"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

sábado, 31 de outubro de 2015

- Helmuth Leyendecker

O HERÓI DO GARCIA
Em histórias de nosso cotidiano apresentamos um pequeno relato de Helmuth Leyendecker que teve uma grande atuação em sua comunidade do bairro Garcia –  principalmente na violenta enxurrada de 31 de outubro de 1961. Morador da Rua Amazonas e trabalhava na empresa Artex S/A. 




Helmuth Leyendecker  e esposa Tereza Ribeiro Leyendecker.
História:
Em 1961 ocorreu uma das maiores tragédias em todo Garcia. Foi na manhã do dia 31 de outubro de 1961. Algumas casas foram levadas, a principal foi na Rua Emilio Tallmann e onde uma mãe com três crianças preferiu ir para o “sótão” descartando o alerta das autoridades e bombeiros. A Casa da família Teixeira, foi levada pela correnteza, a mãe mais dois filhos  não pereceram. As três crianças foram encontradas mortas no estádio do Amazonas. Também nessa enxurrada morreu afogado o soldado Moacir Pinheiro. A tragédia poderia ter sido pior. No entanto, na época, as ocupações nas margens do Ribeirão eram poucas.
Valter Hiebert e seu relato:
Nessa tragédia ocorrida no dia 31 de outubro de 1961, tivemos o caso do Soldado Moacir Pinheiro (morador da rua Almirante Saldanha da Gama, bairro Glória)  que acabou caindo próximo a  passarela (pinguela) após tentar atravessa-la, devido a forte correnteza, da hoje rua Hermann Huscher ( bairro Valparaiso) cujo nível da rua era inferior ao da pinguela. Era água pelo joelho, mas ele caiu e foi arrastado para uma cerca de arame próxima onde ficou preso junto ao entulho e veio a óbito na  atual rua que empresta seu nome,; (Rua Soldado Moacir Pinheiro) no bairro Garcia em sua homenagem.
Helmuth Leyendecker  e esposa Tereza Ribeiro Leyendecker Bodas de Ouro
Outro fato digno de heroísmo foi uma tentativa feita por um morador do Bairro do Garcia  sito a Rua Amazonas e trabalhador da empresa Artex S/A, de salvar três crianças que vinham pelo ribeirão abaixo nos destroços da casa em que moravam. Este senhor foi HELMUTH LEYENDECKER que se atirou nas águas barrentas e com muita correnteza. Seu ato de heroísmo não foi suficiente pra salvar as três crianças, pois a ponte com estrutura muita baixa não permitiu, elas foram encontradas mortas no estádio do Amazonas Esporte Clube de propriedade da E.I. Garcia.
 

O senhor Helmuth foi levado pela corrente da esquerda onde era o leito natural do rio. Uns 150 metros abaixo existia um cotovelo do rio e o terreno mais baixo que o lado oposto. Nesse terreno mais baixo existia um bosque e nele Helmuth Leyendecker encontrou uma árvore salvadora. Mas com o nível do rio ainda subindo, tanto assim que depois destruiu salão do Amazonas. Fico a imaginar a tensão daquelas muitas horas que ali ficou. As tentativas de resgate eram com um barco a remo amarrado com longas cordas que tentava atravessar o rio em diagonal. Depois de várias tentativas frustradas obtiveram êxito,
Salvaram o HERÓI do Garcia. Muitos outros adultos estavam na ponte quando as crianças passaram ninguém mais teve a mesma iniciativa, todos ficaram pasmos com a coragem do 
HERÓI DO GARCIA, finaliza Hiebert.
 ******************************** 
Marcos Salles Leyendecker Meu tio Helmuth Leyendecker, Valter e demais amigos, nasceu em Wuppertal, Alemanha. Seus pais eram Gustav Karl e Margareth (Beigreif) Leyendecker. Veio para Florianópolis em 1926. Meu pai contava ele ainda era de colo, portanto deve ter nascido em 1925, ou 1926, trazido por seus pais, e juntamente com seus dois irmãos, Hans Carl e Robert Ernst, meu pai. Faleceu em Blumenau em 2007.
Casou em Florianópolis com Tereza (Ribeiro) e mudou-se para Blumenau, penso que na década de 40, pois meu pai veio em 1941. Tiveram os filhos: Walter, Margareth, Helmuth Jr, Carlos, Arno e Betina.
Leyendecker Paulo Sou neto de Helmuth Leyendecker . Me emocionei ao ler estes comentários . Ouvi muito pouco da historia . Ele faleceu em 2007 de enfisema pulmonar aos 84 anos . Esta no cemitério da Igreja Luterana Centro . No que puder e precisar me avisem. Consigo até foto dele se quiserem. Eh uma honra para mim como neto homenageá-lo e SIM faria igual se um dia precisar salvar uma vida !
Colaboração Valter Hiebert/Paulo Leyendecker/Marcos Salles Leyendecker.    

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

- Pelé

Faço mais uma postagem sobre Pelé e muitos dados importantes
Seguindo meu raciocínio de postagens, é necessário constar o nome marca "Blumenau"; Pelé jogou em Blumenau no dia 30 de agosto de 1961.

Pelé nasceu no dia 23 de outubro de 1940  na cidade de Três Corações em Minas Gerais. Embora na certidão original de nascimento apareça a data de nascimento de Pelé dia 21 de outubro, como também Edison ao invés de Edson.
Pesquisas de Sidney Barbosa da Silva 
Fontes: Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br ; Placar - "Tira-Teima" - de 01- 11 -1997; e Editora Sextante.

Página adicionada em março/2009.
Pelé começou no futebol jogando pela equipe infanto-juvenil do Bauru Atlético Clube, o Baquinho, time de futebol amador da cidade de Bauru, estado de São Paulo.
Pelo Baquinho conquistou o bicampeonato da Liga Citadina em 1954 e 1955.

Foto divulgação
Em 1956, Pelé foi levado por Waldemar de Britto, antigo meia-direita da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1934, para treinar no Santos e foi aprovado. Estreou pelo clube (equipe adulta) num jogo treino contra uma equipe da cidade de Cubatão reunindo alguns jogadores profissionais e das categorias menores (um mistão), vestindo pela primeira vez a camisa do peixe. O Santos vencera por 6 a 1, com quatro gols de Pelé. Como era apenas um jogo treino, o resultado não contou para as estatísticas de sua carreira e esses quatro gols nunca foram contabilizados, mas foram fundamentais para a sua carreira, acabando inclusive com o apelido de "Gasolina" que os jogadores mais velhos deram a ele. Depois desta apresentação passou a ser chamado por Pelé, como era no Bauru AC.
Depois de mais ou menos um mês treinando com os mais velhos, teve finalmente a chance de jogar uma partida oficial. Foi no feriado de 7 de setembro de 1956, num amistoso do Santos contra o Corinthians, de Santo André-SP. O Santos ganhou de 7 x 1 e Pelé fez seu primeiro gol pelo clube (o sexto da goleada). O goleiro que sofreu o gol "0001" se chamava Zaluar Torres Rodrigues que faleceu em 1995.

No time do Santos teve as maiores conquistas, ganhou mais de 40 taças e foi artilheiro do campeonato paulista em 11 oportunidades, sendo 9 consecutivas. Foi ainda artilheiro da Libertadores (em 1965, com seis gols), da Taça Brasil  por três vezes (1961, 1963 e 1964) e do Torneio Rio-São Paulo em 1963. Apesar de ter feito mais de 1200 gols, nunca conseguiu o feito de ser artilheiro numa Copa do Mundo.
Foto Divulgação: em pé Djalma Santos, Zito, Beline, Nilton Santos, Orlando e Gilmar; Agachados: Garrincha, Didi, Pelé, Vavá, Zagalo.
Na Seleção Brasileira, Pelé (foto reprodução) estreou em 7 de julho de 1957, contra a Argentina, no Maracanã, na vitória do Brasil por 2 a 1. Pelé tinha 16 anos, oito meses e catorze dias de vida, tornando-se jogador mais jovem a vestir a camisa do Brasil. Nesse dia, marcou também seu primeiro gol pela seleção. Já a sua despedida da Seleção Canarinho ocorreu em 18 de julho de 1971, no Maracanã, num amistoso contra a extinta seleção da Iugoslávia que terminou empatada por 2 a 2.
Despediu-se do futebol em 2 de outubro de 1974, Santos 2 x 0 Ponte Preta, pelo campeonato paulista. Aos 22 minutos do segundo tempo, ele se ajoelhou no centro do campo, abriu os braços e virou para os quatro lados do campo.
No ano seguinte recebeu uma proposta irrecusável e voltou a jogar, desta vez pelo Cosmos de Nova York. Estreou em 15 de junho de 1975 no campeonato norte-americano contra o Dallas Tornado (2x2), fazendo um dos gols de sua equipe. Dois anos depois, em 1° de outubro de 1977, se despedia em definitivo do futebol jogando meio tempo pelo Cosmos e meio tempo pelo Santos (Cosmos 2 x 1 Santos), fez um gol - o primeiro do Cosmos.
No dia 15 de maio de 1981, o jornal francês L`equipe concedeu a Pelé o título de Atleta do Século numa pesquisa feita junto aos vinte mais importantes jornais do mundo. Ele teve 178 votos contra 169 do segundo colocado, o corredor norte-americano Jesse Owens, medalha de ouro nas Olímpiadas de 1936, em Berlim. A taça, de bronze, tem 80 centímetros e pesa 23 kg.

CAMISAS QUE VESTIU (Seleções Nacionais, Regionais, Clubes Militares. e outros.)

Ao longo de sua carreira, Pelé (foto reprodução) atuou em diversas partidas festivas, e algumas equipes eram formadas com os nomes de "Amigos de Pelé", "Ex-Atletas do Cosmos", etc.. Dados como estes citados serviram como base a pesquisadores para formar a listagem de clubes e jogos em que atuou. Em alguns casos Pelé acabou por marcar mais gols e disputar mais jogos. Em outros os adversários não batem. 

Na Revista Placar - Tira Teima, de Novembro de 1997, é computado 1376 jogos disputados e 1284 gols marcados - existe ainda a formação de uma equipe denominada "Seleção de Amigos do Garrincha" que não é encontrada em outras fontes pesquisadas.
No site da Editora Sextante, que serviu de base para este projeto, foi encontrado uma relação de jogos e gols da carreira de Pelé em que informa que o Rei fez 1285 gols em 1375 partidas. Em todo caso, este trabalho serve apenas de ponto de partida pois - e com certeza - aparecerão mais dados sobre o Rei do Futebol.

Seguindo os dados obtidos, a relação das equipes (clubes e seleções) em que atuou são:
» Seleção Brasileira » Seleção Brasileira de Seniores » Seleção Paulista » Seleção do Sudeste do Brasil »      Seleção da Nigéria » Santos Futebol Clube, de Santos-SP » New York Cosmos, de Nova Iorque/EUA » Fluminense Foot-Ball Club, do Rio de Janeiro-RJ » Clube de Regatas Flamengo, do Rio de Janeiro-RJ » American All Stars, dos Estados Unidos » Combinado entre o Santos FC-SP e o CR Vasco da Gama-RJ (atuou três vezes e fez 5 gols) » Ex-Atletas do Cosmos » Seleção do Resto do Mundo » Seleção de Amigos do Garrincha » Sindicato dos Atletas, de São Paulo » 6ª Guarda Costeira » Forças Armadas » Seleção das Forças Armadas » Seleção de Astros.
A discussão sobre o gol 1000
Oficialmente, o gol 1000 foi marcado de pênalti, no dia 19 de novembro de 1969, no jogo Santos 2 x 1 Vasco da Gama, no Maracanã, pelo Torneio Roberto Gomes Pedrosa. O goleiro do Vasco era o Argentino Andrada. 
Em maio de 1995, uma reportagem do jornal Folha de São Paulo encontrou um gol a mais do Rei Pelé no Campeonato Sul-Americano Militar de 1959 contra o Paraguai. O gol 1000, assim, teria acontecido cinco dias antes, em 14 de novembro de 1969, em um amistoso contra o Botafogo da Paraíba.
Atualmente, algumas pesquisas para projetos como Pelé Eterno e Historiografia do Futebol Brasileiro , foram encontradas algumas partidas perdidas de Pelé. Estas pesquisas sugerem que o gol 1000 teria ocorrido em 12 de novembro de 1969, na partida Santos 4 x 0 Santa Cruz de Recife.
***************** 
Blumenau 
Foi no dia 30 de agosto de 1961, que o famoso time do Santos de Pelé jogou em Blumenau, no estádio da Baixada. O jogo foi contra o Grêmio Esportivo Olímpico, o placar 8x0 em favor do time do rei Pelé.

Na oportunidade Pelé marcou cinco gols?  e Cabralzinho três, embora alguns afirmem que foram quatro gols e não cinco os tentos anotados por Pelé. Um dos gols teria sido marcado por Formiga (segundo meu amigo Arno Buerger, que assistiu o jogo) e atribuído ao rei do futebol. Mas vale os registros, e na súmula do jogo e também na revista Placar e incluído na contagem dos “1000” gols, constam cinco gols de Pelé neste jogo.
Curiosidades: Pelé recebeu este nome em homenagem a Thomas Edison, o inventor da lâmpada.  Seu Dondinho pai de Pelé colocou o nome de Edison, pois a energia elétrica estava chegando a região. Sim na certidão original de Pelé está o nome de Edison, e não Edson, como também por erro a data de nascimento que aparece na certidão é o dia 21/outubro/1940
No carinho da família, Pelé era simplesmente o "DICO".
Curiosidades sobre Pelé por:
O nome Edison foi escolhido pelo pai em homenagem ao inventor norte-americano Thomas Alva Edison.
Os pais de Pelé se chamavam João Ramos do Nascimento, conhecido como Dondinho, e Celeste Arantes.
Antes de receber a alcunha de Pelé, o pequeno Edison era chamado de Dico pela família.
O apelido Pelé nasceu de Bilé, ex-goleito do Vasco. A explicação: quando pequeno, Edison gostava de ser goleiro, e toda vez que fazia uma defesa gritava um “Segura, Bilé!” que os amigos entendiam como “Segura, Pelé”. O detalhe é que, no princípio, o menino não gostou nem um pouco da alcunha.
Anos depois, numa entrevista a um jornal alemão, Pelé confessou que não gosta do apelido. “Pelé não é o meu nome, meu nome é Edison”, afirmou o Rei do Futebol.

Na infância, Pelé nem sonhava em torcer pelo Santos. Seu time do coração era o Vasco da Gama. Só mais tarde, quando foi contratado pelo time, que se tornou um “santista roxo”.

Pelé começou a jogar no Santos em 1956. Chegou a receber um convite para bater bola na Europa, mas preferiu seguir carreira no Peixe. 
Em 1957, Pelé sagrou-se o mais jovem artilheiro do Campeonato Paulista. Tinha somente 17 anos na época.

O Rei começou a jogar pela Seleção Brasileira 10 meses depois de estrear no Santos. Quando participou da Copa do Mundo do Chile jogando pela Seleção, contava apenas 17 anos.
Número de gols? Foram 1.284 (1285?) (0,93 por partida). Foram 1.091 gols pelo Santos e 95 pela Seleção Brasileira.
O recorde de gols foi numa partida foi contra o Botafogo de Ribeirão Preto, em 1964. Pelé marcou oito gols pelos Santos.
A última Copa que o Rei disputou foi a de 1970, no México. 
Uma revista norte-americana apontou Pelé como um dos 25 atletas “mais legais” de todos os tempos. Além dele, participaram da lista o piloto Mario Andretti, o boxeador Muhammad Ali, o tenista Bjorn Borg e o jogador de basquete Michael Jordan.
Pelé não fez uma, mas quatro despedidas do futebol: duas pela Seleção, uma pelo Cosmos (time norte-americano) e uma pelo Santos. Curiosamente, o último jogo foi entre Cosmos e Santos, com Pelé jogando um tempo em cada time.
Você sabia que Pelé foi Ministro dos Esportes no final dos anos 90? É dele a criação da chamada Lei Pelé, que transforma clubes de futebol em empresas.
Edinho, um dos filhos do Pelé, jogou como goleiro pelo mesmo Santos que ajudou a consagrar o pai.
Em 1999, Pelé foi eleito O Futebolista do Século pela International Federation of Football History and Statistics. No mesmo ano, recebeu o título de Atleta do Século pelo Comité Olímpico Internacional.
Você sabia que Pelé atuou como goleiro em quatro jogos, um deles substituindo o goleiro Gilmar numa partida do Santos contra o Grêmio em 1961? (foto reprodução)
Pelé foi um dos poucos brasileiros a receber o título de Sir do Império Britânico.
O Rei do Futebol (Pelé) namorou a Rainha dos Baixinhos (Xuxa) na década de 1980.
Você sabia que Pelé conseguiu parar (pelo menos temporariamente) uma guerra? Foi em 1969, no Congo Belga, quando os dois lados do conflito pararam para assistir o Rei do Futebol jogar no país.
************** 
Pelé concedendo autógrafo a uma funcionária da Artex. 
Pelé esteve na Artex, mas foi antes do jogo. Quanto a ele Pelé ter feito cinco gols, não afirmo, mas digo aquilo que  foi relatado e que na revista placar e na contagem dos 1.000 gols de Pelé, constam 5 gols do Rei neste jogo.
PARTICIPE dessa lembrança sobre a vinda de Pelé em Blumenau. Faça seus comentários no BLOG e inclua suas informações que serão importantes para nossa história.
Para saber mai acesse:
Arquivo de Dalva e Adalberto Day 

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

- Enchente em Blumenau, cotas ...


          Cotas        
       das enchentes em Blumenau desde 1852      
ANO
DATA
COTA
1852
29/10
16.30
1855
20/11
13.30
1862
00/11
09.00
1864
17/09
10.00
1868
27/11
13.30
1869
21/10
11.00
1870
11/10
10.00
1880
23/09
17.10
1888
00/01
12.80
1891
18/06
13.80
1898
01/05
12.80
1898
25/12
11.30
1900
02/10
12.80
1911
02/10
16.90
1911
29/10
09.86
1923
20/06
09.00
1925
14/05
10.30
1926
14/01
09.50
1927
09/10
12.30
1928
31/05
08.20
1928
18/06
11.76
1928
15/08
10.82
1928
17/09
10.30
1931
02/05
11.05
1931
14/09
11.25
1931
18/09
11.53
1932
25/05
09.75
1933
04/10
11.85
1935
24/09
11.65
1936
06/08
10.40
1939
27/11
11.45
1943
03/08
10.50
1946
02/02
09.45
1948
17/05
11.85
1950
17/10
09.45
1953
01/11
09.65
1954
08/05
09.56
1954
22/11
12.53
1955
20/05
10.61
1957
20/07
09.28
1957
02/08
10.60
1957
18/08
13.07
1957
16/09
09.44
1961
12/09
10.35
1961
30/09
09.63
1961
01/11
12.49
1962
09/09
08.94
1962
21/09
09.29
1963
29/09
09.67
1966
13/02
10.07
1967
18/02
10.50
1969
06/04
10.14
1971
09/06
10.35
1972
17/08
10.70
1972
29/08
11.35
1973
25/06
11.30
1973
03/07
09.00
1973
22/07
09.30
1973
28/07
09.35
1973
29/08
12.35
1975
04/10
12.63
1975
13/12
08.50
1976
15/05
08.30
1976
29/05
10.85
1977
18/08
09.15
1978
26/12
11.50
1979
10/05
09.45
1979
09/10
10.45
1980
31/07
08.40
1980
22/12
13.27
1982
15/11
08.65
1983
04/03
10.60
1983
20/05
12.52
1983
09/07
15.34
1983
24/09
11.75
1984
07/08
15.46
1990
21/07
08.82
1992
29/05
12.80
1992
01/07
10.62
1997
01/02
09.44
1998
28/04
08.24
1999
03/07
08.26
2001
01/10
11.02
2008
23/11
11.52
2009
06/10
08.17
2010
26/04
08.46
2011
31/08
08.50
2011
08/09
11.60
2011
09/09
12,60 e 12,80 (Ceops),
2013
22/09
10,47
2013
23/09
10,51
2014
09/06
10,18
2014
29/06
08,13
2015
22/10
10,00
2015
23/10
10,03
2017
01/06
08,71
2017
06/06
08,52






A enchente de 1880
A enchente de 1911
A enchente de 1983
As enchentes em Blumenau
http://adalbertoday.blogspot.com.br/2007/11/as-enchentes-em-blumenau.html

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...