"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

terça-feira, 20 de novembro de 2012

- TAC

 TAC - TRANSPORTES AÉREOS CATARINENSE S/A



 Mais uma bela colaboração de Carlos Braga Mueller/Jornalista e escritor, onde relata sobre a antiga TAC – Transportes Aéreos Catarinenses S/A.   

A década de quarenta estava prestes a terminar  e na área de aviação alguns importantes fatos marcaram o ano de 1949 em Santa Catarina. 
Primeiro, foi um acidente com o hidroavião Catalina PBY-5 da TABA Transportes Aéreos, em Iguape (SP). Embora a empresa não tivesse sede em Santa Catarina,  a TABA era íntima dos catarinenses, pois  servia os passageiros através dos pousos que seus 2 hidroaviões faziam regularmente em São Francisco do Sul, Itajaí, Florianópolis, Laguna e Araranguá. E era pela TABA que os blumenauenses "voavam" para o Rio e outros destinos, a partir de Itajaí, com amerrissagens e decolagens do Rio Itajaí-Açú, um misto de viagem e aventura !

A frota da TABA era de apenas 3 aviões: 2 Catalinas e um Douglas DC3, que no dia do acidente em Iguape ao ir socorrer o Catalina acidentou-se também, ao pousar em um campo improvisado e sem condições. Estava decretado o fim da TABA.

Foi também em 1949 que começou a ser construído o Aeroporto de Itajaí, que teve sua Estação de Passageiros inaugurada em 6 de setembro de 1952. 
E finalmente, outro fato importante na área da aviação em nosso Estado foi a criação de uma empresa local de transportes aéreos: a TAC - Transportes Aéreos Catarinense S/A, com sede em Florianópolis.

A FUNDAÇÃO 
Existia no Rio de Janeiro uma empresa  chamada TAL - Transportes Aéreos Ltda., que em maio de 1948 começou a operar uma linha entre  o  Rio de Janeiro e Curitiba.
Em assembleia geral de acionistas, realizada em Florianópolis no dia 22 de setembro de 1949, a TAL foi transformada em TAC - Transportes Aéreos Catarinense S/A. 
Foram seus sócios fundadores: Aderbal Ramos da Silva, no ato representado por procuração pelo Dr. João  Batista Bonassis; Genésio de Miranda Lins; Luiz Fiuza Lima; Sidnei Nocetti; Agamenon Nocetti; CITAI-Cia. Catarinense de Transportes Aéreos; e os aviadores  Antônio Alexandrino José Maria de Bescúcia, Albino Teixeira Pinheiro Jr., Luiz Lanziolli e Fred Elton, este último de nacionalidade norte-americana, que foi representado no ato pelo colega Antônio Alexandrino.

AS OPERAÇÕES 
A partir de  1950, a TAC iniciou as suas operações, ligando regularmente Florianópolis e algumas cidades de Santa Catarina a Curitiba e ao Rio de Janeiro, ao norte, e a Porto Alegre, no sul.
Em 1950, por ocasião do Centenário de Blumenau, em 2 de Setembro, a TAC homenageou o município fazendo divulgar uma peça publicitária de um avião Douglas DC-3 de sua frota sobre a cidade de Blumenau.
A última capa da Revista "O Vale do Itajaí", comemorativa do centenário e editada em Blumenau, estampou a referida propaganda em página inteira. Mas como se tratava de um trabalho artístico, desenhado a bico de pena e não uma foto, não se sabe se realmente um DC-3 da TAC voou, naquela época, pelos céus de Blumenau.
Em 1956, a TAC operava 11 cidades e seus vôos incluiam os seguintes aeroportos, por ordem alfabética de município, com  suas denominações na época (se possuíam): 
- Chapecó - Aeroporto Serafim Bertaso
- Curitiba - Aeroporto Afonso Pena
- Florianópolis - Aeroporto Hercílio Luz
- Itajaí - Aeroporto Salgado Filho (primeiro nome do aeroporto. Hoje é nome do aeroporto de Porto Alegre).
- Joaçaba - Aeroporto Santa Terezinha
- Joinville - Aeroporto Lauro Carneiro de Loyola
- Lages - Aeroporto Municipal
- Paranaguá
- Porto Alegre - Aeroporto Salgado Filho
- Rio de Janeiro - Aeroporto Santos Dumont
- Santos
- Videira - Aeroporto Ângelo Ponzoni.

A FROTA 
A frota da TAC era composta de 5 aeronaves Douglas DC-3, aviões valentes e que voaram com galhardia pelos céus do mundo inteiro durante décadas.
O FIM 
Em determinado momento, a TAC firmou contrato de operacionalidade com outra companhia aérea, a Cruzeiro do Sul, até que em 1966 foi vendida e absorvida definitivamente pela Cruzeiro do Sul.
Texto e arquivo Carlos Braga Mueller/Jornalista e escritor em Blumenau 

6 comentários:

Valter Hiebert disse...

Obrigado Carlos e Adalberto por mais um maravilhoso registro de nossa história. Eu conheci a loja da TAC na rua XV em Blumenau, era quase esquina da com a Rua Nereu Ramos, do lado oposta à Casa Capital.

Paulo R. Bornhofen disse...

Eu não tinha a menor ideia, nunca tinha ouvido falar desta empresa.
Obrigado, por trazer um pouco da nossa história, até então, por mim, totalmente desconhecida.

Abraços,

Paulo R. Bornhofen

caminha, caminhando, poetando... disse...

Parabéns Adalberto e, em especial, congratulações ao grande Braga Müller. Voei pela TAC, em seus DC-3. Qdo visitávamos meus tios em Lages, fazíamos Florianópolis-Itajai-Rio do Sul (acho que pousávamos em Lontras-Lages. Aventura maior foi quando mudamos para Itapiranga. Daí, além do roteiro acima, ainda fazíamos escala em Joaçaba, para só então voar a Chapecó. Dirava quase todo o dia. Dormíamos em Chapecó e, dia seguinte, um ônibus nos levava a Itapiranga - outra aventura, para outra ocasião.

Anônimo disse...

Em 1958 era presidente da TAC – Transportes Aéreos Catarinense S/A, com sede em Florianópolis SC, o Dr. João David Ferreira Lima.
Ao mesmo tempo era agente da Cruzeiro do Sul e da TAC em Blumenau, o Sr. Raul Deeke

Osmar Hinkeldey disse...

Bom dia

Legal esta reportagem.
Como disse Paulo Bornhofen no seu comentário, eu também nunca tinha ouvido falar desta empresa.
Como blumenauense fico sabendo um pouco mais de sua história.
Obrigado

iara odila disse...

SOU FILHA DE SIDNEI NOCETI E JAMAIS TINHA VISTO OU ESCUTADO UM COMENTARIO TAO COMPLETO SOBRE A TAC
fiquei muito feliz com este artigo - descoberto pela - a Jane Mirella -SOBRINHA NETA DE MEU PAI
agradeço de todo o coração meu nome
iara Odila noceti ammon meu end eletr iaraodila@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...