"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

- Histórias do nosso Papai Noel

Crônica de José Geraldo Reis Pfau, sobre o Papai Noel em Blumenau, principalmente a partir de 1960.

Por José Geraldo Reis Pfau “ Zé Pfau” O Papai Noel

Lojas Hermes Macedo

O mais importante e famoso Papai Noel que conhecemos foi o das Lojas HM nos anos 60. O grande e imponente Papai Noel era de uma família de Circo de Curitiba. Um dos irmãos Queirolo que interpretava a figura simpática e majestosa do Papai Noel, tinha como profissão Policial Rodoviário. O desfile do Papai Noel HM durante anos fez a abertura oficial do Natal do comércio de Blumenau. Era montado com orientação, fantasias e figurantes daquele circo.

A arte era de talentosos blumenauenses – artistas, pintores, escultores e marceneiros – que faziam uma série de carros alegóricos. Além da decoração de loja, a Brinquedorama, as vitrines e de um arco sobre a Rua XV próximo do Banco do Brasil e onde hoje é o Centro Comercial Bremen Zenter. As figuras de Natal no arco eram iluminadas e com movimentos que encantavam crianças de todas as idades. Os funcionários da HM desfilavam como figurantes. Num destes desfiles, tivemos a oportunidade de participar num carro com personagens Disney. Estivemos sob a máscara da cabeça gigantesca de um dos dois esquilos irmãos Tico e Teco.

Em casa com a família – já nos anos 80, convivemos com o bom velhinho, e agora para os filhos, em todas as tradicionais noites de 24 de dezembro. O Papai Noel estava conosco na entrega de presentes quando abríamos a árvore de Natal com a música Noite Feliz. O Sr. José Benício, amigo da família, tivemos a satisfação e o privilégio de ter no nosso Natal com filhos nos sonhos de suas infâncias.

Em outra década, de 90, a CDL fez com a nossa organização a Casa do Papai Noel. Na loja que tem imagem de castelinho na esquina da Rua XV e Ângelo Dias. Onde hoje é uma das lojas Blubel. Para que a imaginação das crianças fosse estimulada no período, a Casa ficava aberta para visitação com filas enormes de pais e crianças para falar com o Papai Noel.

Fotos: Pfau Comunicação.

A Casa tinha todas as dependências, o escritório do Papai Noel onde recebia e respondia cartinhas, o quarto do Papai Noel, a Oficina e fábrica de brinquedos, a sala de jantar do Papai Noel, detalhes como cozinha, banheiro e até a cadeira de balanço que criava o clima da verdadeira casa. No lançamento e no patrocínio sempre tivemos grande prestígio da comunidade e colaboração de entidades do Governo e empresariais. Na cerimônia de abertura, o Papai Noel naquele ano foi emergencialmente substituído pelo artista e profissional de teatro Carlos Jardim. Cuja roupa estava muito além do seu manequim e alfinetes de fraldas fizeram a adaptação para a boa imagem do bom velhinho. Durante o funcionamento criamos a árvore do bico. Local aonde as crianças, cujas mães desejavam tirar o hábito de chupar chupetas, faziam as crianças entregar o bico ao Papai Noel. Eram emocionantes as cenas.

A Casa do Papai Noel do ano seguinte foi na loja reformada após o incêndio no Edifício Catarinense. Naquele ano as entidades do comércio lançaram um grande sorteio de diversos automóveis expostos no local.

Já o bom velhinho que coordenamos a Casa do Papai Noel no prédio já fechado do então Castelinho da Moellmann, em torno do ano 2.000 teve grandes surpresas. Na seleção preliminar do Papai Noel se apresentou um candidato afro descendente. Explicar para o candidato o impacto que isso poderia causar foi uma das grandes tarefas. Como na imagem e no desempenho ele foi a nossa melhor opção, com a maquiagem necessária ele cumpriu de maneira impecável e elogiável a grande tarefa. Em outra escala de expediente o outro Papai Noel tivemos que afastar da tarefa. Como recebíamos cartinhas das crianças exibíamos num mural gigante e ficavam expostas a visitação. O esperto bom velhinho recolhia cartas escritas por mães carentes, viúvas e separadas e fazia contatos galanteadores. Fantasias de Papai Noel.
Em outra situação nós tivemos novamente com a Prefeitura um grande envolvimento na programação do "Natal em Blumenau". Essa sempre foi a forma que as entidades do comércio CDL e Sindilojas consideraram ideal para divulgar o evento e a cidade. O Papai Noel selecionado de então era um homem grande. Na produção de chegada de Papai Noel, ele deveria vir na contra mão da Ponte de Ferro, cruzando a ponte transportada pela maravilhosa "Locopéia" (Planetapéia). O clima estava criado com fogos, música natalina da Banda Noel – Banda Municipal com traje natalino – e o trono num palco. Milhares de crianças reunidas, um grande tumulto próprio destas tradicionais cenas. Para receber as chaves da cidade e fazer a saudação o Papai Noel estava completamente sem condições. Teve oportunidade de saudar com um tradicional - ho...ho...ho... e tudo bem e achamos que ninguém notou.
Essa série de aventuras nos levou a ter a experiência como Papai Noel. Criamos um traje completo com o máximo de detalhes. No Salão Cristal do Plaza, num jantar de final de ano das entidades do comércio pode viver momentos ao animar com atrações uma atividade emocionante e alegre de Natal. Li e gosto de dizer que na vida, a gente passa por três fases: - a primeira quando acreditamos no Papai Noel; - a segunda quando deixamos de acreditar no Papai Noel; - a terceira quando nos tornamos Papai Noel.
José Geraldo Reis Pfau - Publicitário

3 comentários:

Eliane disse...

OLÁ..... Beto
"Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um individuo genial.
Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Ai entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente.
Então para você, desejo o sonho realizado.
O amor esperado.
A esperança renovada.
Desejo todas as cores desta vida.
Todas as alegrias que puder sorrir
Todas as músicas que puder emocionar.
Desejo que os amigos sejam mais cúmplices,
Que sua família esteja mais unida,
Que sua vida seja mais bem vivida.
Gostaria de lhe desejar tantas coisas.
Mas nada seria suficiente para
Repassar o que realmente desejo a você.
Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos.
Desejos grandes, que eles possam te mover a cada minuto
Ao rumo da sua FELICIDADE !
Feliz Vida Nova !
Feliz Ano Novo !

Um abraço no coração



Eliane

Fábio disse...

Olá, Adalberto

Desculpe se estiver sendo inoportuno, mas gostaria de convidá-lo a manter uma coluna na Folhablu no mesmo estilo de blog. Poderia utilizá-la inclusive para divulgar sua página, e se for de seu interesse, também comercializar os espaços publicitários na coluna ou em qualquer lugar do nosso portal. Fica o convite e ficaria lisonjeado se aceitasse.

Abraço

Fábio Souza
Folhablu Jornal e Rádio Online
O primeiro jornal online de Blumenau - A webradio de todas as tribos
www.folhablu.com.br

Nillton Sergio Zuqui disse...

Meu caro Adalberto,
Que saudades da loja HM, lendo o texto que por sinal está magnífico,lembro dos anos 90 onde meu filho(Felipe) hoje com 26 anos, deu seu bico para o Papai Noel em troca de um presente já previamente deixado ao bom velhinho. Quão feliz fico de ler um dos comentários e perceber que publicamente foi lhe feito um convite de trabalho, isso prova que o que vc faz é fantástico, seria capaz de assinar tal jornal, só para ler sua coluna. Parabéns mais uma vez.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...