"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

terça-feira, 26 de novembro de 2013

- O pé de limão da vizinha

Em histórias de nosso cotidiano apresentamos hoje a história de Nilton Sérgio Zuqui. (nascido em Blumenau  14/08/1964 na Maternidade Elsbeth Koehler),
de sua infância humilde, simples como todos os moradores das casas populares da Empresa Industrial Garcia, porém com muita dignidade.
Foto comemorativa aos 25 anos de matrimonio maio  de 2011. Nilton e Roseli Zuqui
Um cidadão do bem
Um menino que vendia picolés e também cestinhas de páscoa pelas ruas dos Bairros Progresso, Glória e Garcia para ajudar no orçamento familiar.
Seu maior desejo desde seus 9, 10 anos, ser um dia um grande vendedor.
Também jogou futebol no Amazonas, no 12, Associação Artex. Era “Goleiro”, banhava-se no “Tapume” uma rua transversal da Emilio Tallmann, e foi coroinha.
Torcedor apaixonada pelo Corinthians e Vasco da Gama
Tudo começou em certo dia quando acompanhava seu pai Argeu Zuqui que trabalhava na Empresa Industrial Garcia e jogador do Amazonas. Por volta de 1970, em um final de semana foram ao Açougue conhecido como “Capitãode Walter Haupt - na Rua da Glória, bem em frente à entrada da Rua Belo Horizonte na época conhecida como Rua do Pfiffer (Fifa).
Seu Pai solicitou carne temperada para final de semana (o que era raro), mas era isso que desejavam comprar, Churrasco temperado com limão e o Sr. Walter o “Capitão” do açougue não possuía. 
Então logo o menino Nilton percebeu uma oportunidade de vendas, pois era sabedor que a vizinha possuía três pés de limão em seu enorme “galinheiro” em sua propriedade.
Já com a mente imbuída de bons pensamentos, o menino via deslumbrar a sua frente a grande oportunidade que lhe faltava.
Na quarta-feira próxima, colheu duas sacolas (aquelas de náilon) com limão e foi com todo entusiasmo oferecer ao dono do Açougue “Capitão” que de imediato já o desmotivou, dizendo que "não precisava de limão".
O menino Nilton persistente insistiu “Precisa sim” pois ouvi quando meu pai  (foto de seus pais) solicitou churrasco temperado e o Sr. não possuía e que não tinha tempo para procurar limão.
Ilse Maria Zuqui e Argeu Zuqui seus pais e meus amigos.
Foi neste instante que o menino compreendeu como funcionavam vendas, atender as necessidades dos clientes, “sim clientes”.
Dali em diante o Sr. “Capitão” também deslumbrou uma nova etapa em sua venda com carne temperada.
Então todas as quartas-feiras levava duas sacolas com limão para vender, ao dono do Açougue.
Também no início dos anos 1980 vendia livros de porta em porta, (em toda a região do vale e litoral) em especial BÍBLIAS E DICIONÁRIOS, era uma época em que se preenchia um carnê com as parcelas normalmente 10 ou 12, e o cliente ia ao banco efetuar o pagamento.
Roseli,Nilton
Irene Martins, Mariane e Felipe.
Amizade muito sólida há mais de 25 anos 
Clésio Comandolli, Zuleica Hort Comandolli, Norton , Lara Dominiqui Comandoli.
Depois o jovem ingressou na Cooperativa da Artex, e em seguida na  própria Artex, só para não contrariar os costumes da família e do bairro. 
Porém vendas sempre foi sua grande paixão.
Hoje o então já experiente menino de outrora, realizou um sonho de estar fazendo gestão de vendas (gerenciando uma equipe de 22 representantes no país), e tendo a oportunidade de conhecer um pouco de nosso imenso Brasil varonil.
Sua experiência que começou com a venda de picolés, até chegar ao limão, passou também como vendedor de docinhos caseiros e principalmente dos gostosos doces de Natal. 
Trabalhos comunitários
Nilton também foi atuante na comunidade através da Associação de Moradores da “Metajuha”,  http://metajuha.blogspot.com.br/ onde pôde junto com diversos colegas, inclusive eu “Adalberto Day”, Nivaldo M. Vieira, Hilário Boos (In memorian), Armando Boos, Ademir M. Gonçalves, Vanderlei Mateus, Nicodemos Martins, Pedro Albino, Mário Colombi, Luiz Boos, Erica Boos, Dona Generosa da Costa Teixeira (In memorian) Terezinha  e outros.
Entre tantas conquistas, a abertura, pavimentação das Ruas Emilio Tallmann e Júlio Heiden, como também corredor de ônibus, nos idos anos de 1996.
Também atua como conselheiro matrimonial dando palestras aos jovens casais nas igrejas. 
Arquivo de Nilton Sérgio Zuqui/Adalberto Day 

18 comentários:

Wieland Lickfeld disse...

Caro Adalberto, parabéns pelo reconhecimento rendido à história de vida de Nilton Sérgio Zuqui. Trata-se de um motivador exemplo de trabalho e empreendedorismo, talvez tão bem sucedido pelo fato de seu protagonista, ainda jovem, ter mantido o foco naquilo que realmente conta e faz a diferença para a felicidade do ser humano: a preservação de seu matrimônio e de sua família. Sucesso a ele e a seus entes queridos. Grande abraço!

Valter Hiebert - hiebert.valter@gmail.com disse...

Parabéns Nilton Zuqui por tua persistência vitoriosa. Começar a trabalhar na infância dignifica e fortalece todo ser humano. São marcantes e importantes as atividades sociais e comunitárias que voce desenvolve, parabéns por tudo isso. Fui amigo de infância do teu pai Argeu e dos teus tios Waldir, Nilton e Luiz.Agradeço ao Adalberto Day por mais essa bela viagem no tempo.

Valter Hiebert - hiebert.valter@gmail.com disse...

Completando meu comentário vale registrar que a casa onde residiu o pai do Nilson Sérgio Zuqui, o Argeu Zuqui, aparece na primeira foto da postagem. É a terceira casa da esquerda para a direta. Seus vizinhos eram o Sr. Athanásio Moritz, na segunda casa, e o Sr. Fernando Costa, na quarta casa. Na frente, do ouro lado da rua, residia o Sr. Alberto Day, tio do Adalberto Day. Os avós do Nilton eram o Sr. Leopoldo Isidoro e a a Sra. Laura. O apelido do tio do Nilton, também chamado de Nilton, era "Pinduca".

Urda disse...

Adalberto
Que bela história!
Urda A. Klueger

Santos disse...

Oi amigo Beto. Como sempre o amigo nos brinda com uma história interessante, que enriquece seus arquivos e nos deixa felizes e mais ricos em conhecimento. Obrigado por mais esta. Valeu. Um grande abraço fraterno com votos e benção de Deus para sua saúde.
Eutraclínio A. Santos

Ivonete Poerner disse...

Parabens Adalberto, pela linda história. Conheci bem o Argeu Zuqui e sua esposa Ilse. Soube há pouco tempo que ele havia falecido. Conversavamos muito qdo a gente se encontrava. Descobri há bem pouco tempo que ele é pai da Nádia, com- cunhada de minha irmã Denise.
Lembro-me bem do Sr. Isidoro e D. Laura. Que bom recordar pessoas lindas e íntegras como êles.
Não me lembro bem do Nilton, pois êle é bem mais jovem que eu, mas foi do tempo em começavamos a adquirir experiência bem cedo (eu aos 14 anos). Parabens amigo Adalberto, por esta iniciativa, que só nos faz engrandecer.
Abraços da amiga
Ivonete

Nilton Sergio Zuqui disse...

Meu Amigo, quão feliz eu fico em ler seu texto(como sempre muito bom)volto a me sentir um Garoto viajando no tempo.
Quero aqui agradecer aos comentários, pois sei que são sinceros.
A honra de participar do seu BLOGGER com uma pequena, mas para mim muito valorosa experiência, realmente não tem preço.
Aproveito também para agradecer minha esposa(Rose)que sempre esteve ao meu lado nos momentos bom ,e ruins desde 1986, e espero que para sempre.
Estamos aqui em SP(Marília) a trabalho, mas muito feliz em ler esta historia, muito obrigado Adalberto.

Anônimo disse...

Adalberto,

Parabéns pelo texto. É sem dúvida uma bela história de foco e determinação. Conheci bastante os avós, os tios e o pai do Zuqui, fomos quase vizinhos de porta. E ao Zuqui, felicitações e desejos de sucesso sempre. Vender é uma arte. Um vendedor talentoso faz a diferença e vale ouro no mercado de trabalho.
Abraços,
Adilson Siegel
Ticanca

Zuleica Hort Comandolli disse...

Zuleica Hort Comandoli
zuca74@gmail.com

Parabéns Adalberto por publicar a história de vida desse nossa mais que amigo,verdadeiro irmão,Nilton Zuqui.Amigo para todas as horas,amigo que ñ inveja e sim te impulciona pra frente nas dificuldades da vida,e assim ele é tbm,se algum obstáculo aparece isso ñ o impede de continuar adiante,sempre lutando esperançoso e valente,é assim esse nosso irmão de coração,parabéns sicesso cada vez mais.
emocionei...

Roseli Zuqui disse...

Parabéns pelo seu trabalho Sr. Adalberto...e parabéns Nilton !conheço bem está bela história e me orgulho muito de vc...

Dalmir disse...

Parabens Adalberto, pela linda historia de vida contada de nosso grande amigo Nilton e sua familia. Nilton diante da pessoa que você é ,não poderia deixar de exister uma historia de himildade , trabalho , dedicação , empenho,e otimismo.
È exatamente isso que você passa para os seus amigos, no qual tenho orgunho de também fazer parte , principalmente agora sabendo que você além de todas essas virtudes , também se simpatiza pelo meu time VASCO DA GAMA.
Grande abraço, Dalmir

Felipe Zuqui disse...

Parabéns pela publicação. Tenho muito orgulho em dizer que sou filho de Nilton Zuqui. História admirável, que sempre vou seguir como exemplo de determinação, e sucesso!

Anônimo disse...

Parabéns Adalberto Day, pelo registro da história desta figura que tenho o prazer de conviver. Para alguns apenas mais um relato de vida, mas para quem conhece a essência de Nilton Zuqui, sabe da sua competência profissional, despertada empiricamente quando era criança. Hoje, aos 49 anos, após muita luta, o garoto da rua da Glória venceu e transformou-se em referência na área comercial. Posso afirmar, que venceu também como Ser Humano, Pai de Família e pela generosidade com os amigos. Parabéns Adalberto Day, por essa iniciativa, de eternizar através deste documento, esta história que é exemplo de perseverança para todos nós. Abraço!!
Marcos Roberto Jana - Jornalista


Gerson Leonardo Vieceli disse...

Parabéns Nilton Zuqui pela pessoa que és e pelo teu exemplo de vida. Tb gostaria de agradecer a vc Adalberto Day pelo registro desta história de crescimento e supetação.

VÂNGELA =) disse...

A maioria das pessoas sempre fica com medo quando se tem que vender algo, muitas das vezes é porque não se tem informações sobre o produto, ou por ter medo do cliente o que ele pode me perguntar, estas situações podem facilmente serem banidas do pensamento de um vendedor. Mas com ele foi diferente, sempre determinado com sede de querer, crescer e compartilhar com sua família... E foi com esse pensamento e perseverança que Nilton Zuqui, conseguiu crescer e virar empresário. Belas postagem Beto. Abraço

Gruber disse...

É Adalberto, o Nilton é o "CARÁ", uma lição de vida, pena que estes tipos de iniciativas nos dias de hoje não pode mais acontecer, até por que seria considerado trabalho infantil. Mas tenho certeza que está história valorizou como é importante estas conquistas. Parabéns

Nilton Sérgio Zuqui disse...

Meu caro Adalberto,
Vez outra, acabo revivendo está história.
Fico feliz de vc . República - la, obrigado.

Nillton Sergio Zuqui disse...

Meu caro Adalberto,
Sempre estou lembrando está história, e repassando seu blog para amigos acompanhar. Mais uma vez muito obrigado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...