"A Educação é a base de tudo, e a Cultura é a base da Educação"

Seja Bem-Vindo e faça uma boa pesquisa!

sábado, 29 de novembro de 2008

- A curva do cemitério no Progresso em Blumenau

Clique na foto para ve-la ampliada
- A imagem batida pela força aérea Brasileira (Prefeitura de Blumenau), mostra uma panorâmica geral da Rua Progresso logo após a curva do cemitério. Na parte superior cemitério (curva) empresa Coteminas Ruas Emilio Tallmann, Amazonas e Glória em Blumenau. Pela imagem observa-se que existe apenas meia pista da Rua Progresso após ter sido feito os trabalhos de desobstrução da rua. Abaixo o Ribeirão Garcia ainda barrento, aos poucos retornando ao seu nível normal. A Rua em primeiro plano é a Rua Julio Heiden, que também foi seriamente atingida próxima à igreja Quadrangular, no final da avenida.
As três casas e logo após o morro, com vegetação intacta, a nossa residência é a do meio que aparece atrás com muro em tijolinhos.
Estas fotos mostram o exato momento da colocação pelo exercito de uma ponte móvel , na Rua Germano Roeder, próximo a Associação Artex, para dar acesso as Ruas Emilio Tallmann, Júlio Heiden e Rui Barbosa. Rua Germano Roeder onde foi construída a ponte movél, a esquerda Comercial Rulenski. A direita é a Associação Artex
Adendo: Desde ontem 29/nov./08, a partir das 19h25min até pouco depois das 00h05minmin hoje domingo 30/nov./08, chuvas torrenciais em toda Blumenau. Em nossa região do Progresso neste local que mostra a imagem (em primeiro Plano), novos e assustadores deslizamentos de terras e árvores até por volta das 02h00min
A imagem mostra a partir das 08h00min, domingo 30, sendo retiradas as grandes árvores que desabaram juntamente com muito barro. Em toda cidade novos desabamentos e cheias, como no bairro Fortaleza e Glória.
Obs: em 12,13,14/janeiro de 2011, chuvas intensas, precipitações de grande vulto provocam  a maior tragédia Urbana no Brasil - ocorre na região serrana do estado do Rio de Janeiro - Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis com algumas centenas de vitimas fatais.  As cidades mais atingidas são Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), choveu cerca de 300 mm em 24 horas na região.
Arquivo : Adalberto Day

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

- Enchente em Blumenau 2008

Imagens enviadas por colaboradores da cidade de Blumenau. Esperamos que em breve isso tudo fique no passado, e que nunca mais se repita. Que nossas autoridades realmente façam um plano emergencial e não fique só com promessas. E que não, “fique no esquecimento” por mais 25 anos.. Verbas prometidas, nada mais justas, é o nosso próprio dinheiro que está retornando, e que essas verbas não fiquem só em reconstrução de estradas, mas sim daqueles que mais necessitam neste momento, os desabrigados, que perderam tudo ou parcialmente. Que fique a lição. Contudo quero parabenizar o esforço de toda defesa civil, 23 BI, Corpo de Bombeiros, Policia, Hospitais, Secretaria da Saúde, aeronáutica, governos municipal, estadual e federal, todos que estão engajados nesta luta de reconstrução, desta que foi a maior tragédia urbana em toda Blumenau e região, do Brasil . Precisamos também separar as coisas, não foi a maior enchente, pois esta ocorreu em 1983 e 1984 – atingindo 15:34m em 1983 e 15:46m em 1984 (Segundo o memorialista Niels Deeke, em 1852 = 16:15m, em 1880= 16:80m e 1911: 16:70m – Fonte : agendas de Serviço do ex prefeito Hercílio Deeke). Esta de 2008 atingiu a marca de 11:52m em Blumenau. "O que ocorreu foram incalculáveis desmoronamentos, enxurradas em proporções inimagináveis em toda a cidade e região".
- Em 1974 , tivemos em Santa Catarina uma tragédia de real tamanho que foi na cidade de tubarão.
Rua Júlio Hiden o único acesso ao Progresso
quando a curva do cemitério está interditada. Na imagem final da Rua aos fundos Igreja quadrangular
Rua da Glória e Júlio Heiden

Rua da Glória – Ponte Preta Progresso

Rua Hermann Hucher - Ribeirão Garcia Progresso

Hermann Hucher – Val Paraíso – Zendron

Curva do Rio – Centro e Fortaleza

Shopping Neumark – Estádio do SESI
Complexo Esportivo do SESI
Beira Rio - Centro Blumenau
BR 470 – e Rua Bruno Schreiber

Ponte que dá acesso a Rua Bruno Schreiber no Progresso

Blumenau uma pedra no caminho – Terminal

Cruz na Rua Antonio Zendron - Valparaiso

Arquivo: Adilson Siegel/Eliane K.de Miranda/Jaison Rafael Mello/Josiane Hasse/Werner Tonges/Shirlei Bianchi/Adalberto Day

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

- Enchente, enxurrada em Blumenau e toda região.

Rua Júlio Heiden aos fundos Progresso

Fotos enviada por Flávio Vicente Bugmann – Região do Bairro Valparaíso e Garcia próximo a ponte e Clube Centenário.

Fotos enviada por Flávio Vicente Bugmann – Região do Bairro Valparaíso e Garcia próximo a ponte e Clube Centenário.
- Amigos. Conforme minha filha Louisiana, jornalista que mora em Florianópolis descreveu, este é um espaço cultural, histórico, não um atual e informativo diário. Desde o dia 22 ela assumiu o blog em minha ausência, mantendo informadas as mais de 20 mil pessoas do mundo inteiro que acessaram o blog buscando informações sobre as enchentes de Blumenau. Eu e minha esposa Dalva, não fomos atingidos em nossa residência, mas procuramos ajudar e deixamos a disposição nosso imóvel. Sem energia elétrica, sem água durante vários dias, mas com o telefone em pleno funcionamento, procurei ajudar as pessoas através de informações na força do rádio de Blumenau, Rádio Nereu Ramos e Clube, Rádio Blumenau Jornais.
- Então procurei pensar aquilo que poderia deixar registrado neste espaço tão importante, sem ficar muito cansativa a narrativa, (se é possível) pois os assuntos são milhares. Vou deixar registrado um pouco de história.....e começar e terminar assim...lembrando de minha infância quando ouvia histórias, iniciando assim: “Era uma vez uma rua, era uma vez uma casa, era uma vez uma ponte, era uma vez um bairro, era uma vez uma cidade....”exagero? Então venha conferir...desculpe mas acho que é a maior tragédia urbana do Brasil neste aspecto. Tinham-se problemas de habitação, imagina agora, uma cidade que grande parte da população vive em morros.... E não é só Blumenau, são várias cidades em torno em toda região do vale do Itajaí.As cidades de Itajaí , ficou 80% em baixo da água, Ilhota,Gaspar, Joinville, Itapoá,Indaial, Timbó, Pomerode,Jaraguá do Sul, são alguns exemplos. Em todo estado da bela e Santa Catarina centenas de mortes Vamos recuperar sim, nosso povo é brioso, nossa sociedade é solidária...Blumenau será dentro em breve mais linda ainda...quem viver verá......então vou voltar em breve a dizer “era uma vez uma cidade destruída” ela é linda , é o nosso pedacinho no mundo mais importante, que escolhemos para viver.

Ponte Catarina Abreu Coelho - Progresso

Ruas da Glória e Almirante S.da Gama
Cemitério Rua Progresso
Bairro Valparaiso e Progresso
Rua Amazonas - Garcia - Coteminas
Rua Júlio Heiden no Progresso
Rua Progresso - E.E.B.Padre José Mauricio
Mercado Passos

Rua eng. Odebrecht - Garcia
As fotos foram tiradas da região do colégio Arno Zadrozny.
Nota:
Para representar os mais de 50 comentários nesses últimos dias, resolvi escolher este do meu amigo de infância Carlos, para representar todos, e das dezenas de centenas de telefonemas e e-mails que recebo do mundo todo.
Mais uma vez Adalberto Day faz o registro claro e correto de mais uma etapa da vida do nosso povo e, que ficará para sempre registrado na história desta, hoje famosa cidade de Blumenau e, em especial, heróico distrito da Garcia. Nesta nova “catástrofe” que se abateu sobre todo o vale do Itajaí, com maior e grave intensidade, Blumenau, pelo lado material, o professor não teve grandes prejuízos, com maior transtorno a privação por vários dias, do fornecimento de água, energia elétrica, e suprimentos, com exceção do telefone, única comunicação com parte da cidade, mas que em suas mãos transformou-se em uma ferramenta eficaz de ação, de orientação, de mobilização, de cobrança, de resolução e, principalmente, no que tem de maior em sua natureza, de apoio, incentivo e informação. Há de se elogiar e destacar que mesmo sem computador e internet, conseguiu manter este Blog ativo, através de sua filha, competente jornalista, Louisiana Waleska Day, que de Florianópolis, orientada e informada pelo pai, manteve este site atualizado e levando valiosa informação à sociedade e, principalmente, denunciando a todo Brasil e, ao mundo, toda esta calamitosa situação que mais uma vez atinge e assombra nossa bela cidade.
Sabemos que Adalberto não sofreu danos materiais de grande monta, mas, que está entristecido, assustado, com o coração desolado, pelos danos e desgraça que está sendo imposto, neste momento, a toda comunidade de Blumenau e, pelos enormes prejuízos com a destruição de muitas obras que este, com seu grande espírito altivo e voluntarioso ajudou a conquistar.
Admiro a capacidade de ação deste heróico cidadão e honrado amigo, professor, cientista social e historiador e, agradeço pelo importante trabalho que cortesmente e sem qualquer remuneração vem realizando em prol deste nosso povo.
Carlos A. Salles de Oliveira./Presidente da comissão Pró construção do AGG –Ambulatório Geral do Garcia.
História:
Campanha:

Campanha realizada nas grandes enchentes de 1984.
A solução não cai do céu
O vale do Itajaí unido nesta campanha. O resultado depende da união de todos. Esta marca devera permanecer conosco enquanto a solução não for encontrada. É a forma de manter acesa nossa reivindicação.
Campanha iniciativa da ACIB Associação Comercial e Industrial de Blumenau coordenada pelo GPCM Grupo de Profissionais de Comunicação Mercadológica. Colaboração: José Geraldo reis Pfau/publicitário.
Centro Blumenau e Ponte do Centenário Garcia
23/nov/2008
As enchentes em Blumenau


- As enchentes de 1983 e 1984, realmente foram assustadoras. Criou-se daí em diante, um estigma de cidade das enchentes. Mas o tempo passou, e nem sempre a primeira impressão é a verdadeira. Hoje somos uma cidade alegre, com festas populares, turismos, e a nossa Oktoberfest criada em 1984 para levantar o animo dos Blumenauenses. Povo ordeiro e trabalhador nunca se deixaram abater pelas intempéries da natureza, que impiedosamente castigou os Blumenauenses.
- Nessa época trabalhava no setor de Recursos Humanos da Empresa Artex do Bairro Progresso, a empresa através de sua direção, colaborou dentro das possibilidades. Os funcionários atingidos, ou que moravam em locais de risco e de difícil acesso, podiam se ausentar ou sair mais cedo para se prevenir de uma eventual conseqüência. A residência do presidente da empresa ,Carlos Curt Zadrozny, foi violentamente tomada pelas águas, teve que ser resgatado pelos telhados. Certo dia, estávamos sintonizados direto com TV e rádios, quando em certa ocasião correu um boato que as barragens teriam se rompido, e que as águas atingiriam Blumenau em questão de poucas horas, a uma velocidade, que varreria tudo que estivesse a frente. Imediatamente os Empregados que moravam em área de risco, foram liberados. Nós aqui mais para o final do Bairro Garcia, Glória e Progresso não tínhamos maiores problemas, a não ser com o acesso e a falta de informações com parentes e amigos. - Como a prefeitura, onde também se localizava a defesa civil (A Defesa Civil de Santa Catarina foi organizada em 1973 e no mesmo ano, em 20 de dezembro, foi implantada em Blumenau a COMDEC - Comissão Municipal de Defesa Civil. Foi no governo Vilson P. Kleinubig em 1989 que foi criada A Defesa civil de Blumenau), estava tomado pelas águas, o então secretário Coronel Barreto, transferiu as instalações da defesa civil, para o 23º BI, no Bairro Garcia. A descida e decolagem de helicópteros eram constantes e os comentários os mais diversos tais como: que a cada vez que pousava uma aeronave, continham nelas vários corpos que eram estendidos nas dependências do Quartel. Os números comentados já passavam de 500 apavorando a população. - A ponte Adolfo Konder, que da acesso ao bairro Ponta Aguda, era alvo de especulações que estaria prestes a romper.
- Também se ouvia das pessoas mais humildes, que parecia igual ao dilúvio bíblico, “o mundo inteiro estava tomado pelas águas”. Fato que realmente muitos acreditam, pois como na época do dilúvio, as pessoas viram ao seu redor tudo tomado pelas águas e imaginavam o pior, mas eram pessoas que não conheciam outros lugares, outros paises, outros continentes.
- A enchente de 1983 teve uma duração de 32 dias, do dia 05 de julho até 05 de agosto, atingiu a marca maior no dia 09 de julho, 15,34 metros . Em 1984 foram só alguns dias, mas o suficiente para trazer pânico a população, atingindo seu pico maximo no dia 07 de agosto a marca de 15:46 m maior que a de 1983. Relação dos picos de enchentes registradas em Blumenau, desde sua fundação:
As enxurradas no Distrito do Garcia
As enxurradas no Distrito do Garcia são acontecimentos constantes principalmente depois que o progresso chegou a região com a implantação das Empresas Garcia e Artex. Com o progresso chegando a região principalmente no final da Rua Amazonas (Garcia) e início da Rua Progresso (Artex), enquanto os empregados moravam em casas populares das Empresas, com toda infraestrutura básica e saneamento, as enxurradas eram menos agressivas.
Porém com o crescimento de outros setores econômicos, e a construção de casas sem as mínimas condições de moradias (sub-moradias) desmatamentos foram feitos em larga escala, os ribeirões viraram depósitos de lixos, e em conseqüência entupimentos de esgotos e bocas de lobo que sempre trouxeram grandes problemas com as enxurradas, danificando estradas, moradias, parque fabris e o mais importante ceifando vidas da comunidade, principalmente a partir do final dos anos 1950.
Estamos aqui relatando principalmente os problemas maiores que aconteceram no entroncamento dos bairros Garcia, Glória e Progresso. O fato que mais contribuiu para acontecer estas tragédias além dos citados, foram os aterros que a partir de 1955, a Empresa Industrial Garcia e a Prefeitura realizaram para elevar uma baixada que existia na antiga praça Getulio Vargas (antiga Praça que ficava em frente ao número 22 na Rua da Glória onde hoje é o posto Policial) e parte do parque fabril, esse barro foi retirado de onde depois se tornou o campo do “12”, ou “Morro” como também era conhecido, na Rua Almirante Saldanha da Gama uma Transversal da Rua da Glória. Mais tarde com a fusão das duas Empresas Artex e Garcia em 1974, a empresa Artex a partir de 1974 e 1976, aterrou o Estádio do Amazonas (fazer o novo traçado da Rua Amazonas, trabalhos executados pela Construtora Triângulo, com duas possantes máquinas), que detinha grande parte das enxurradas, como também a antiga Praça Getulio Vargas, além de construir um muro impedindo o escoamento normal das águas que desembocavam através de canalizações feitas do Ribeirão Grevsmuhl, até o Ribeirão Garcia. Foram construídas mais duas galerias depois da tragédia maior de 14/10/1990, juntando-se a uma já existente desde meados do século XIX e a destruição do tapume existente entre as duas empresas para dar maior vazão e rapidez quando das enxurradas.
A vegetação do bairro é a mesma da época da fundação, porém foram feitos muitos desmatamentos não só por madeireiras; como por moradores. A devastação e construções clandestinas, já levaram a população a sofrer grandes enxurradas. A registros de uma Grande enxurrada em 1880 em toda região que abrange o Progresso e Glória, em 31 de outubro de 1961 com 4 vitimas fatais, três delas crianças encontradas no salão e estádio do Amazonas E.C., que foi completamente destruído, a outra vitima foi o soldado Moacir Pinheiro; em 17 de dezembro 1983, em 14 de outubro 1990 com registro de 21 vitimas fatal, e 15 de novembro 1991. No dia 15 de novembro de 2002 também muito violenta, esta não mais catastrófica porque na região do Progresso, a precipitação das chuvas não foi tão acentuada, pois se tivesse elevado o Ribeirão a mais de 2,5 m de altura, tamparia a saída das galerias que passam por baixo da Empresa hoje Coteminas, proveniente do bairro Glória através do Ribeirão Grevsmuhl, impediria o escoamento normal e iria haver um represamento e as conseqüências seriam trágicas para os moradores do início da Rua da Glória principalmente.
- Em 28 de janeiro de 2011 - Região da Bruno Shereiber mais de 50 casas foram atingidas, ribeirão transbordou e seguiu pela rua ,Santa Maria e Rui Barbosa no Progresso. Na Rua Rui Barbosa faleceu um senhor carregado pelo ribeirão
Como também amais devastadora que atingiu toda a cidade, 22/23/24/Novembro de 2008.
Arquivo e colaboração: Jornalista Louisiana Waleska Day, Dalva Day, Tânia Regina Moraes, Eliane K. de Miranda, João Carlos Day,Juliano Heerdt/Flávio Vicente Bugmann .
Obs: em 12,13,14/janeiro de 2011, chuvas intensas, precipitações de grande vulto provocam  a maior tragédia Urbana no Brasil - ocorre na região serrana do estado do Rio de Janeiro - Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis com algumas centenas de vitimas fatais.  As cidades mais atingidas são Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), choveu cerca de 300 mm em 24 horas na região.
Assista Vídeo da jornalista Sônia Bridi sobre a tragédia de 1990 no Garcia:

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

- CAOS em BLUMENAU: Informações sobre a enchente e enxurrada na cidade

Caros amigos,

Para os que estão visitando o blog pela primeira vez ou os que já são acostumados a visitar este espaço e conhecer as belas histórias da cidade de Blumenau, vão acompanhar uma das situações mais críticas, tristes e devastadoras que a cidade já passou.

ATUALIZADO (27/11/08):
* Como fazer doações para Blumenau - As doações para Blumenau podem ser feitas: 1) Depósito/Transferência: A) BESC Agência: 003-5 C/C: 400.000-3 B) Banco do Brasil Agência: 0095-7 C/C: 400.000-5 C) Caixa Econômica Federal Agência: 0411 C/C: 80.000-0 D) Bradesco Agência: 0333-6 C/C 2020-6 Favorecido: PMB – Calamidade Pública CNPJ: 83.108.357/0001-15 - 2) Alimentos não perecíveis (Leite, alimentação infantil, entre outros) Produtos de higiêne pessoal (absorventes, fraldas descártáveis infantis e geriátricas, entre outros) Cobertores Colchões - Fundação Pró-família (Pequenas Doações) Rua Itapiranga, 368Bairro: Velha - CEP 89036-230Fone: 55 (47) 3326-6972 e 55 (47) 9976-0284 Parque Vila Germânica (Doações Volumosas) Rua Alberto Stein, 199 Bairro Velha - CEP 89036-200 Fone: 55 (47) 3326-6901 e 55 (47) 9976-0284

* Chega a 99 o número de mortes por causa da chuva em Santa Catarina (27/11) Dois corpos foram encontrados em Blumenau no início da tarde desta quinta-feira - O número de mortos em decorrência da chuva em Santa Catarina chegou a 99 no início da tarde desta quinta-feira. Dois corpos foram encontrados em Blumenau, aumentando o total de vítimas fatais no município para 22. Os corpos ainda não foram identificados. Em todo o Estado, 19 pessoas ainda estão desaparecidas. De acordo com o Departamento Estadual de Defesa Civil, 78.707 pessoas tiveram de sair de casa por causa da chuva, sendo 27.410 desabrigados — aqueles que estão em um abrigo ativado pelo governo — e 51.297 desalojados — aqueles que estão na casa de parentes ou amigos. (Fonte: Diário Catarinense)


* Primeira ponte móvel já está liberada (27/11) - O Exército informa que já está em operação a ponte modulada instalada na rua Emílio Tallmann, próximo a associação da Coteminas. Outra ponte está sendo instalada na rua Rui Barbosa e deverá estar operacional na manhã desta sexta-feira, 28. No entanto, os esforços são para que a mesma possa ser utilizada ainda hoje, quinta-feira, por volta das 18 horas. (Site Prefeitura Blumenau)


* Último balanço da tragédia em Blumenau (27/11) - Balanço das 6h do dia 27.11.08: - População atingida: 50 mil pessoas - População desabrigada: 25 mil pessoas - Número de abrigos públicos: 62 - Pessoas alojadas nos abrigos públicos: 4764 - Vítimas fatais: 20 - Helicópteros que estão em ação no município: 7 (4 do Exército, 1 Ibama e 2 particulares) (Site Prefeitura Blumenau)


* Duas ETAs voltam a produzir água (27/11) - As Estações de Tratamento de Água (ETAs) I e IV voltaram a atender duas regiões da cidade. A ETA I, que corresponde à área central de Blumenau (com os bairros Boa Vista, Ponta aguda, Victor Konder e Centro), já contam com a produção de água normalizada. A outra rede de produção reativada foi a ETA IV, que abastece o bairro Vila Itoupava e parte da Itoupava Central. Na manhã desta quinta-feira, 27, a ETA II, que corresponde aos bairros Fortaleza, Itoupavas, Velha, Vila Nova e parte do Centro, foi ativada com capacidade parcial (350 litros por segundo/s). A elevação da produção até 800 litros por segundo será feita gradualmente. O abastecimento será intermitente, ou seja, dia sim, dia não, em algumas regiões. Vale lembrar que as redes de distribuição e estações elevatórias estão sendo vistoriadas para possibilitar a ampliação da cobertura do abastecimento. Já na ETA III, que abastece os bairros Garcia, Glória e Progresso, a Celesc estabeleceu fornecimento de energia elétrica na noite de ontem, 26. Lá, o desassoreamento da captação é a prioridade absoluta. Até o momento, não foi possível chegar ao local com a escavadeira hidráulica. As redes de distribuição e estações elevatórias onde não há acesso estão sendo avaliadas. Não existe previsão para ativação. Lembramos que a recomendação é de que se ferva a água antes do consumo, nesses primeiros dias de abastecimento.(Site Prefeitura Blumenau)


ATUALIZADO (13h -- 25/11/08):
O Distrito do Garcia já recebe ajuda da Defesa Civil. O barro que está nas ruas obstruíndo os acessos começou a ser retirando, para facilitar o socorro. Os desabrigados já começaram a ser socorridos e receber doações.

ATUALIZADO (23h15 - 24/11/08) :
Por telefone agora à noite, Adalberto Day, contou que toda a região do Distrito do Garcia (Glória, Progresso, Valparaíso, Vila Formosa, Hermann Huscher, Antônio Zendron...) ainda está sofrendo com os alagamentos e deslizamentos das últimas horas. Desde o início da noite de sábado (22), falta energia em toda comunidade do grande Garcia, além de água potável nesta região e em alguns locais do Centro que são abastecidos pela Estação de Tratramento 3 (ETA 3). O acesso ao Distrito está praticamente impossibilitado, pois algumas pontes caíram e outras estão danificadas o que impede o acesso e contribui para que os moradores fiquem ilhados. No momento o trânsito naquela região apenas é possível a pé ou de moto. No início da noite de hoje (24) foi liberado o acesso ao Distrito do Garcia, apenas pela Rua Amazonas, até a empresa Coteminas. Adalberto informa também que a ponte pênsil da rua Catarina Abreu Coelho, que dá acesso à Rua Júlio Heiden, caiu com a correnteza do Ribeirão Garcia. Um dos principais desmoronamentos da cidade, aconteceu na Rua Emílio Tallmann, na proximidade do Morro do Centenário. No final da Rua Júlio Heiden também aconteceu diversos desmoronamentos, queda de casas e parte da rua desabou para dentro do Ribeirão Garcia. Ainda há muito barro cobrindo a estrada, limitando totalmente o acesso para as demais ruas. Sábado (22) aconteceu um sério desmoronamento na rua Progresso, na altura do Cemitério do Progresso com queda de grande volume de terra na rua que se estendeu até o ribeirão, deixando os moradores desesperados pois havia risco de alagamento. Apenas hoje (24), no meio da tarde que a Defesa Civil de Blumenau conseguiu chegar até o local para avaliar os estragos. Day, também lembrou que é necessário com urgência doação de roupas, alimentos para os que estão ilhados a partir da Coteminas, em direção ao Bairro Progresso. Doações: Prefeitura: (47) 3326-6994 - 3326-6995 e 3326-6947 - Defesa Civil (47) 3326-6823
* Caixões deslizaram pela encosta do morro do cemitério Progresso, do bairro Garcia, em Blumenau, desmoronou por volta das 12h desta segunda-feira e caixões deslizaram pela encosta. Árvores caíram em cima das lápides de um dos maiores cemitérios da cidade. Fonte (texto e foto): Jornal Pomeroder Zeitung e Diário Catarinense

* Acompanhe as últimas informações sobre Blumenau:
- PREFEITURA - http://www.blumenau.sc.gov.br/
- AO VIVO - http://www.radionereuramos.com.br/
- AO VIVO - RÁDIO CBN - http://www.clicrbs.com.br/ (link da rádio)
- BLOG RÁDIO ATLÂNTIDA DE BLUMENAU - clic aqui

* Atendimento no AG do Garcia transferido para o 23º BI - Devido ao risco de novos deslizamentos na região o atendimento do Ambulatório Geral do Garcia - AG foi transferido para o 23º Batalhão de Infantaria de Blumenau, na rua Amazonas. (Fonte Prefeitura de Blumeanu)

* SC: Blumenau amanhece debaixo de lama (25/11) - A cidade de Blumenau (SC) amanheceu debaixo de muita lama. A chuva não deu trégua e a Defesa Civil registrava, às 8h05, a morte de 13 pessoas no município. Em todo o Estado, eram registrados 65 mortos e 49.799 desalojados e desabrigados. O trabalho é intenso. No centro histórico de Blumenau a lama chega a quase meio metro de altura. Muitas árvores caíram sobre carros. Postes de eletricidade caíram sobre a calçada e a maior parte dos semáforos não funciona. Nos campos de futebol, a grama foi substituída pelo barro e o tradicional Clube Olímpico ficou praticamente destruído. Muitas pessoas ainda estão desaparecidas. Antonio Orlei está a procura do filho de sua empregada. Ariel de Souza, 16 anos, não dá notícias desde a última semana. "Não temos nenhum tipo de informação desde sexta-feira. Foi a última vez que tivemos notícias dele", disse Souza. Muitos catarinenses tentam desde o início da manhã enfrentar os estragos. A ordem é tentar retomar aos poucos a rotina de vida: "Não dá para ficar de braços cruzados esperando o tempo passar. Precisamos trabalhar juntos para limpar a cidade. Nesse momento cada um tem o seu papel. Já passamos por isso antes, não vamos nos entregar", disse a comerciante Sthephani Kahn. Cerca de 40% da população está sem água. A polícia não crê que o reabastecimento total possa voltar ao normal antes da semana que vem. Até o momento, 120 homens do sudoeste do Estado já se deslocaram para Blumenau. A meteorologia prevê chuva até a próxima segunda-feira: "A situação é de calamidade pública. Estamos em alerta total. São muitos os chamados e precisamos aumentar a nossa equipe para suprir toda a demanda", afirmou o soldado da Polícia Militar Samuel Braz. Um dos principais hotéis da cidade está de portas fechadas. Não há como atender aos hóspedes, sobretudo, em virtude da higiene pessoal: "A gente já estava acostumado com enchentes, mas uma situação como essa, realmente, nunca tinha vivido. A terra está úmida e acredito que isso tenha contribuído para o alagamento", comenta o gerente Vilfried Klenz. (Fonte: Francisco de Assis de Blumenau, para o site do Terra)

* Obs: Excepcionalmente desde à noite de sábado (22) Adalberto Day, não está postando no blog, pois a região do bairro Progresso de Blumenau, continua sem energia, porém não corre risco de alagamento em sua residência. (Louisiana (Fpolis)
Obs: em 12,13,14/janeiro de 2011, chuvas intensas, precipitações de grande vulto provocam  a maior tragédia Urbana no Brasil - ocorre na região serrana do estado do Rio de Janeiro - Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis com algumas centenas de vitimas fatais.  As cidades mais atingidas são Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), choveu cerca de 300 mm em 24 horas na região.

domingo, 23 de novembro de 2008

- Colaborações de FOTOS da enchente de Blumenau (2008) - COMENTE

Informações com a Defesa Civil
através dos telefones 199 ou (47)3326-6823


25/11 (23h) - Abaixo fotos registradas na comunidade do Zendron em Blumenau, registrada pela assistente social Tânia Regina Moraes.


25/11 (12h) - Abaixo fotos do site do Terra (colaboração de Francisco de Assis)


25/11 (02h) - Abaixo fotos enviadas pela colaboradora, Elisa B. Voltolini(evolbro@gmail.com)


24/11 (20h) - Abaixo fotos enviadas pela colaboradora, Eliane K. de Miranda (nanykmiranda@yahoo.com.br)


23/11 - Fonte das fotos abaixo: http://rmbernardes.wordpress.com/


23/11 (15h) - Abaixo fotos enviadas por Deise Esperandio (deise__esperandio@hotmail.com) - Rua Francisco Vahldieck (Blumenau/SC)


25/11 - Fotos abaixo, fonte Jornal de Santa Catarina (Blumenau)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...