"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

- Os 40 anos do Bi-campeonato do Amazonas

Este ano  2013 - está fazendo 40 anos da conquista do Bi-campeonato da primeira divisão de amadores LBF - Liga Blumenauense de Futebol - ganho pelo Amazonas Esporte Clube de Blumenau.
História
Pequeno resumo dos três últimos anos do clube Anilado.
Em 1972 o Amazonas é campeão Invicto da LBF- 1ª divisão de amadores. Em 18 de junho morre José Pêra ex-jogador, dirigente, técnico, em um trágico acidente na rodovia Jorge Lacerda.
Adir,Nena, Eloi,Mali , Gibi,Gaspar Werninha, Cavaco, Bigo, Nenê, e Erico Hort.
A equipe campeã formou assim: Gaspar, Mali Eloi, Nena e Adir, Gibi e Cavaco, Werninha, Nenê, Nelsinho e Erico Hort.
Em pé (E) para (D): Raul Cavaco,Nena, Girão, Eloy,Gaspar e Adir;
Agachados: Werninha, Nelsinho, Bigo,Tarcisio e Ademir, Tarcisio Júnior
Em 1973 o Amazonas é bi-campeão da LBF – 1ª divisão de amadores, clube então presidido por Valdir Righeto que queria levar o clube anilado a disputa do Estadual, mas com a incorporação da Empresa Garcia á Artex, ficou frustrado o sonho e em conseqüência o desaparecimento do Clube.

Entrega das faixas foi em 10 de fevereiro de 1974, num jogo contra o vice-campeão do Estado o Juventus de Rio do Sul, placar 2x2, o Amazonas vencia por 2x0 gols de Assunção e Nilson (Bigu), deixando escapar a vitória. O Amazonas nesse jogo formou com:
Deusdith, Girão(depois Coral), Eloi, Vilmar e Assunção, Cavaco e Poroca (depois Adir) Werninha (depois Sergio), Nilson (Bigu), Tarcisio Torres e Ademir – Técnico Nicassio.
O fim melancólico

Associação Artex
A incorporação da Empresa Garcia a Artex em 15 de fevereiro de 1974 marcou o começo do fim de uma era brilhante no esporte blumenauense. Os dirigentes da Artex acabaram com o clube, mas ergueram um novo e moderno estádio, no antigo campo do América, que anteriormente era conhecido como pasto do Sr. Bernardo Rulenski, seu antigo proprietário. Por volta de 1970, a Artex comprou este local e fundou em 20/junho1971 a Associação Artex.
O fim foi inevitável, mas trouxe muita revolta por parte de dirigentes, jogadores e torcedores, que ao saber do enceramento das atividades, alguns saquearam a sede e levaram tudo que pudessem para ter alguma coisa como recordação, sem interferência da direção para o ocorrido, tanto é verdade que nada existe na Associação Artex, que mostre a existência da agremiação sou sabedor deste episódio, pois trabalhava na área de Recursos Humanos, onde possuía acesso a estas informações.
O principio do fim

Foi a 26 de maio de 1974, um domingo bonito com sol, mas sombrio pela circunstância, que o Amazonas se despediu para sempre do seu magnífico estádio, uma baixada que foi impiedosamente aterrada, pela Artex, em trabalhos de terraplanagem executado por duas possantes maquinas da Construtora Triângulo, o Amazonas vence o Tupi de Gaspar por 3x1, com 2 gols de Bigo e um de Tarcisio Torres, pelo campeonato Taça Governador Colombo Machado Salles. Os últimos jogadores a pisar o gramado do majestoso estádio da Empresa Industrial Garcia, foram: Gaspar, Girão, Eloi,(depois Luiz), Nena e Adir, Nelsinho e Cavaco, Werninha (depois Poroca),Nilson (Bigo), Tarcisio e Ademir.
Em pé da (E) para a (D) Adir,Vilmar, Girão,Deusdith, Nena, Assunção, Ziza e Wilson Gevard; Agachados: Werninha, Eloy , Bigo,Poroca,Nene.
A última conquista do Amazonas

A conquista derradeira com o nome de Amazonas foi em 1974, na Taça Governador Colombo Machado Salles, também disputado pelo União, Marcilio Dias, Carlos Renaux, Tupi e Humaitá. A campanha do Amazonas, que treinava na atual associação Artex, antigo pasto do Sr. Bernardo Rulenski, se desenvolveu em maus e bons momentos, culminando com a conquista a 14 de julho, ao vencer o Humaitá, por 5x1 no estádio do Palmeiras. Só o avante Nilson (Bigu) fez quatro gols, que serviu para compensar a tristeza pela perda do seu estádio, o outro foi de Tigi (José Egidio de Borba).
Neste jogo derradeiro o Amazonas formou com Gaspar, Girão,Luiz Pereira (Nena), Vilmar e Assunção, Cavaco e Nelsinho, Werninha, Nilson (Bigo) Tarcisio Torres e Ademir. Também atuaram Deusdith, Eloi, Adir, e Tigi.
Arquivo de Adalberto Day

3 comentários:

Adilson Siegel - Ticanca disse...

Presenciei muito próximo os momentos de agonia do Amazonas. Fim este apenas de direito pois de fato continua vivo e atuante em nossos corações e em seu Blog. Minha família respirava Amazonas. Todos sem exceção, desde o meu Falecido Pai "Chico Siegel", meus irmãos Nilson, Wilson Siegel e eu tivemos a honra de vestir o MANTO ANILADO do Bairro Garcia. Participei deste processo de transição Amazonas para Associação Artex e confesso que não foram dias fáceis tamanho o carinho, o amor que sempre cultivamos pelo Glorioso Amazonas Esporte Clube.
AVANTE ANILADO.

Mauricio disse...

Caro Adalberto,

me chamo Mauricio Neves, e moro em Lages.

Estou realizando uma pesquisa sobre o Inter de Lages há 11 anos. Devo publicá-la no ano que vem.

Conheci seu blog há pouco, é uma benção para quem gosta de pesquisa. Parabéns.

Estou procurando há muito tempo fotos da final do campeonato catarinense de 1964, entre Olímpico e Inter. Também me interessam fotos do Inter contra qualquer outra equipe de Blumenau. Gostaria de tê-las na obra - com o devido crédito, claro.

Será que podes me ajudar?

Um abraço, feliz Natal e parabéns pelo blog!

Mauricio

Vângela Queiroz disse...

Beto... Depois que saquearam a sede e levaram tudo. Não teve ninguém que se sensibilizou com a história do Clube e devolveu seus pertences? Triste isso...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...