"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

terça-feira, 1 de julho de 2014

- Tiago Splitter

Parabéns  Tiago Splitter
Tiago Splitter, nasceu em Joinville, no dia 01 de Janeiro de 1985. Tiago vai se juntar ao sucesso de outros talentos catarinenses como Ana Moser, Xuxa, Guga  Falcão e outros.
O Brasileiro Tiago Splitter (foto de Artur Moser) é o primeiro e catarinense a conquistar a NBA. Festa foi completa em San Antonio, no Brasil e em Blumenau, pois Tiago Splitter começou sua jornada em Blumenau pela equipe do Ipiranga. Tiago Splitter é blumenauense de coração e adoção.
O San Antonio Spurs é o campeão da temporada 2013/2014 da NBA. No dia 15/junho/2014, a equipe derrotou o Miami Heat por 104 a 87, em casa, e fechou a série melhor de sete partidas em 4 a 1. O pivô Tiago Splitter se tornou o primeiro brasileiro a conquistar a liga americana de basquete.

24/06/2014 | N° 13236 Jornal de Santa Catarina
Entrevista concedida ao jornalista EVERTON SIEMANN
NBA
“Meu sonho é conseguir uma medalha com o Brasil”
Após o inédito título na NBA, Splitter curte os dias de férias ao lado da família em Blumenau
Passadas as festas de celebração pelo inédito título da liga norte-americana de basquete (NBA), a mais importante do mundo, o blumenauense Tiago Splitter está em casa. O pivô do San Antonio Spurs chegou domingo a Blumenau, onde ficará nos próximos dias ao lado da família. Ontem reuniu a imprensa num hotel da cidade para falar sobre o momento que vive, relembrar o passado e projetar o futuro.
Incentivador do esporte, Splitter espera que a conquista dele ajude a fomentar novos talentos para o esporte. Confira o que disse o camisa 22 do Spurs na entrevista a seguir:
Jornal de Santa Catarina - Há uma semana você levantava o troféu Larry O’Brien e entrava para a história da NBA, como o primeiro brasileiro a erguer a taça. Tem noção deste feito?
Tiago Splitter - Ser campeão é bom demais, era uma sonho para mim só estar na NBA. Um título era algo que nunca passou na minha cabeça. Claro que quando você entra na NBA, você pensa nisso, passa a ser um objetivo e jogando no (San Antonio) Spurs ainda mais. Significa alcançar um objetivo na melhor liga do mundo. Grandes jogadores não conseguiram isso e estou muito feliz. Pude dar um gostinho de vitória ao basquete do Brasil, no meio de uma Copa do Mundo, que não é fácil (risos).
Imagem: Rádio Clube de Blumenau

Santa - Mostramos em uma reportagem que aos 12 anos você sonhava em jogar na NBA. Você foi além. Aos 29 anos (2014), qual é o sonho do Tiago Splitter?
Splitter - Existem objetivos e existem sonhos. Agora para mim o sonho é conseguir uma medalha com o Brasil numa Olímpiada ou num Mundial. Quero estar no cenário mundial com a Seleção. Sei que não é fácil, também não foi fácil chegar à NBA e muito menos ser campeão.
Santa - Você foi para a Espanha aos 15 anos. Se no futuro seu filho Benjamin resolver jogar basquete e receber uma proposta parecida, você dará o mesmo apoio que os seus pais te deram?
Splitter - (Risos). Não vai (jogar), não. (Risos). Já pensei nisso. Espero que ele seja maduro o suficiente um dia para tomar uma decisão, mas vou pensar no momento. O que meu pai e minha mãe fizeram, realmente é difícil. Só sendo pai para entender. Na época não tinha ideia do que estava fazendo.
Santa - O basquete masculino de Blumenau passa por um processo de reformulação, inclusive com o seu irmão (Marcelo) à frente do projeto. Qual a sua participação no projeto?
Splitter - Minha participação é passar minha experiência toda que vivi no basquete internacional. Tudo o que vi de escolinhas. A gente tem que começar pela base, com jovens com talento, que tenham uma estrutura legal para treinar. Para que, se uma criança com 9 anos quiser jogar basquete, tenha um lugar para treinar. Hoje em dia não tem. Comecei a jogar com sete, oito anos, porque tinha lugar para isso. Se a gente não começar a ensinar desde pequeno, a gente vai perder muitas crianças.

Santa - Você cresceu admirando o Michael Jordan. Tem noção de que hoje você é o grande ídolo de muitas crianças?
Splitter - É normal, é bom, é legal. Quando comecei, só tinha Joinville jogando a Liga Nacional e comecei a assistir jogos de Joinville, em que o Ricardo (Probst) jogava. E meu pai falava: “ó, esse aqui é de Blumenau”. E ele era ídolo para mim. Jogar uma Liga Nacional era tudo. Ídolos são exemplos, existem e estou feliz de estar nessa posição. Tem que ter responsabilidade.
Santa - Você acredita que esse título pode ajudar a melhorar o basquete brasileiro?
Splitter - Não sei se vai ajudar imediatamente na organização do basquete brasileiro, isso depende de outras coisas. Mas vai dar a consciência de que tudo é possível. Se um menino que veio lá de Blumenau, treinou no Ipiranga nos anos 90, foi campeão da NBA, por que o Brasil não pode crescer de novo, com uma liga que está melhorando? É a única forma de crescer, a gente ter um bom basquete dentro do Brasil. Talvez essa é a grande contribuição que possa dar ao basquete brasileiro.
Santa - Você acha que essa tua conquista vai influenciar meninos e meninas a praticarem basquete?
Splitter - É uma conversa longa essa, mas posso resumir. A gente fala que o Brasil é um país de esporte, mas ainda falta muito esporte nas escolas. A gente tem, mas precisa ter mais. É onde a maioria dos jogadores é formada, a gente precisa de quantidade para sair qualidade. Aqui em Blumenau até é diferente, a gente tem uma cultura de esporte, mas isso precisa ser massificado no Brasil. A gente tem a nossa realidade, com centros esportivos em Blumenau. Se o Brasil inteiro fosse igual a Blumenau, a gente teria mais esporte. Fora o futebol. Falo dos esportes olímpicos.
Santa - Qual análise você faz das possibilidades da Seleção no Mundial?
Splitter - É um grupo complicado, difícil. A gente precisa classificar entre os dois primeiros. Depois a gente tem que ver como serão os cruzamentos com outras chaves. Nós, França, Espanha e Sérvia não querendo desmerecer os outros dois, somos os mais fortes.

EVERTON SIEMANN

3 comentários:

Osmar Hinkeldey disse...

Bom dia Adalberto

muito boa e oportuna esta matéria sobre o Tiago Splitter, que está de parabéns bem como toda a família Splitter. Ele apenas nasceu em Joinville, não chegou a residir lá; é blumenauense para orgulho de todos nós e que o título de campeão pela NBA com o time do Spurs possa ser um incentivo para outros jovens.
Abraço

Theodor disse...

Muito bacana este sucesso do Tiago. Conheço bem a família dele que frequenta nossa igreja. O pai dele, o Cássio, chegou a me treinar no basquete durante nossa adolescência. Ele é um entusiasta da modalidade e influenciou determinantemente os filhos a seguirem carreira.
Theodor Darius

Nilton Sergio Zuqui disse...

Meu caro Adalberto,

Fico feliz em saber que pelo menos vc e o Santa divulguem este exemplo de atleta, eu diria Brasileiro, pois se dependêssemos do nosso governo federal já mais teria seu reconhecimento como é digno de quem possui tal feito.
Veja vc que tenho um amigo chamado Mauricio Shogun Rua (campeão mundial em 2005 pelo PRIDEE no Japão em luta de de VALE TUDO)hoje atual UFC, na época o vice presidente mandou uma carta de agradecimento pelo feito no exterior , oque eu acho um absurdo, pois são atletas mundialmente conhecidos e feito único para seu pais de origem ,e nem se quer tem seu devido respeito e reconhecimento.
É lamentável, fico feliz que pelo menos nosso estado e vc reconhecem o trabalho deste atleta maravilhoso, como sempre um excelente texto , parabéns...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...