava ao lado na rua Bahia heheh
    Fabio Rozane

    ResponderExcluir
  11. Pudim Medeiros delicia meu pai sr Bendini vendia muito na sua venda em 1960 no bairro d Velha . lembranças boas.
    Ana Maria B. Lauth

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde Braga Muller

    Fiquei muito feliz , cheia de saudade e alegria ,ao ler seu artigo ,sobre o Pudim Medeiros .
    Foste muito fiel à história da fábrica , criada por meu pai.
    As lembranças voltaram comovidas .Os perfumes se misturavam dentro da fábrica e chegavam até nossa casa . Os do pudim , da canela moída, do açúcar de baunilha , eram uma delícia.
    Essas lembranças trouxeram alegria , não só a mim , mas a toda família.
    Muito obrigada ,um abraço.

    ResponderExcluir
  13. Adalberto e Braga
    Outro dia estava eu sentado num banco da Praça XV em Florianópolis e qual não foi a minha surpresa ao deparar com uma propaganda. PUDIM MEDEIROS - A MELHOR SOBREMESA DO BRASIL. Na época quem doava o banco tinha estampado no mesmo a sua propaganda. Era a iniciativa privada participando desde aquela época meu amigo José Geraldo Reis Pfau !!!!!!!!!
    Renato Mauro Schramm

    ResponderExcluir
  14. MARIA ESTELA MEDEIROS PIAZERA,
    Que bom saber que existem ainda pessoas dessa família medeiros morando em Blumenau..
    vendiamos esse produto no armazem de meu pai, aqui no sul do Paraná, nos anos 60
    Queria te pedir um grande favor, escanear e postar, ou me enviar por e-mail imagens das embalagens do pudim e essencias medeiros para matarmos um pouco as saudades, e queria saber também se outra indústria ficou com as fórmulas de fabricação e qual?
    Grande abraço!
    drantoniomauricio1956@bol.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olha só, lembro que quando criança na BR 116 caminho para Curitiba havia um outdoor bem grande do Pudim medeiros, continha o desenho vintage de um menino aguardando que sua mãe o servisse com o delicioso pudim. Que saudades desse tempo!

    ResponderExcluir
  16. Nelsita Grassi
    Sou mais do MACARRÃO e do PUDIM.
    MOSTARDA não é a minha praia.
    Mas, o meu respeito aos muitos que apreciam.

    ResponderExcluir
  17. Darcy Spranger
    E ainda são muito usados os produtos da Hemmer . E são muito bom excelente qualidade , pena que não fazem mais a sardinha em salmoura , nos anos 50 e 60 a sardinha era feita em conserva na Cidade de Penha , pelo Henrique Hemmer casado com a tia Regina Spranger íamos muito para lá visitar eles

    ResponderExcluir
  18. Celso Santos
    Saudoso Pudim Medeiros! A Escola Agricola ficava cheirosa com aquele cheiro de pudim. É possível relembrar o cheirinho em Jaraguá do Sul.

    ResponderExcluir
  19. Hilmar Isleb
    No Salto Weissbach existia a Indústria Donabela, na esquina das Ruas Bahia e General Osório. Fabricava pudins, vinagre, mostarda, etc. Quando pequeno ia lá de bicicleta fazer compras direto na fábrica. Se localizava próximo da nossa casa. Acredito que ainda existe. Na época pertencia à família Selzer.

    ResponderExcluir
  20. Ademar Jose da Silva
    Pudim Medeiros, Chocolates Saturno, Cia. Jensen (Frigor), Alimentícios Tell, Bebidas Thomsen, Café Uru e tantas outras grandes empresas, que deixaram saudades e um grande hiato nesses segmentos...

    ResponderExcluir
  21. Renato Mauro Schramm
    Trabalhei no Pudim Medeiros. O proprietário Sr Cássio era um alquimista. A todo Momento fazia um novo produto e/ou melhorava os existentes.

    ResponderExcluir
  22. Tive o prazer de trabalhar ba Cia. Hemmer por alguns anos, a partir de 1966, sob a gerência SR.Georg Träger com escritório a Rua São Paulo,2741. Na minha época além do tradicional chucrute e mostarda, tinha grande produção de palmito e penino e tb. tinha uma fábrica de sardinhas em salmoura e em latas situada no município de Penha sob direção do Sr. Heinrich Hemmer. (Horst Otto Mödinger


    ResponderExcluir

Como fazer:
- Após fazer seu comentário, clique no circulo; em frente a palavra NOME/URL.
- Digite o seu NOME ou APELIDO, no quadradinho que esta em branco
- No quadradinho URL não precisa colocar absolutamente nada.
- Clique no quadrinho "Não sou um Robô"
- Pronto, agora clique em publicar
- Observação: Deixe o seu E-MAIL de contato para retribuir seu comentário.
Grato.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...