"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

- C. A. Metropolitano de Blumenau

Introdução:
Walter Knaesel que escreveu a crônica quero te dizer, “que paixão é paixão”. Continuo torcendo pelo Amazonas, Olímpico, Palmeiras (BEC), Guarani, Vasto Verde. Mesmo os times não existindo ou não competindo, a nostalgia bate a porta. Sou blumenauense como você, bairrista por natureza, torço pelo Canto do Rio, Horizonte, Independente, Jordão, Ponte Preta, Glória, Estrelinha, e até o 12 que desde 1979 não existe mais, pois o perverso progresso e a vontade de acabar com o nosso campinho foi mais forte que nossa vontade, me refiro a empresa Artex (dirigentes) que fez(fizeram) questão de acabar com o nosso Amazonas e o Clube 12.
Avante Verdão Verde que te quero Verde
Clube “12” – campinho no alto onde aparece a clareira.
Sábado à tarde, domingo pela manhã sol ou chuva, “vamos ao majestoso” estádio dos eucaliptos o clube “12”, para mais um jogo. Geralmente tínhamos que erguer novas traves, pois o Sr. Hipólito tinha recolhido para queimar em seu fogão a lenha.
O pequeno campo do “12” ou Morro se localizava na rua Almirante Saldanha da Gama bairro Glória, próximo às empresas Garcia e Artex em Blumenau. Muitos craques se revelaram nesse pequeno campo, e foram jogar em equipes como Amazonas, Palmeiras, Olímpico e tantos outros. Suas dimensões não ultrapassavam 60 x 30, mais barro que grama, que foi palco de diversos jogos valendo uma “garrafa de capilé” (troféu da época). Obs.:  O "12" existiu devido a retirada do barro para a aterrar a antiga Praça Getúlio Vargas em 1954. 

Quem teve oportunidade de conhecer esse pequeno espaço de propriedade da Empresa Industrial Garcia, com funcionamento, a partir de 1954 até 1979, jamais esquecerá, pois irá recordar de um gol, de machucar o pé ou o dedo no solo irregular, (era comum o atleta atuar descalço).

Adendo ao nosso querido e saudoso "12"
Campo do Clube 12 – Exemplo para Implantação de Áreas Esportivas em Blumenau.
Mais do que bela e nostálgica, esta matéria sobre o nosso atual representante maior do futebol de Blumenau, com a intrínseca lembrança dos saudosos times do passado, desde os principais, até os pequenos, somado a lembrança do campo de futebol do Clube 12, um dos principais centro de formação espontânea de grandes atletas, traz, à tona, dois importantes fatores de valioso valor na aprendizagem no que foi de influência direta e nefasta no desenvolvimento e aperfeiçoamento do futebol de toda a nossa comunidade.
O primeiro destaca-se pelo encerramento do Amazonas Esporte Clube, clube de futebol de valor inestimável para o povo do Bairro do Garcia, como também foram outros, de grande importância aos seus respectivos Bairros, como o Vasto Verde, Palmeiras, Olímpico, Guarani e demais clubes de toda a região, cujo desaparecimento dos respectivos times de futebol contribuiu, consideravelmente, para o declíneo da prática e interesse desse esporte em nossa cidade, que outrora se orgulhava em posição de destaque, hoje se lamenta de sua participação inexpressiva e, em algumas ocasiões, vexatórias, no cenário futebolístico catarinense.
O segundo, da mesma forma seguindo o mesmo caminho vimos o desaparecimento e ou, enfraquecimento das dezenas dos demais times de futebol, representados pelos clubes das 2ªs, 3ªs e demais divisões inferiores e extinção de um grande número de pequenos times, que se formavam em torno de pequenos campos de futebol, como o do Clube 12, nesta citada matéria muito bem lembrado e destacado pelo Prof. Adalberto Day.
O campo do Clube 12, que se localizava nas proximidades da antiga EIG-Artex, atual Coteminas, o qual possibilitou à região abrangente a criação de inúmeros times de futebol, com ensino e prática de futebol a uma infinidade de meninos, “como eu”, muitos dos quais se tornaram verdadeiros craques, que brilharam nas divisões de profissionais do nosso município como também, no cenário estadual e até nacional, em alguns casos específicos.
O terreno do grande morro que abriga o referido “campo do Clube 12”, a exemplo de tantos outros, esta totalmente fechado com impedimento de sua utilização pelo povo, foi disponibilizado, em 2007 pelo proprietário atual Governo do Estado de SC, à Empresa SC Parcerias, para a finalidade exclusiva de ali desenvolver o grande projeto “Centro Tecnológico de Blumenau” e, que até o momento ainda não foi sequer iniciado.
Vejo no exemplo do passado o modelo que deveria ser novamente reaquecido, para a recuperação de toda uma estrutura de sustentação desse exclusivo esporte. Exatamente como um grande caudaloso rio é formado pelo seus constantes afluentes, que por sua vez são criados pelos inúmeros córregos alimentados permanentemente pelas respectivas nascentes, temos que resgatar e desenvolver inúmeras e pequenas áreas de lazer com as quadras poli esportivas, estratégicamente localizadas e eficazmente bem administradas, para a composição da rede que permanentemente encubará, formará e dará a constante sustentação, especialmente ao futebol, ao nosso representante maior desse esporte.

Da mesma forma como contribuiu no passado, o nosso saudoso Campo do Clube 12, o qual poderá, ainda há tempo, ser recuperado e resgatado como modelo-exemplo piloto, de um abrangente projeto que seria desenvolvido e estendido para toda Blumenau, uma rede de inúmeras áreas esportivas, resgatadas e ou implantadas por toda a cidade, com toda a certeza, trará novamente a confiança e o orgulho pelos nossos futuros representantes times de futebol, que contarão com uma ampla e completa estrutura de sustentabilidade, possibilitando a formação de eficientes plantéis profissionais, com todas as chances de projeção estadual e nacional, com muitas vibrantes vitórias e grandes conquistas esportivas.
Além dos exclusivos benefícios futebolísticos, inúmeros outros viriam no bojo desta iniciativa, destacando-se os valiosos benefícios para as áreas da educação e da saúde. Com destaque para a grande contribuição ao povo no combate ao ócio e vida sedentária, atraindo o menino e o jovem para a atraente prática de esportes e participação nos torneios esportivos, ajudando-os enormemente a trilhar um bom caminho de vida e salvando-os das armadilhas das drogas.
“No auge da adolescência, bravamente, do alto dos enormes eucaliptos que ladeava o Campo do Clube do 12, vislumbrava um futuro muito promissor para a nossa comunidade garcience”.
CarlosASallesOliveira
____________________
Mas hoje, nosso time é aquele que disputa o campeonato, o Metropolitano, e estaremos torcendo por ele, que representa nossa cidade Blumenau.

“Verde que te quero verde” como sempre diz o meu amigo Valmir.
Crônica enviada por Walter Marcos Birkner
Por Walter Knaesel
Metropolitano, pão com lingüiça
Meu coração é urbano, suburbano, rural e praiano
Sou blumenauense, brasileiro
De Santa Catarina sou germano, português açoriano, africano, tijucano, alemão com italiano
Rollmops, pão com lingüiça
Arroz com feijão, polenta e pizza
Meu coração é verde, verde, verde, rubro-branco
Preparo-me pra enchente todo ano
Jogo bocha, pesco e pago
Pra enchente me preparo, todo ano, ano a ano
Revellion da Beira Rio
Hering, Malwee, Artex e Sulfabril

Meu coração é verde
Mas torço pra um time do Rio
Torcedor do BEC que se renda
Esca! Ostia! Qués o que?!
Estopôr, cabeça dura,
Vasco, Bota, Flu, Flamengo, o ano todo mulherengo
Meu coração é verde, colono verde rubro-branco
Sou rural, sou suburbano, urbano e praiano
Pra enchente me preparo, todo ano, ano a ano
Torço pra um time do Rio, mas meu coração é Metropolitano
Walter Knaesel
Arquivo Adalberto Day

8 comentários:

Walfrido disse...

Belo Blog Adalberto.....belo Blog
me faz lembrar o passado apesar de estar 45 anos ...me lembro de muita coisa.....antiga....desta cidade ...UM BELO resgate

Um Abraço
Walfrido

Mario disse...

Adalberto,

Torcedor do BEC se render ao Metropolitano(Goiabas) ? Isso jamais.
Cedo ou tarde o BEC vai resurgir das cinzas e vai ter sua gloriosa e fanatica torcida ao seu lado novamente.

Abraços

Valter Hiebert disse...

Boa tarde Adalberto,

a garrafa de capilé era de tamanho idêntico às de cerveja atuais.

Tudo era misturado com água num balde com o qual se tirava água de algum poço comunitário.

No meio do campo do "Doze" tinha a superficie de uma pedra branca cuja parte subterranea deveria ser bem maior, sendo que seu topo ficava quase um palmo acima do nível geral do terreno.

Alí muita gente acertou o dedão do pé, já que rarametnre alguém tinha calçado adequado para jogar futebol e quando alguém aparecei de chuteira, era vetado até que tirasse a mesma, dada a desigualdade com os demais jogadores.

No fundo de uma das traves havia uma subida, onde era fácil buscar a bola.
Contudo, do lado oposto, fundo das casa do Sr. Nelson Oliveira, existiam muitos "pés de silva", muito espinhentos, onde buscar a bola era tarefa muitas vezes recusada.

Na foto publicada aparece o espaço onde o Amazonas E.C. treinou por muito tempo depois que enchente de 1960 (?) destruiu totalmente o salão e campo de futebol.

Alí também foi um pomar da EIG.

O telhado novo que aparece na EIG foi o último suspiro nos investimentos daquele Empresa, pois a dívida alí contraida com o BNDES permitiu ao Governo Federal (Delfim Neto)impor a venda do controle acionário aos acionistas que já controlavam a Artex.

Carlos disse...

Adalberto

Com o lançamento no seu Blog da idéia da implantação das áreas de lazer esportivas, apresento como exemplo os valiosos fatores que no passado foram o sustentáculo principal na formação dos grandes e gloriosos times de nossa cidade, cujo gradual desaparecimento destes, nos trouxe a certeza do grande valor que o antigo modelo representava para a abundancia e sustentação do ótimo nível dos nossos atletas, para o bem dos clubes de futebol, para as conquistas e para o orgulho do o nosso povo.
Entre esses nascedouros e formadores de bons jogadores não poderão faltar as áreas de lazer, com bons campos, com um respectivo projeto administrativo funcional e eficiente, cujo exemplo tivemos, numa forma natural e espontânea, na grande quantidade de bons profissionais que surgiram, nos arredores dos pequenos campos de futebol que existiam em vários locais, como ocorreu, exemplarmente, com o nosso antigo Campo do Clube do 12.
Esta área ainda existe e poderá, caso a nossa comunidade assim o desejar, ser resgatada e reestruturada como um modelo a ser implantado em todo o município. Face a esta possibilidade faço um alerta a toda comunidade, especialmente aos nossos antigos companheiros que freqüentavam o nosso morro, campo do 12 ou Clube 12, para que atentem para a grande importância que este teve e, que ainda poderá ter para a vida desta nossa comunidade. Acordem e ajam, pois estamos na eminência de perder aquela grande e valiosa área, não para o prometido Centro Tecnológico, mas sim, para a esperteza e ganância da iniciativa privada.
Obrigado pela oportunidade.
CarlosASallesOliveira

José disse...

Lembranças gostosas de uma infância e adolescencia felizes: Campinho do 12 e torcida farroupilha do Palmeiras. Coisas que adorava fazer: jogar bola e assistir os jogos do time do meu coração. Beto, obrigado por reavivar essas passagens.
Quanto ao Metropolitano, tomara que preencha na moçada de hoje o espaço que os times do nosso tempo ocupavam nas nossas vidas. Estou aprendendo a gostar dele.
Por enquanto é o Botafogo.
Abraços.

Silvio disse...

Beto
O "controle" era um no gol e o restante dos jogadores ficava tentando fazer o gol de cabeça de fora da área. Quem ao cabecear a bola pra tentar fazer o gol,"ia"para o gol.Não podia chutar,pois a brincadeira doinada, normalmente quem fizesse 3x0 primeiro ficava jogando.
Amigo, BETO DAY,tenho o prazer de dizer que no dia meu segundo filho o Guilherme receberá o diploma de Engeheiro Civil.Com isso seu amigo e engenheiro responsável pela construção da sua casa terá agora um novo engenheiro em seu escritório.Estou muito feliz,pois o filho trabalha comigo desde os 15 anos,e escolheu essa profissão que tanto gosto de exercer.
Beto dia 08/02/2010 o alvinho um vascaíno que aos 9 anos virou fluminense por minha causa fez 54 anos,o Paulo Salles"Paulinho"dia 19/02/2010,fez 54 anos,fui na prefeitura dar um abraço nele.No mês de Abril é o Catatau,eu no dia 23/04/2010 e o nosso famoso Flamenguista Isaias 23/06/2010 faremos também 54 anos bem vividos.
Lembrei agora do José Carlos amanhã temos o encontro do Botafogo e Vasco.Que vença o melhor.
Um abraço do seu amigo Silvio.finada, normalmente quem fizesse 3x0 primeiro ficava jogando.
Silvio Roberto de Oliveira

Gilmar Oechsler disse...

Meu caro amigo, seu blog è um sucesso.Ler histórias do Doze, do Walter Hibert, do Silvio Oliveira, do Zé Carlos Oliveira, ver fotos da casa onde nasci na rua 12 de outubro e dos depoimentos do Walter Hiebert, me levaram as lágrimas. Quanta recordação maravilha. Mostrei aos meus três filhos, a esposa, recordei coisas lindas de minha infância. Apesar de ser um perna de pau no futebol, nunca vou esquecer das peladas no doze. Hoje estou aposentado pela Celesc, onde trabalhei por 35 Anos, sou atualmente, Presidente da Associação de Moradores da Emilio Tallmann.Luto por espaços para prática de esportes, cada vez mais escassos em nosso bairro.

Anônimo disse...

Gilmar Oechsler.
gilmaralfredo@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...