"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

domingo, 16 de setembro de 2007

- Festejos do Centenário da Empresa Industrial Garcia


O Cantinho da Saudade
Em novembro de 1968, foi comemorado o centenário da Empresa Industrial Garcia- em Blumenau, com grandes festividades, desfiles, competições esportivas, teatros, apresentação de diversas personalidades artísticas do Brasil da época tais como Golias, Ivon Cury, Grande Otello e outros. Uma partida de futebol entre Palmeiras e Olímpico, foi a atração do público que superlotou o magnífico estádio do Amazonas, o resultado foi 1 a 1. Também foi feito um Hino em homenagem ao centenário que foi composto por Francisco Salles de Oliveira, e que era assim: "Salve Garcia centenária campeã dos bons tecidos; Teu barquinho em cem anos a tudo tem resistido; Salve o corpo de empregados, Salve a tua diretoria; Na passagem de um século, Salve o nome Garcia; Garcia, Garcia, no teu bairro a lutar; Nós vamos o progresso conquistar". As festas indígenas eram tradicionais no bairro, também todos os anos, existiam festas juninas, natalinas e do dia do trabalhador. Todas as festas, que se realizaram nas décadas de 50 e 60, eram organizadas pelo inesquecível José Pera, supervisionada pelo gerente Departamento de Relações Industriais, sr. Nelson Salles de Oliveira,os artistas que se apresentavam, eram funcionários, que com muita dedicação e carinho, se apresentavam com orgulho e muita determinação. Também a cada festa, eram realizados diversos torneios de futebol, basquete, vôlei, atletismo entre os diversos departamentos da “Empresa” nome esse chamado carinhosamente pelos funcionários, da Garcia. Arquivo Adalberto Day

2 comentários:

Valter Hiebert disse...

Faz a gente viajar no tempo, lembrar das famílias, das roças do mato dos morros, das zoras para brincar nos pastos.

Quem deve ter muitas historias daquele tempo é teu primo Osmar.

Existem personagens e fatos como os irmãos Nico e Eduardo (os "monos" que mudaram para São Paulo) , Valmor Adriano (mudou para o Rio de Janeiro) e Valmor Costa, o "velho Krueger", as redes de pesca do Marcos Moritz, o medo de "velha" Uber, o Sr . Leopoldo (único negro do bairro) (jogou no Amazonas, o petiço do Sr. ....?, a primeira TV (Silvio Oliveira), os irmãos Santiago (zeca e o Pisca) , Chico Cabeçudo e Chico Manco, nosso "inimigo" que tentava impedir nossas brincadeiras na pátio e horta da fábrica, como nasceu a oficina de bicicletas do Sr. Kertischka, além dos galinheiros, existiam as vacas dos Berns e Bachkman, o furto de abacaxis, melancias, milho, cana e bananna nas roças da região pela molecada. AQs galinhas furtadas que viravam jantar do qual participava o próprio roubado, sem saber. Tem esss e muitas outras para te contar.


Valter Hiebert

Fabricia disse...

Nossa a minha mae era índia nessa festa ela tem muitas fotos dessa epoca onde eram assados porcos inteiros era uma festa meu avô era um grande homen pena que não pude conhece-lo Pera era estimado por todos.Agradeço pelo carinho e atenção Abraços
Fabricia Felicano

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...